29/09/2009

legislação 29 de Set, 2009

DR 189 SÉRIE I de 2009-09-29
Decreto-Lei n.º 267/2009
Ministério do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional
Estabelece o regime jurídico da gestão de óleos alimentares usados
Portaria n.º 1114/2009
Ministério do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional
Estabelece os termos da delimitação dos perímetros de protecção das captações destinadas ao abastecimento público de água para consumo humano
Portaria n.º 1115/2009
Ministério do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional
Aprova o Regulamento de Avaliação e Monitorização do Estado Quantitativo das Massas de Água Subterrâneas
Decreto-Lei n.º 268/2009
Ministério da Economia e da Inovação
Estabelece o regime do licenciamento dos recintos itinerantes e improvisados, bem como as normas técnicas e de segurança aplicáveis à instalação e funcionamento dos equipamentos de diversão instalados nesses recintos, e procede à terceira alteração do Decreto-Lei n.º 309/2002, de 16 de Dezembro, que regula a instalação e o financiamento de recintos de espectáculos, no âmbito das competências das câmaras municipais

28/09/2009

Queríamos mais votos, mais deputados e que o PS deixasse de ter maioria absoluta...


a CDU cresceu de 7,5% para 7,9%
mais de 14 mil votos e + 1 deputado, ficando com 15.
O PS ganhou as eleições
mas perdeu meio milhão de votos
e perdeu deputados para todas as outras forças políticas.
O BE duplicou o nº de deputados de 8 para 16!
Tb o CDS passou de 12 para 21 deputados!
................

"Ficará para a próxima", diz Jerónimo de Sousa
27 de Setembro de 2009, 23:57
Ainda não foi agora que os portugueses quiseram dar o voto da mudança à CDU. Jerónimo de Sousa reconhece que a simpatia que encontrou nas ruas não se traduziu em votos e atira: “Ficará para a próxima!”A CDU sai destas legislativas em último lugar das forças políticas, atrás do Bloco de Esquerda e do CDS-PP. Jerónimo de Sousa diz que não está desiludido por ter perdido o lugar para o BE: “Era o que faltava, com uma CDU que consegue mais votos considerar a CDU fragilizada (…) há uma nova arrumação institucional, mas como força política creio que será precipitado, para não dizer injusto e incorrecto, dizer que a CDU sai mais fragilizada. A CDU cresceu, a CDU avançou”. Jerónimo de Sousa reconheceu que a CDU está insatisfeita com o número de votos mas preferiu realçar a vitória de terem ajudado a derrotar a maioria absoluta do PS.“O nosso objectivo era avançar e crescer e impedir que o PS continuasse com maioria absoluta”, disse Jerónimo de Sousa perante dezenas de jovens comunistas que encheram uma das salas do Centro de Trabalho Vitória, na Avenida da Liberdade. O líder do PCP reafirmou que o objectivo central da CDU nunca foi ficar à frente do Bloco de Esquerda e do CDS e antes de sair da sala disse “Ficará para a próxima”. Talvez “para a próxima” os portugueses entreguem à CDU o voto da mudança, disse Jerónimo de Sousa. A próxima é já dia 11 de Outubro, nas eleições autárquicas, em cujo resultado o líder do PCP também se mostrou confiante.Mais um deputado em Setúbal
Após a reacção oficial aos primeiros resultados, Jerónimo de Sousa recolheu-se mas voltou cerca da vinte minutos depois com uma "precisão": a notícia de que a CDU tinha ganho mais um deputado em Setúbal (passando então de 14 deputados eleitos para 15) e mantido o deputado de Braga, Agostinho Lopes.Jerónimo enfatizou este facto como um "grande êxito" e chamou a atenção dos apoiantes para a "segunda volta" que começa já segunda-feira, com a campanha para as eleições autárquicas.
http://legislativas2009.sapo.pt/info/artigo/1020220.html
....................


Em Alcobaça
a CDU cresceu em todas as freguesias (+ 300 votos em relação às últimas legislativas)
excepto em Alpedriz que perdeu 3 votos.





Eleições Legislativas 2009-Resultados do Concelho de Alcobaça
Alcobaça
PPD/PSD 32,42%-993 votos
PS 31,02%-950 votos
CDS-PP 12,28%-376 votos
B.E. 9,96%-305 votos
PCP-PEV 7,44%-228 votos
PCTP/MRPP 0,82%-25 votos
MEP 0,49%-15 votos
PND 0,29%-9 votos
MPT-P.H. 0,29%-9 votos
PPV 0,26%-8 votos
PPM 0,2%-6 votos
MMS 0,16%-5 votos
P.N.R. 0,16%-5 votos
PTP 0,13%-4 votos
POUS 0,13%-4 votos
EM BRANCO 2.71%-83 votos
NULOS 1.24%-38 votos
Votantes
60,91%Votantes: 3.063
Inscritos: 5.029
Alfeizerão
PPD/PSD 39,75%-737 votos
PS 30,64%-568 votos
CDS-PP 11,65%-216 votos
B.E. 8,2%-152 votos
PCP-PEV 2,21%-41 votos
PND 0,65%-12 votos
PCTP/MRPP 0,65%-12 votos
MMS 0,49%-9 votos
PPM 0,43%-8 votos
MEP 0,38%-7 votos
POUS 0,27%-5 votos
P.N.R. 0,27%-5 votos
PPV 0,22%-4 votos
PTP 0,16%-3 votos
MPT-P.H. 0,16%-3 voto
EM BRANCO 2.54%-47 votos
NULOS 1.35%-25 votos
Votantes
53,49%Votantes: 1.854
Inscritos: 3.466
Aljubarrota (Prazeres)
PS 39,59%-776 votos
PPD/PSD 23,21%-455 votos
B.E. 11,53%-226 votos
CDS-PP 9,13%-179 votos
PCP-PEV 7,09%-139 votos
PCTP/MRPP 1,53%-30 votos
MMS 0,31%-6 votos
MEP 0,26%-5 votos
PPM 0,26%-5 votos
PND 0,2%-4 votos
POUS 0,2%-4 votos
PPV 0,2% -4 votos
P.N.R. 0,15%-3 votos
MPT-P.H. 0,15%-3 votos
PTP 0,1%-2 votos
EM BRANCO 4.03%-79 votos
NULOS 2.04%-40 votos
Votantes
58,91%Votantes: 1.960
Inscritos: 3.327
Aljubarrota (S.Vicente)
PPD/PSD 49,96%634 votos
PS 20,8%264 votos
CDS-PP 11,82%150 votos
B.E. 6,3%80 votos
PCP-PEV 2,99%38 votos
MEP 0,71%9 votos
PCTP/MRPP 0,39%5 votos
PPV 0,32%4 votos
POUS 0,24%3 votos
MPT-P.H. 0,24%3 votos
PPM 0,24%3 votos
MMS 0,16%2 votos
P.N.R. 0,16%2 votos
PTP 0,08%1 votos
PND 0,08%1 votos
EM BRANCO 2.92%37 votos
NULOS 2.6%33 votos
Votantes
59,92%Votantes: 1.269
Inscritos: 2.118
Alpedriz
PS 47,43%203 votos
PPD/PSD 21,03%90 votos
B.E. 8,88%38 votos
CDS-PP 6,54%28 votos
PCP-PEV 5,84%25 votos
MEP 0,93%4 votos
PCTP/MRPP 0,7%3 votos
PTP 0,47%2 votos
PND 0,47%2 votos
POUS 0,47%2 votos
P.N.R. 0,23%1 votos
PPM 0,23%1 votos
MMS 0%0 votos
MPT-P.H. 0%0 votos
PPV 0%0 votos
EM BRANCO 4.44%19 votos
NULOS
Votantes
61,94%Votantes: 428
Inscritos: 691
Bárrio
PS 39,64%373 votos
PPD/PSD 27,31%257 votos
CDS-PP 9,46%89 votos
B.E. 7,76%73 votos
PCP-PEV 7,65%72 votos
P.N.R. 0,64%6 votos
MMS 0,43%4 votos
PTP 0,32%3 votos
PND 0,32%3 votos
MEP 0,32%3 votos
PCTP/MRPP 0,32%3 votos
PPV 0,32%3 votos
PPM 0,21%2 votos
POUS 0,11%1 votos
MPT-P.H. 0%0 votos
EM BRANCO 3.93%37 votos
NULOS
Votantes: 941
Inscritos: 1.436
Benedita
PPD/PSD 43,62%2.134 votos
PS 24,2%1.184 votos
CDS-PP 13,33%652 votos
B.E. 7,13%349 votos
PCP-PEV 2,45%120 votos
MEP 1,55%76 votos
MMS 0,51%25 votos
PCTP/MRPP 0,41%20 votos
PND 0,39%19 votos
PPM 0,33%16 votos
MPT-P.H. 0,29%14 votos
PTP 0,16%8 votos
P.N.R. 0,16%8 votos
PPV 0,16%8 votos
POUS 0,08%4 votos
EM BRANCO 3.11%152 votos
NULOS 2.11%103 votos
Votantes
68,99%Votantes: 4.892
Inscritos: 7.091
Cela
38,67%679 votos
PS 29,84%524 votos
CDS-PP 10,54%185 votos
B.E. 6,09%107 votos
PCP-PEV 5,92%104 votos
PCTP/MRPP 0,85%15 votos
PPM 0,34%6 votos
P.N.R. 0,28%5 votos
PPV 0,23%4 votos
PND 0,17%3 votos
POUS 0,17%3 votos
MPT-P.H. 0,17%3 votos
PTP 0,11%2 votos
MEP 0,11%2 votos
MMS 0,06%1 votos
EM BRANCO 3.53%62 votos
NULOS
Votantes
57,95%Votantes: 1.756
Inscritos: 3.030
Cóz
39,82%442 votos
PPD/PSD 22,7%252 votos
CDS-PP 9,46%105 votos
B.E. 9,28%103 votos
PCP-PEV 8,65%96 votos
PCTP/MRPP 2,16%24 votos
PND 0,45%5 votos
P.N.R. 0,45%5 votos
PPM 0,45%5 votos
MPT-P.H. 0,36%4 votos
MMS 0,27%3 votos
PTP 0,27%3 votos
MEP 0,27%3 votos
PPV 0,27%3 votos
POUS 0,18%2 votos
EM BRANCO 3.96%44 votos
NULOS
Votantes
62,01%Votantes: 1.110
Inscritos: 1.790
Évora
PPD/PSD 44,07%1.104 votos
PS 27,82%697 votos
CDS-PP 11,58%290 votos
B.E. 6,51%163 votos
PCP-PEV 2,48%62 votos
MEP 0,64%16 votos
PCTP/MRPP 0,56%14 votos
PPM 0,28%7 votos
MMS 0,24%6 votos
P.N.R. 0,24%6 votos
MPT-P.H. 0,24%6 votos
PPV 0,24%6 votos
PND 0,16%4 votos
PTP 0,12%3 votos
POUS 0,12%3 votos
EM BRANCO 3.07%77 votos
NULOS 1.64%41 votos
Votantes
63,23%Votantes: 2.505
Inscritos: 3.962
Maiorga
PS 44,24%526 votos
PPD/PSD 17,41%207 votos
CDS-PP 10,01%119 votos
B.E. 9,76%116 votos
PCP-PEV 9,59%114 votos
PCTP/MRPP 2,19%26 votos
MEP 0,42%5 votos
MMS 0,34%4 votos
PND 0,17%2 votos
MPT-P.H. 0,17%2 votos
POUS 0,08%1 votos
P.N.R. 0,08%1 votos
PPM 0,08%1 votos
PPV 0,08%1 votos
PTP 0%0 votos
EM BRANCO 2.69%32 votos
NULOS 2.69%32 votos
Votantes
63,01%Votantes: 1.189
Inscritos: 1.887
Martingança
PS 37,1%269 votos
PPD/PSD 22,9%166 votos
B.E. 13,52%98 votos
CDS-PP 8,55%62 votos
PCP-PEV 7,03%51 votos
PCTP/MRPP 1,52%11 votos
MEP 0,69%5 votos
PPV 0,69%5 votos
MMS 0,41%3 votos
PTP 0,41%3 votos
PND 0,41%3 votos
POUS 0,41%3 votos
P.N.R. 0,41%3 votos
MPT-P.H. 0,41%3 votos
PPM 0,14%1 votos
EM BRANCO 3.59%26 votos
NULOS 1.79%13 votos
Resultados de 2009
Votantes
72,72%Votantes: 725
Inscritos: 997
Montes
PS 43,3%194 votos
PPD/PSD 27,9%125 votos
B.E. 10,27%46 votos
CDS-PP 7,59%34 votos
PCP-PEV 3,13%14 votos
PCTP/MRPP 1,56%7 votos
P.N.R. 0,45%2 votos
PPM 0,45%2 votos
PND 0,22%1 votos
MPT-P.H. 0,22%1 votos
PPV 0,22%1 votos
MMS 0%0 votos
PTP 0%0 votos
POUS 0%0 votos
MEP 0%0 votos
EM BRANCO 3.13%14 votos
NULOS 1.56%7 votos
Votantes
73,81%Votantes: 448
Inscritos: 607
Pataias
PS 40,69%1.215 votos
PPD/PSD 21,47%641 votos
B.E. 13,66%408 votos
CDS-PP 8,24%246 votos
PCP-PEV 7,33%219 votos
PCTP/MRPP 1,41%42 votos
PPM 0,44%13 votos
MMS 0,4%12 votos
MEP 0,37%11 votos
PPV 0,3%9 votos
PND 0,27%8 votos
POUS 0,27%8 votos
PTP 0,23%7 votos
P.N.R. 0,2%6 votos
MPT-P.H. 0,1%3 votos
EM BRANCO 2.75%82 votos
NULOS 1.88%56 votos
Votantes
61,82%Votantes: 2.986
Inscritos: 4.830
S. Martinho do Porto
PPD/PSD 34,7%457 votos
PS 26,8%353 votos
B.E. 14,81%195 votos
CDS-PP 12,83%169 votos
PCP-PEV 4,4%58 votos
PCTP/MRPP 0,61%8 votos
MEP 0,46%6 votos
MPT-P.H. 0,46%6 votos
PND 0,38%5 votos
PTP 0,3%4 votos
PPM 0,3%4 votos
PPV 0,23%3 votos
MMS 0,15%2 votos
POUS 0,15%2 votos
P.N.R. 0,08%1 votos
EM BRANCO 1.9%25 votos
NULOS 1.44%19 votos
Votantes
55,1%Votantes: 1.317
Inscritos: 2.390
Turquel
PPD/PSD 48,27%1.155 votos
PS 18,05%432 votos
CDS-PP 16,13%386 votos
B.E. 5,68%136 votos
PCP-PEV 2,59%62 votos
PND 0,79%19 votos
MEP 0,79%19 votos
MMS 0,59%14 votos
PCTP/MRPP 0,46%11 votos
MPT-P.H. 0,46%11 votos
PPV 0,38%9 votos
PPM 0,33%8 votos
P.N.R. 0,17%4 votos
PTP 0,13%3 votos
POUS 0,13%3 votos
EM BRANCO 2.8%67 votos
NULOS 2.26%54 votos
Votantes
65,22%Votantes: 2.393
Inscritos: 3.669
Vestiaria
PS 41,71%317 votos
PPD/PSD 22,37%170 votos
CDS-PP 10%76 votos
B.E. 9,47%72 votos
PCP-PEV 6,97%53 votos
PND 0,92%7 votos
PCTP/MRPP 0,66%5 votos
PTP 0,53%4 votos
P.N.R. 0,39%3 votos
PPM 0,39%3 votos
MMS 0,26%2 votos
MEP 0,26%2 votos
POUS 0,13%1 votos
MPT-P.H. 0,13%1 votos
PPV 0,13%1 votos
EM BRANCO 3.82%29 votos
NULOS
Votantes
65,29%Votantes: 760
Inscritos: 1.164
Vimeiro
PPD/PSD 58,58%734 votos
PS 16,44%206 votos
CDS-PP 14,53%182 votos
B.E. 3,43%43 votos
PCP-PEV 1,84%23 votos
MMS 0,4%5 votos
MEP 0,4%5 votos
PCTP/MRPP 0,32%4 votos
PPM 0,32%4 votos
PTP 0,24%3 votos
PND 0,16%2 votos
POUS 0,16%2 votos
MPT-P.H. 0,16%2 votos
PPV 0,16%2 votos
P.N.R. 0,08%1 votos
EM BRANCO 1.84%23 votos
NULOS 0.96%12 votos
Votantes
69,73%Votantes: 1.253
Inscritos: 1.797

ontem vivi uma Cena extraordinária no Armazém das Artes


Recordei cenas de há 30 anos
vividas como professor cooperante
em Maputo.Moçambique
Armazém das Artes vai ter uma exposição de para 2010


Malangatana presente na projecção do filme "Ngwenya, o Crocodilo"
Integrado na 1ª Mostra de Vídeos, a projecção do filme "Ngwenya, o Crocodilo" decorrerá no dia 27 de Setembro (domingo) às 16 horas, no Armazém das Artes, em Alcobaça, com a presença do artista moçambicano Malangatana. Malangatana (Valente Ngwenya) nasceu em Matalana, Província de Maputo, a 6 de Junho de 1936. Frequentou a Escola Primária em Matalana e posteriormente, em Maputo, os primeiros anos da Escola Comercial. Foi pastor de gado, aprendiz de nyamussoro ( médico tradicional), criado de meninos, apanhador de bolas e criado no clube da elite colonial de Lourenço Marques. Tornou-se artista profissional em 1960, graças ao apoio do arquitecto português Miranda Guedes ( Pancho) que lhe cedeu a garagem para atelier.

27/09/2009

O jornal de campanha da CDU está Muito Bom

Agradeço publicamente o empenho do António, do Ricardo e do Zé.
É a maior despesa de campanha autárquica da CDU Alcobaça.
Para informarmos todos os alcobacenses entregamos 1 jornal de 20 páginas, em cada caixa postal: 27 mil e temos 5 mil para distribuirmos nos contactos directos.
3.750 euros para a tipografia! Mais 858 euros para os correios!
Entendemos que este investimento é essencial para esclarecer e informar.

Não há nada mais grave na campanha eleitoral para o PSD???

Aqui vai mais um desafio:
Paulo Inácio, faz uma conferência de imprensa e um comunicado e arruma a POUCA VERGONHA de teres o nº 2, Hermínio Rodrigues, Presidente da Cister Equipamentos SA a fazer obras ilegais (Os 2 Centros Escolares de Alcobaça e Benedita e o Pavilhão Multiusos de Évora), sem alvará de construção, para contribuir objectivamente para a campanha eleitoral do PSD...
Este facto é que o mais grave DE TODOS! Mas há mais...

já agora eis o comunicado do PSD sobre o fait divers da sondagem...
1- Desde o inicio da pré campanha eleitoral que o PSD de Alcobaça tem assistido, serenamente, a uma prática corrente de boatos públicos;2- O PSD não pactua com essa forma de estar na vida política e pública, tem programa e ideias próprias para o concelho;3- Outros na ausência dessas ideias insinuam factos que carecem obviamente de demonstração;4- O candidato do Partido Socialista na sua apresentação pública, conforme veiculado pela comunicação social, insinuou que possui uma sondagem que dá um empate técnico entre a sua candidatura e a do PSD;5- Tal insinuação continua a ser divulgada por alguma comunicação social;6- O candidato do PS sabe que a divulgação de sondagens obedece a regras específicas e como jurista que é sabe que a insinuação tem relevância jurídica;7- A candidatura do PSD desafia publicamente o candidato do PS a apresentar, de imediato, a aludida sondagem, bem como a ficha técnica da mesma, sob pena de vir a perder definitivamente a sua credibilidade política;8- O PSD e o seu candidato Dr. Paulo Inácio aguardam a divulgação da aludida sondagem ou a retratação pública do candidato do PS;9- Estranha o PSD e os seus candidatos que alguma imprensa local e

1º debate a 6 foi promovido pelo Região de Leiria


Sou fã dos "Gambuzinos...só a 10 ou a 16 verei esta nova proudção...


http://sapinhogelasio.blogspot.com/ publicou opinião de Abílio Filipe e tem muitos pormenores interessantes sobre Pataias




2 fotos da praia de Vale Furado


Candidato da CDU defende complexo integrado para o desporto

Abílio Filipe quer reconstruir forno de cal em Pataias

Há quatro anos faltou-lhe um voto para entrar para a Assembleia de Freguesia de Pataias, como cabeça de lista da CDU. Agora, Abílio Filipe acredita que estão reunidas as condições para um melhor resultado, até porque se apresenta a votos com "uma lista muito jovem, dinâmica e com vontade de trabalhar".Entre os objectivos da candidatura da CDU está a reconstrução de um forno de cal e a sua inclusão nos roteiros da Região de Turismo do Oeste.A criação de um complexo integrado para o desporto é outra das medidas defendido por Abílio Filipe, que não considera negativo o trabalho desenvolvido pelo actual executivo. "Podia-se fazer melhor, sobretudo na requalificação da lagoa e no caso da localização da ETAR nas Paredes", refere o candidato da CDU, para quem "há que apostar mais na cultura e no desporto, o que o actual executivo não fez nestes últimos quatro anos, talvez por não ter oposição a chamar atenção e a dar ideias".Embelezar e requalificar espaços públicos e desenvolver o saneamento básico de Pisões, Mélvoa e Paio são outras das propostas da CDU.

Francisco Gomes publicou em oesteonline.pt a acção da CDU sobre a Linha do oeste


Edição de 25-09-2009
Linha do Oeste
CDU faz protesto de comboio
A cabeça de lista da CDU no distrito viajou entre Leiria e Bombarral
Para demonstrar que o caminho de ferro faz falta à região Oeste, a CDU promoveu na passada segunda-feira uma acção de protesto entre Leiria e Bombarral, aproveitando para chamar a atenção para “a não concretização da prometida modernização e requalificação da Linha do Oeste por parte dos poderes públicos, que tutelam as empresas CP e Refer”.Para a CDU, “a electrificação da linha, novos comboios capazes de reduzir o tempo de transporte, o acesso a outras linhas, a reconfiguração de horários de acordo com as necessidades concretas das pessoas, a existência de preços de bilhetes socialmente justos, acessíveis e incentivadores da utilização do comboio, a recuperação e modernização das estações, dando-lhes mais atractividade, o desenvolvimento de acções de promoção deste modo de transporte e a rentabilização da linha para o transporte de mercadorias”, são medidas consideradas urgentes. Esta iniciativa percorreu a linha Oeste, entre a Estação de Leiria e a Estação do Bombarral. Nas Caldas foi feito um mini-comício. A acção contou com a presença da cabeça de lista da CDU às eleições Legislativas pelo círculo de Leiria, Ana Rita Carvalhais, e em cada uma das estações participaram candidatos dos concelhos visitados, designadamente Etelvina Rosa na Marinha Grande, Nelson Trindade em Valado dos Frades, Basílio Martins em S. Martinho do Porto, José Carlos Faria em Caldas da Rainha e Rute Correia no Bombarral. Estiveram ainda presentes os candidatos autárquicos de cada um dos concelhos.Bloco de Esquerda também na Linha do OesteTambém o Bloco de Esquerda realizou no domingo uma viagem de protesto sobre “as péssimas condições” em que circulam os comboios na Linha do Oeste.Assim, um grupo de activistas, com a presença de Heitor de Sousa (primeiro candidato a deputado, pelo BE, à Assembleia da República, ao círculo de Leiria), partiram de Lisboa, no comboio "rápido", das 10h34, chegando a Caldas da Rainha às 12h18, para só poderem partir para Leiria às 13h22, noutro comboio, com paragem em todas as estações e apeadeiros, demorando a viagem de Lisboa a Leiria quase quatro horas e até Caldas, no "rápido", quase duas horas. “Aproveitando esta paragem forçada, pelo péssimo serviço que a CP, aos utentes, oferece”, realizou-se no Largo da Estação de Caldas da Rainha uma sessão de protesto com intervenções de Rui Calisto (candidato do BE à Câmara de Caldas) e Heitor de Sousa.O BE de Caldas “não quer, no séc. XXI, comboios ao ritmo de há dois séculos” e exige “a duplicação e electrificação da linha, melhores e mais comboios, em condições de mais conforto, com horários compatíveis com as necessidades dos utentes”.

Joana Fialho fez notícia no gazetadascaldas.com e no oeste.online.pt


sobre a presença de Jerónimo de Sousa em Alcobaça
Edição de 25-09-2009
De visita à SPAL
Jerónimo de Sousa voltou a defender o aparelho produtivo
Jerónimo de Sousa fez questão de cumprimentar todos os trabalhadores da SPAL e quis saber quais as dificuldades que enfrenta a empresa
“Quem havia de dizer que a maior iniciativa da CDU dos últimos dez anos se haveria de realizar no concelho de Alcobaça?” A pergunta foi lançada por Jerónimo de Sousa, líder do PCP, na noite do passado dia 16 num jantar da CDU que reuniu mais de 500 pessoas na Martiingança.O encontro foi o culminar de um dia de campanha para as eleições legislativas de 27 de Setembro em que a comitiva dos comunistas esteve na Marinha Grande e em Alcobaça, onde visitou a fábrica da SPAL. A acompanharem Jerónimo de Sousa estavam, entre outros militantes, Ana Rita Carvalhais, a cabeça de lista da CDU à Assembleia da República pelo distrito de Leiria, e Rogério Raimundo, candidato à Câmara de Alcobaça.Numa visita guiada pelo director de operações da empresa de porcelanas, Jerónimo de Sousa falou com trabalhadores e ouviu algumas queixas, nomeadamente a de que os salários não são aumentados há alguns anos. Actualmente a empregar cerca de 400 pessoas, a SPAL não escapa às dificuldades que afectam empresas de todo o mundo neste contexto de crise económica e financeira. E numa empresa que vive sobretudo da exportação estas dificuldades são ainda mais sentidas.“Ao nível do mercado nacional a SPAL tem já uma marca, tem clientes. Mas ao nível da exportação a política cambial traz-nos dificuldades acrescidas”, explicou a Jerónimo de Sousa, e já após a visita, ao presidente do Conselho de Administração, José António Paiva. Os países que mais compravam era Estados Unidos e Grã-Bretanha, precisamente aqueles cujas moedas mais desvalorizaram. Além disso, uma das multinacionais com a qual trabalhavam há cerca de 40 anos deslocalizou a sua produção para a Turquia e para a China, reduzindo drasticamente as encomendas feitas à empresa de Alcobaça.“Encontrar alternativas para isto tem sido muito difícil. A SPAL reduziu substancialmente a sua dimensão, a sua capacidade industrial. Felizmente conseguimos fazê-lo sem despedimentos directos”, garantiu o administrador. Na verdade, a redução de pessoal, de 500 trabalhadores para cerca de 400, foi facilitada pelo facto de muitos dos funcionários terem mais de 35 anos de casa, pelo que se conseguiu chegar a acordo. “Infelizmente para a nossa área não contratámos mais pessoas, que era o que teríamos feito numa situação normal”, acrescentou ainda.Para garantir a sua continuidade a empresa está a apostar na exportação para países da zona Euro. “Existem alguns países emergentes, nomeadamente do Antigo Bloco de Leste, que estão com um crescendo e estão a aparecer com alguma apetência em relação ao produto, mas é difícil, porque eles também estão com problemas, não somos só nós”, esclareceu José António Paiva. Não obstante, o administrador acredita que a empresa vai “vai conseguir ultrapassar isto”.Mas o que é preciso para que isso aconteça? “Eu acho que hoje em dia era fundamental pensarmos em termos de interesse nacional e claramente a SPAL é uma empresa importantíssima na nossa região e gostaríamos que continuasse a ser assim”, diz José António Paiva.Entre as medidas que poderiam ser tomadas para impulsionar as empresas estão o administrador destaca a importância de se fazer alguma coisa ao nível dos transportes, um factor que tem importância acrescida para uma empresa exportadora. Não menos importante era que se reduzissem os preços da energia, nomeadamente gás e electricidade.Nestas facturas “há uma diferença grande comparativamente às dos nossos vizinhos espanhóis. Os nossos trabalhadores ganham menos, mas os custos no final acabam por ser os mesmos, porque pagamos mais energia. Mais valia termos a energia mais barata e pagarmos mais aos trabalhadores”, defendeu.Esta foi também uma opinião defendida pelo líder dos comunistas, que deixou ao administrador a certeza de que “da parte da CDU existe uma disponibilidade muito grande de defender o nosso aparelho produtivo, a nossa produção nacional, procurando que com base nessa defesa nós saiamos da crise”.Considerando que a SPAL é uma empresa fundamental para a região, Jerónimo de Sousa disse ter encontrado ali a confirmação daquilo que há muito afirma. “Que é possível sair da crise com o reforço do aparelho produtivo”, afirmando ainda que “não é com salários baixos que as empresas e a nossa economia se desenvolvem”.Joana Fialho

cister.fm fez uma bela reportagem sobre a IVª edição do Rabiscuits









































































































































2009-09-23 15:33:00
Rabiscuits voltou a ter um impacto positivo junto do público
Ver Foto-reportagem
Nem a chuva que caiu logo na abertura do evento estragou o sucesso da IV edição Rabiscuits - Mostra de Arte Contemporânea e Experimental de Alcobaça.

O evento, criado em 2004 por Gonçalo Tarquínio e Rita Pimenta, contou, este ano, com a presença de mais de seis dezenas de artistas plásticas que, durante vários dias, espalharam arte e tendências de estilos de modos de ver o mundo através da estética pelo centro histórico.

«A mostra voltou a ter um impacto positivo junto do público, que compareceu em massa nas ruas do centro histórico da cidade para ver a criatividade dos 67 artistas presentes», afirmou Rita Pimenta, da organização.

notícia da cister.fm sobre centros escolares ilegais


2009-09-24 09:05:00
A CDU acusa a maioria PSD de iniciar obras sem as discutir na Câmara
Basílio Martins, deputado na Assembleia Municipal, acusa a maioria PSD na Câmara de Alcobaça de ter dado início a alguns projectos sem antes os ter debatido na autarquia, com todos os elementos da vereacção.
É o caso do projecto do Centro Escolar de Alcobaça, “cujas obras na Quinta da Cova da Onça já são visíveis, nunca foram discutidos pelo executivo”, disse o deputado.
A maioria PSD já veio assegurar que o que está em curso na Cova da Onça é apenas a empreitada de “movimentações de terra, com vista a preparar o inicio da construção do complexo escolar”.
Para além destes trabalhos, começaram, entretanto, outros, em Évora de Alcobaça, e que visam a construção de um Pavilhão Gimnodesportivo naquela vila, um dos equipamentos previstos na Carta Educativa do Município de Alcobaça.
Apesar das explicações, a CDU já disse que “não está convencida e acredita que as intervenções já fazem parte dos projectos atribuídos à empresa municipal”, o que significa, adianta Basílio Martins, “deveriam ter sido, em primeiro lugar , discutidas em reunião de Câmara”.
Publicidade

26/09/2009

Está vivo Jorge de Sena!!!

recebi via JUvenal Amado
A Portugal
Esta é a ditosa pátria minha amada. Não.
Nem é ditosa, porque o não merece.
Nem minha amada, porque é só madrasta.
Nem pátria minha, porque eu não mereço
A pouca sorte de nascido nela.

Nada me prende ou liga a uma baixeza tanta
quanto esse arroto de passadas glórias.
Amigos meus mais caros tenho nela,
saudosamente nela, mas amigos são
por serem meus amigos, e mais nada.

Torpe dejecto de romano império;
babugem de invasões; salsugem porca
de esgoto atlântico; irrisória face
de lama, de cobiça, e de vileza,
de mesquinhez, de fatua ignorância;
terra de escravos, cu pró ar ouvindo
ranger no nevoeiro a nau do Encoberto;
terra de funcionários e de prostitutas,
devotos todos do milagre, castos
nas horas vagas de doença oculta;
terra de heróis a peso de ouro e sangue,
e santos com balcão de secos e molhados
no fundo da virtude; terra triste
à luz do sol calada, arrebicada, pulha,
cheia de afáveis para os estrangeiros
que deixam moedas e transportam pulgas,
oh pulgas lusitanas, pela Europa;
terra de monumentos em que o povo
assina a merda o seu anonimato;
terra-museu em que se vive ainda,
com porcos pela rua, em casas celtiberas;
terra de poetas tão sentimentais
que o cheiro de um sovaco os põe em transe;
terra de pedras esburgadas, secas
como esses sentimentos de oito séculos
de roubos e patrões, barões ou condes;
ó terra de ninguém, ninguém, ninguém:

eu te pertenço. És cabra, és badalhoca,
és mais que cachorra pelo cio,
és peste e fome e guerra e dor de coração.
Eu te pertenço mas seres minha, não.
*Jorge de Sena*
Araraquara, 6/12/1961
do Capítulo "Tempo de Peregrination ad loca infecta" (1959-1969) do livro
"40 Anos de Servidão", 2ª edição revista, Círculo de Poesia da Moraes
Editores, 1982

é de aproveitar para conhecer melhor a nossa Abadia...


legislação 24 de Set, 2009

DR 186 SÉRIE I de 2009-09-24
Resolução do Conselho de Ministros n.º 101/2009
Presidência do Conselho de Ministros
Autoriza a realização da despesa resultante da execução dos contratos de prestação de serviços de erradicação de árvores na zona de restrição do nemátodo da madeira do pinheiro entre a então Direcção-Geral dos Recursos Florestais, actual Autoridade Florestal Nacional, e a Logística Florestal - Central de Produções e Serviços Florestais, S. A.
Portaria n.º 1103/2009
Ministérios do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional e da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas
Renova por um período de 12 anos a concessão da zona de caça associativa de Turquel 2, abrangendo vários prédios rústicos sitos na freguesia de Turquel, município de Alcobaça (processo n.º 1267-AFN)
Decreto-Lei n.º 254/2009
Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas
No uso da autorização concedida pela Lei n.º 36/2009, de 20 de Julho, aprova o Código Florestal
Decreto-Lei n.º 255/2009
Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas
Estabelece as normas de execução na ordem jurídica nacional do Regulamento (CE) n.º 1739/2005, da Comissão, de 21 de Outubro, relativo ao estabelecimento das condições de polícia sanitária aplicáveis à circulação de animais de circo e outros números com animais entre Estados membros, e aprova as normas de identificação, registo, circulação e protecção dos animais utilizados em circos, exposições itinerantes, números com animais e manifestações similares em território nacional
Decreto-Lei n.º 256/2009
Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas
Estabelece os princípios e orientações para a prática da protecção integrada e produção integrada, bem como o regime das normas técnicas aplicáveis à protecção integrada, produção integrada e modo de produção biológico, e cria, igualmente, um regime de reconhecimento de técnicos em protecção integrada, produção integrada e modo de produção biológico, no âmbito da produção agrícola primária, e revoga o Decreto-Lei n.º 180/95, de 26 de Julho

DR 186 SÉRIE I, 1º SUPLEMENTO de 2009-09-24
Portaria n.º 1107-A/2009
Presidência do Conselho de Ministros
Homologa a tabela de compensação pela emissão radiofónica nos tempos de antena relativos à campanha para a eleição dos órgãos das autarquias locais de 11 de Outubro de 2009 para as estações de radiodifusão de âmbito local

24/09/2009

desenvolver...fundos comunitários...

recebi via Graça Mateus
Para quem esteja interessado em informação sobre os fundos comunitários,divulgo o sítio que, é recente, do Instituto Financeiro para o Desenvolvimento Regional, IP (IFDR) que resultou da reestruturação da ex-Direcção-Geral do Desenvolvimento Regional (DGDR) e que é o seguinte:
www.ifdr.pt
Cumprimentos a todos

O Paulo Filipe e mais amigos fizeram voluntariamente este video...


antes do dia 11 de Out, temos de facto de votar CDU no domingo...
Vamos aqui eleger a Ana Rita que será uma grande deputada para promover Alcobaça...

entretanto recebi via Paulo Filipe
Vota ROGÉRIO RAIMUNDO para Alcobaça!!Conhece o video promocional da campanha Rogério no link abaixo !
http://www.youtube.com/watch?v=fDps4P-LIFo
Se puderes reencaminhar, serias uma excelente ajuda.AbraçoPaulo Filipep.s.(mas antes há uma votação que decorre no dia 27, DOMINGO. Vota!!! )

23/09/2009

ordem de trabalhos da reunião extraordinária de câmara, sexta, 25 set 2009, 19h

1.
------ACTA DA REUNIÃO ORDINÁRIA REALIZADA NO DIA VINTE E UM DE
SETEMBRO DE DOIS MIL E NOVE-
(AUTARQUIAS) 2.
------ FREGUESIA DE SÃO VICENTE DE ALJUBARROTA – PEDIDO DE APOIO-
(EDUCAÇÃO, CULTURA E RECREIO) 3.
------AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PATAIAS – CONSELHO GERAL –
PROPOSTA DE NOMEAÇÃO DE REPRESENTANTES DO MUNICÍPIO-
(EDUCAÇÃO, CULTURA E RECREIO) 4.
------ BILHETES INDIVIDUAIS PARA AS SESSÕES REGULARES DE CINEMA A
REALIZAR NO CINE-TEATRO DE ALCOBAÇA E DEMAIS EVENTOS
CULTURAIS E LÚDICOS PROGRAMADOS – PROPOSTA DE FIXAÇÃO DE
PREÇOS -
(FINANÇAS LOCAIS) 5.
------DOCUMENTOS PREVISIONAIS – ANO DE DOIS MIL E NOVE – DÉCIMA
OITAVA MODIFICAÇÃO -
(GESTÃO URBANISTICA) 6.
------ CISTER – EQUIPAMENTOS EDUCATIVOS, SOCIEDADE ANÓNIMA
UTILIZAÇÃO NÃO AGRÍCOLA DE ÁREA INTEGRADA EM RESERVA AGRÍCOLA NACIONAL – PEDIDO DE RECONHECIMENTO DE
INTERESSE PÚBLICO MUNICIPAL-
(OBRAS MUNICIPAIS) 7.
------ EMPREITADA Nº 09/01 P – CENTRO ESCOLAR DE ALFEIZERÃO –
RELATÓRIO FINAL -
(OBRAS MUNICIPAIS) 8.
------ EMPREITADA Nº 09/02 P – CENTRO ESCOLAR DE TURQUEL –
RELATÓRIO FINAL -
(OBRAS DE OUTRAS ENTIDADES) 9.
------ CENTRO PAROQUIAL DE ASSISTÊNCIA DE NOSSA SENHORA
D’AJUDA – PEDIDO DE APOIO-
(PATRIMÓNIO) 10.
------METALÚRGICA JOSÉ LÚCIA BARREIRO & FILHOS, LIMITADA – ZONA
INDUSTRIAL DO CASAL DA AREIA – PROPOSTA DE AQUISIÇÃO DE LOTE --
(PATRIMÓNIO) 11.
------AQUISIÇÃO DE PRÉDIO RÚSTICO SITUADO NA FREGUESIA DE
BENEDITA -
(PROTECÇÃO CIVIL) 12.
------ ELABORAÇÃO DO PLANO DE CONTIGÊNCIA GRIPE A (HINI) –
PROPOSTA DE CONSTITUIÇÃO DE EQUIPA-
(SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS) 13.
------ PROCESSO Nº 57/08/AD – SANEAMENTO DAS POVOAÇÕES DA ORLA
MARITIMA, ZONA NORTE DO CONCELHO – EXECVUÇÃO DE RAMAIS
DOMICILIÁRIOS DAS PAREDES DE VITÓRIA – RATIFICAÇÃO DE
DELIBERAÇÃO DE ADJUDICAÇÃO -
(SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS) 14.
------ PROCESSO Nº 06/09/AD – CONCEPÇÃO/CONSTRUÇÃO DA
DESPOLUIÇÃO DO RIO BAÇA – FASE B – RATIFICAÇÃO DE DELIBERAÇÃO
DE ADJUDICAÇÃO -
(SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS) 15.
------ PROCESSO Nº 14/09/AD – PROLONGAMENTO DA REDE DE
SANEAMENTO/2009 – RATIFICAÇÃO DE DELIBERAÇÃO DE ADJUDICAÇÃO
(SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS) 16.
------ PROCESSO Nº 15/09/AD – PROLONGAMENTO DA REDE DE
ÁGUA/2009 ZONA SUL – RATIFICAÇÃO DE DELIBERAÇÃO DE
ADJUDICAÇÃO -
(SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS) 17.
------ PROCESSO Nº 16/09/AD – PROLONGAMENTO DA REDE DE
ÁGUA/2009 – ZONA NORTE – RATIFICAÇÃO DE DELIBERAÇÃO DE
ADJUDICAÇÃO -
(SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS) 18.
------ PROCESSO Nº 17/09/AD – RAMAIS DOMICILIÁRIOS DE ÁGUA/2009 –
ZONA NORTE – RATIFICAÇÃO DE DELIBERAÇÃO DE ADJUDICAÇÃO-
(SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS) 19.
------ PROCESSO Nº 18/09/AD – RAMAIS DOMICILIÁRIOS DE
SANEAMENTO/2009 – ZONA SUL – RATIFICAÇÃO DE DELIBERAÇÃO DE
ADJUDICAÇÃO -
(SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS) 20.
------ PROCESSO Nº 19/09/AD – RAMAIS DOMICILIÁRIOS DE
SANEAMENTO/2009 – ZONA NORTE – RATIFICAÇÃO DE DELIBERAÇÃO DE
ADJUDICAÇÃO -
(SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS) 21.
------ PROCESSO Nº 20/09/AD – RAMAIS DOMICILIÁRIOS DE
SANEAMENTO/2009 – ZONA SUL – RATIFICAÇÃO DE DELIBERAÇÃO DE
ADJUDICAÇÃO -
(SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS) 22.
------ PROCESSO Nº 21/09/AD – REPARAÇÃO DE ROTURAS EM DIVERSOS
PONTOS DO CONCELHO – RATIFICAÇÃO DE DELIBERAÇÃO DE
ADJUDICAÇÃO -
(SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS) 23.
------ PROCESSO Nº 25/09/AD – ESTAÇÃO ELEVATÓRIA DE SÃO MARTINHO
DO PORTO – TRABALHOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL – RATIFICAÇÃO DE
DELIBERAÇÃO DE ADJUDICAÇÃO -
(SERVIÇOS MUNICIPALIZADOS) 24.
------ PROCESSO Nº 36/09/AD – COLOCAÇÃO DE TUBAGEM PELA TÉCNICA
DE PIPEBURSTING EM SÃO MARTINHO DO PORTO – RATIFICAÇÃO DE
DELIBERAÇÃO DE ADJUDICAÇÃO --

votar CDU no domingo 27 set. 2009


22/09/2009

a reunião pública de Outubro é em plena campanha eleitoral 6 Out.14.30

Vai haver reunião pública da câmara em plena campanha eleitoral a 6 Out às 14.30!

vai haver Assembleia Municipal Extraordinária na segunda 28 set às 20.30

Há um certo ambiente frenético na maioria PSD...
Mais uma assembleia municipal para a despedida do Presidente da Câmara Sapinho???

reunião extraordinária de câmara dia 25 set 2009.10h

vai haver reunião sexta de manhã às 10h

a 18ª conversa´tem jantar antes

inscrições na sede CDU
das 15h às 19h
ou via
cdualcobaca@gmail.com

gato esmiuçou Jerónimo de Sousa

parte 3 final
http://www.youtube.com/watch?v=sOoCcdlxb6o--

parte 2
http://www.youtube.com/watch?v=s3LJSmrHZFs

parte 1
http://www.youtube.com/watch?v=h62n4nKPWDE&NR=1

Rabiscuit's tinha um claustro free do escultor José Aurélio e uma caravela magnífica do Marco Tinta e...







Recebi estas 2 fotos via José Pires dizendo

"Aqui vai a caravela da CDU de vento em popa.Abraços"


Esta caravela não é da CDU

mas é de jovens artistas magníficos que a CDU quer valorizar para o grande projecto da TERRA d'ARTE e d'ARTISTAS!
entretanto a Jornalista Joana Fialho fez a seguinte postagem no oeste online:

Joana Fialho // Edição de 01-10-2009AlcobaçaRabiscuits teve edição mais participada de sempre
Durante três dias a arte experimental saiu às ruas de Alcobaça, aproximando os artistas das pessoas que viram os seus trabalhos
“Uma edição que superou as nossas expectativas”. É assim que Rita Pimenta, uma das mentoras do Rabiscuits define o regresso da mostra de arte experimental a Alcobaça. Entre os passados dias 18 e 20 foi possível apreciar os trabalhos de 67 participantes, que deram mais vida e mais cor ao centro histórico da cidade.Instalações, pintura, escultura, desenho, vídeo, performances, concertos, curtas-metragens e documentários foram as áreas que durante três dias foram vistas por milhares de pessoas, um número que, no entanto, Rita Pimenta, não se atreve a especificar. Diz apenas que a área escolhida é muito grande, e que “passa por ali muita gente, que se ia cruzando com os trabalhos expostos”. Mas as iniciativas que tinham lugar dentro de portas também foram bastante concorridas.A comprová-lo estão os workshops que decorreram nesta edição do Rabiscuits. O dedicado às crianças “resultou muito bem e houve muita gente a ver o trabalho que os miúdos fizeram”. O de “Vídeo Multi Formatos” foi também bastante elogiado pelos participantes.Nesta que foi a 4ª e mais participada edição do Rabiscuits, cumpriu-se mais uma vez o objectivo de descentralizar a arte e levá-la até às pessoas. “Simplesmente por estarmos na rua já o estamos a fazer”, diz Rita Pimenta.“Há muita gente a deslocar-se de propósito para o Rabiscuits, mas são pessoas que habitualmente já o fazem para iniciativas deste género”. Por isso, a grande mais-valia deste projecto é o facto de levar a que quem não tem por si só apetência para procurar acontecimentos como este acaba por tropeçar em obras de arte mesmo no meio da rua. O que também não se pode esquecer é que o Rabiscuits dá visibilidade a artistas que não são conhecidos e que vêm de vários pontos do país.Esta é uma das razões pelas quais a organização está empenhada em continuar com este projecto. “Se para o ano tivermos os nossos apoios, com certeza estaremos de volta”, promete Rita Pimenta.

20/09/2009

versão actualizada dos 7 ovos de colombo

Ovo de Colombo

Metáfora usada quando
se referem soluções aparentemente muito naturais e óbvias, mas que alguém teve de pensá-las um dia, e alguém teve de as implementar, para depois serem tão naturais.


Em poucas palavras: uma política nova, com uma prática nova, na qual destacamos sete caminhos de actuação, que designamos autênticos 7 “Ovos de Colombo” da CDU
1. PROMOVER uma gestão participada e criativa com todos.
Vamos dialogar, debater, inovar, unir, envolver e criar forças e vontades aos diversos níveis. Por exemplo:
Ÿ Todos os vereadores eleitos vão ter pelouros de acordo com a sua especialidade e onde podem assumir responsabilidades;
Ÿ As reuniões ordinárias de Câmara irão ser abertas ao público, onde, quinzenalmente, haverá rotação pelas freguesias do concelho. Estas serão realizadas à noite ou ao fim-de-semana, para que todos queiram, e possam, participar, e assim se sintam envolvidos no desenvolvimento da sua freguesia. Desta forma, de nove em nove meses, todas as freguesias irão ter uma reunião de Câmara no seu território;
Ÿ Serão criados os Conselhos Locais para parcerias activas e para traçar as grandes linhas de cada pelouro (actualmente há dois conselhos criados que não funcionam);
Ÿ Multiplicaremos os projectos – programa com as associações empresariais;
Ÿ Concertaremos as acções com as colectividades e com as IPSS's;
Ÿ Iremos potenciar a cultura, o desporto, o recreio e a intervenção social integrada, que tem de ser valorizada;
Ÿ Daremos força e meios aos voluntários, aos “carolas” (animando mais e reactivando espaços associativos);
Ÿ As pequenas e as grandes obras e/ou iniciativas, serão devidamente promovidas, através dos meios de informação e com uma exposição pública adequada;
Ÿ Teremos em conta a fixação e a atracção de talentos no nosso concelho; e
Ÿ A comunicação social local será tida em conta, dada a importância decisiva para a participação activa dos munícipes.

2. DESCENTRALIZAR para todas as freguesias mais meios e competências. Como?
Ÿ Contratualizando o que é vantajoso para ambas as partes e de forma transparente no Plano e Orçamento de cada ano;
Ÿ Todos os autarcas das freguesias são parceiros fundamentais para contratualizar mais e melhor obra;
Ÿ Não esqueceremos os membros das assembleias de freguesia, ao mesmo tempo que desenvolveremos políticas aproximadoras da Câmara/SM aos munícipes, em especial, para os que se encontram mais afastados dos Paços do Concelho, onde os transportes públicos teriam uma grande dimensão; e
Ÿ Cada Presidente da Junta será tratado como um vereador da sua Freguesia.

3. CRIAR mais receitas para o município e controlar com rigor a despesa. Onde:
Ÿ O património do município será reabilitado e valorizado;
Ÿ Implementar medidas que incentivem a instalação de novas empresas no concelho;
Ÿ Será implementada uma política rigorosa no que diz respeito ao controle da despesa e uma avaliação na perspectiva custo/benefício de todos os investimentos a serem realizados pela autarquia.


4. PLANEAR e ter projectos em carteira para contratos – programa com o Estado ou para candidaturas a programas da Comunidade Europeia.
Ÿ Será criado o GEMA – Gabinete Estratégico do Município de Alcobaça, a DEI – Divisão Económica Integrada, espaço para ter e atrair IDEIA (Investimento Dinamizador Estratégico Integrado Alcobacense) – também é essencial que passe a existir, com pujança, o PEDAL – Plano Estratégico de Desenvolvimento para Alcobaça
Ÿ O Plano Director Municipal deve acelerar o envolvimento de todos na sua revisão e deve, também, conter, na nossa opinião, a Estratégia Concelhia onde todos se possam rever.
Ÿ O que queremos?
Ÿ Para onde vamos?
Ÿ Que metas/obras atingir no final de 2009?
Ÿ Que grandes objectivos concretizaremos até 2010 ou em 2020?
Ÿ Os Planos de Urbanização e de Pormenor em áreas sensíveis, muitos deles em parceria com os promotores e proprietários têm que avançar mais rapidamente.

5. GERIR muito bem os Recursos Humanos
Ÿ Os trabalhadores da autarquia merecem a máxima atenção;
Ÿ Saberemos moralizar e motivar, através de objectivos partilhados e da valorização do que é feito; e
Ÿ Seremos a favor de empresas municipais que se consigam desenvolver e auto-sustentar, em áreas desconhecidas para os técnicos e trabalhadores da Câmara.

6. RESPEITAR a oposição
Ÿ Temos requerido informação e agendamentos que, muitos deles, ostensivamente contra a lei, estão sem resposta. A lei confere uma série de direitos à oposição, mas até nem era preciso estar consignado na lei. Devia ser natural, que os nossos pedidos de agendamento fossem atendidos e as nossas perguntas fossem respondidas;
Ÿ Os despachos que geram despesas deveriam ir, com regularidade, à reunião de Câmara. Os que precisassem de ser sigilosos, por algum tempo, naturalmente, seriam respeitados;
Ÿ Os agendamentos requeridos são um direito, quer na Câmara quer na Assembleia Municipal. Alguns até foram prometidos e não concretizados; e
Ÿ Somos a favor da liberdade de expressão e de actuação, assim, vamos atribuir condições para a oposição poder preparar as alternativas.
7. REALIZAR debates Estratégicos
· Promover debates que sejam construtivos, temáticos e descentralizados, procurando construir uma outra política local que faça Alcobaça ser Centro, ser uma Marca respeitada e ter os Alcobacenses, cada vez mais felizes;
· Iremos implementar novas práticas políticas, trabalhar, sugerir, criticar, alertar e aplaudir o que de positivo for feito; e
· Queremos fazer mais e melhor onde estão as pessoas, as instituições, as colectividades, as freguesias, as localidades e em todo o Território Alcobacense.



Mas que fique claro o que os munícipes querem não é olhar para o que está feito, é para o que urge fazer.

Temos de Votar CDU a 27 Set e a 11 de Out. Convictamente!

entretanto para alguns distraídos
que não votam sócrates e pensam que a Manuela é melhor
é bom lembrar o que recebi via Juvenal Amado:
Manuela Azeda o Leite no seu melhor......
Manuela no seu melhorAssim, se a chegar ao Governo, a dra. Ferreira Leite extinguirá o pagamento especial por conta que a dra. Ferreira Leite criou em 2001;
a primeira-ministra dra. Ferreira Leite alterará o regime do IVA, que a ministra das Finanças dra. Ferreira Leite, em 2002, aumentou de 17 para 19%;promoverá a motivação e valorização dos funcionários públicos cujos salários a dra. Ferreira Leite congelou em 2003;
consolidará efectiva, e não apenas aparentemente, o défice que a dra. Ferreira Leite maquilhou comreceitas extraordinárias em 2002, 2003 e 2004;
e levará a paz às escolas, onde o desagrado dos alunos com a ministra da Educação dra. Ferreira Leite chegou, em 1994, ao ponto de lhe exibirem os traseiros.
No dia anterior, o delfim Paulo Rangel já tinha preparado os portugueses para o que aí vinha:"A política é autónoma da ética e a ética é autónoma da política".»Manuel António Pina, Jornal de Notícias, 28 de Agosto de 2009.

5.174.(20set2009.11.44') 1.º debate....entrevistas para Tinta Fresca, para a BENEDITA FM e Jornal de Leiria

***










Fiz o seguinte comentário a solicitação da Rádio Cister:

É uma sondagem!
Nós estamos em campanha há 2 dias. Notamos que há uma onda crescente de apoio.
Só agora distribuímos o nosso jornal CDU.
Esperamos convencer os Alcobacenses, mais e mais, de que o OVO de COLOMBO destas eleições, que o voto útil, é na CDU!
No dia 11 de Outubro veremos se temos uma surpresa local e nacional e, mais uma vez, a CDU, contraditando as sondagens, vence mais uma autarquia, no concreto, no sprint final, na meta do dia das eleições.

PSD vai manter maioria absoluta em Alcobaça
O PSD vai manter a maioria absoluta na Câmara de Alcobaça, segundo uma sondagem IPOM - Instituto de Pesquisa de Opinião e Mercado Lda para o REGIÃO DE CISTER.
O estudo de opinião revela que o candidato social-democrata Paulo Inácio recebe a intenção de voto de 42,8% dos eleitores, contra 21,4% do PS e 16% da CDU.
Estes valores já incluem a distribuição aritmética dos eleitores não votantes e dos indecisos, situação que pode alargar um pouco a margem de erro.
Caso se confirmem estes resultados, o PSD elegerá quatro vereadores, o que lhe permitirá manter a maioria absoluta no executivo. Contudo, os social-democratas terão um resultado inferior ao registado há quatro anos, perdendo um vereador para o PS.
Depois de em 2005 terem registado o pior resultado de sempre em Alcobaça, os socialistas vão subir a votação, mas ficam muito de longe de ameaçar a supremacia do PSD.
A CDU surge no terceiro lugar, com 16% das intenções de voto, valores que apenas permitirão a reeleição de Rogério Raimundo para o executivo municipal.
O Movimento Cívico Independente de Alcobaça, liderado por José Pedrosa, deve quedar-se pelos 7,5%, não sendo suficiente para a eleição de um vereador, tal como BE e CDS, com 6,6% e 2,2%, respectivamente.
O IPOM é uma empresa acreditada para a realização de estudos de opinião, tendo vindo a efectuar, há mais de uma década, vários sondagens para o "Jornal de Leiria".
a notícia da cister.fm

Sondagem dá maioria a Paulo Inácio nas autárquicas
Uma sondagem do Semanário Região de Cister dá maioria absoluta ao PSD nas autárquicas de 11 de Outubro para a Câmara Municipal de Alcobaça.
De acordo com este estudo, Paulo Inácio surge com 42,8% das intenções de voto enquanto o PS, que lançou Acácio Barbosa como cabeça de lista, recolhe 21,4 por cento das intenções de voto, e a CDU, encabeçada por Rogério Raimundo, não vai além dos 16 pontos percentuais.
José Pedrosa, candidato do Movimento Cívico Independente de Alcobaça, fica-se pelos 7,5%, Adelino Granja, do Bloco de Esquerda, não ultrapassa os 6,6 por cento e o CDS, liderado pela candidatura de Esteves de Carvalho, regista apenas 2,2 por cento dos votos.
A sondagem elaborada pelo Instituto de Pesquisa de Opinião e Mercado, adianta que o PSD elegerá quatro vereadores, perdendo, deste modo, um para o PS, e a CDU manterá Rogério Raimundo como único representante na autarquia.
Nas reacções, Paulo Inácio, do PSD, sem entrar em euforia, afirma-se "satisfeito com o resultado". O social democrata, que se mostra "confiante" por acreditar que as suas ideias "são boas", sublinha que o resultado desta ou de quaisquer sondagens deve ser encarado com "humildade", garantindo também que aceitará "aquilo que o povo decidir" no próximo dia 11 de Outubro.
Por seu lado, Acácio Barbosa garante que a verdadeira sondagem será a do dia 11 de Outubro, onde "os munícipes de Alcobaça terão a oportunidade de escolher entre o PSD e o PS".
As declarações de José Acácio Barbosa foram efectuadas antes de o candidato ter lido em detalhe a sondagem que permite aos socialistas elegerem dois vereadores.
Pela parte da CDU, Rogério Raimundo acredita que irá conseguir alterar as intenções de voto dos alcobacenses durante a campanha eleitoral. O actual vereador da Coligação Democrática Unitária afirma-se capaz de alterar as intenções de voto de muitos alcobacenses, através de uma mensagem apoiada em "sete ovos de Colombo", medidas que garante serem do interesse dos eleitores do município.
Mais duras foram as palavras dos cabeças-de-lista dos partidos que menos intenções de voto recolhem nesta sondagem, com José Pedrosa, do Movimento Cívico Independente de Alcobaça, a não atribuir "qualquer credibilidade" ao trabalho publicado no Região de Cister.
O independente lembra que o trabalho colocava questões que não se relacionam a realidade, nomeadamente se os mais de 560 entrevistados veriam com bons olhos uma recandidatura de Gonçalves Sapinho, actual presidente, eleito pelo PSD, e se Alcobaça deveria optar por Leiria-Fátima ou o Oeste, no que às regiões de turismo diz respeito.
Adelino Granja, do Bloco de Esquerda, não acredita no resultado da sondagem, mostrando-se céptico quanto à possibilidade de o Partido Social Democrata obter uma vitória por maioria absoluta, para além de acreditar que os partidos da esquerda (PS, BE e CDU) irão ter uma forte votação no dia 11 de Outubro. Granja acredita que o Bloco irá conseguir chegar pelo menos à vereação do executivo camarário.
Já Jorge Esteves de Carvalho, do CDS-PP, não acredita que o PSD perca apenas um vereador em relação às autárquicas de 2005, argumentando que o partido maioritário do actual executivo defraudou os alcobacenses há 4 anos e que isso irá reflectir-se nas autárquicas de 2009. Quanto ao PS, Esteves de Carvalho afirma que a imagem que o partido do governo deixou no país, através do aumento dos impostos e do desemprego, terá consequências nas eleições de Alcobaça.
***
entrevista para a Benedita fm
Se nos quiserem ouvir
outra vez ou pela 1ª
repete das 12 às 14h
na 88.1 FM rádio benedita
no próximo sábado
5 de Set.2009
Agradecemos as críticas e as sugestões...

Estivemos: Rogério Raimundo, Vanda Marques e Basílio Martins (candidatos à Câmara), Celeste Nicolau (candidata a PJunta da Benedita) e Felisberto Matos (candidato à AMunicipal)

Numa síntese do que dissemos,
tendo em conta que falávamos para uma Rádio que claramente tem mais ouvintes na Benedita, Turquel e Vimeiro:
- Temos a estratégia dos 7 ovos de colombo...
- Vamos unir todo o concelho de Alcobaça...
- Vamos criar emprego aproveitando a história e a identidade das terras e das pessoas...
- Vamos apostar na Terra d'arte e d'artistas... Fazer da Cultura, do património e do turismo uma força que permita integrar as micro, pequenas e médias empresas num projecto em que faremos de Alcobaça uma atracção para os jovens Talentos que perdemos ao longo destes últimos anos...
- Defendemos novas práticas que tenham em conta o desenvolvimento harmonioso das nossas crianças: incentivo para a leitura, carrinha itinerante, cenas permanentes de recreação da lenda do Almansor e de Pedro e Inês...
- Vamos reclamar um novo Hospital e um novo Centro de saúde na Cidade de Alcobaça, como condição básica do seu desenvolvimento. O centro o coração do concelho tem de ter a pulsar um sistema de atendimento qualificado na saúde e não a confusão actual d'estacionamento e de edifícios que não têm remodelação...
- Discordamos que o Hospital Bernardino Oliveira, na cidade de Alcobaça, feche como está escrito no estudo do Dr. Bessa, aprovado pela maioria PSD/Sapinho, quando eventualmente houver um novo hospital em Alfeizerão ou nas Caldas...
- É uma vergonha que estejam a construir os Centros Escolares da benedita e de Alcobaça, bem como o Pavilhão Gimnodesportivo de Évora sem ter ido a reunião de câmara, nem o projecto de arquitectura, nem o seu licenciamento.
- Há quem diga que se trabalhou muito bem na educação... Mas a que chegámos nestes 12 anos de gestão maioritária do PSD/Sapinho? Escola do 1º ciclo de Alcobaça em contentores...Escola da Benedita superlotada...Escola do 1º ciclo de Pataias superlotada...Escolas do 1º ciclo da Martingança, da Cela, de Prazeres, de SMartinho do Porto e de tantas outras , sem refeitório qualificado e sem salas de expressão ou polivalentes...
- 2,8M€ por ano, em 25 anos é quanto irá custar estas 3 obras "clandestinas" que a empresa MRG já está em construção, através da empresa Cister Equipamentos, presidida pelo Vereador Hermínio Rodrigues...Votei contra esta tonteira de custos!!!
- Vamos ter Lojas do Município, políticas aproximadoras, fazendo com que as freguesias e ligares mais distantes se sintam todos de Alcobaça e os do centro do concelho sintam as freguesias mais distantes!
- Defendemos uma Feira de São bernardo de 20 a 30 de Agosto, em que cada dia houve uma temática e uma ou 2 freguesias em destaque. Uma Feira que soubesse receber os nossos imigrantes e que soubesse relevar as nossas geminações...Os espectáculos terão muitos bons artistas mas terão a componente dos artistas de alcobaça... A força das colectividades tinha que estar representada...Defendemos uam Comissão com representantes das forças-vivas....Queremos uma Feira que seja uma festa da coesão concelhia com vai-vém de cada freguesia mais distante...
- Discordámos do movimento SMartinho para as Caldas embora compreendêssemos os seus descontentamentos...
- Concretizaremos a nova governação com todos os autarcas, reunindo de 15 em 15 dias, numa freguesia, vendo a obra e a necessidade de realizar, reunindo com os autarcas todos da freguesia e tendo espaço para atendimento público...Assim, pelo menos, de 9 em 9 meses reunimos de novo com cada freguesia...
- Falámos que teríamos feito a Zona Industrial entre Turquel e Benedita, enquanto expropiávamos a Quinta da Serra em vez de termos entrado naquela negociação ruinosa para as finanças do município...Ao fim de 12 anos não temos solução para as empresas se implantarem para Turquel/Benedita/Vimeiro...
- Lembrámos o que defendemos para a EN8.6, Alcobaça, Évora, Turquel e Benedita... O seu alargamento em vários troços, para evitarmos o que acontece sistemáticamente de andarmos km e km a 10km/h atrás de 1 tractorzito...
- Vamos criar saídas profissionais e apostar no ensino profissional...
- Há quem esteja contente com os Presidentes de Câmara da Benedita...Mas o que fizeram pela Benedita??? Que belos exemplos de bom urbanismo???O monstro do prédio Tomás Fonseca, porque não teve solução? a Praça Damasceno Campos e os sanitários são uma vergonha para uma Vila com quase 10 mil habitantes...Onde estão os espaços verdes??
- Defendemos a tese de que Alcobaça esyat no Turismo do Oeste é secundário. O importante é a prática. É a nossa capacidade em atrair turistas que fiquem em Alcobaça para fruírem as nossas belas paisagens, marcas, monumentos, tradições e costumes...
- Tb argumentámos que temos de saber fazer como São Bernardo, que sem autoestradas em poucos anos multiplicou conventos e abadias por todo o mundo, qual é os egredo: convicção. Temos de saber exportar o que produzimos.
- Tb defendemos a regionalização a sério, com a Lezíria, o Médio Tejo o Oeste, mas naturalmente os nossos vizinhos da Marinha Grande, Leiria, Batalha e Porto de Mós. Temos muitas afinidades com Santarém, por causa da história e pela arte gótica.
- Tb lembrámos que abraçamos a Nazaré e que temos de potenciar esta dupla magnífica Nazaré Alcobaça. Nazaré tem mar como nós. Eles têm ido a feiras e temos tido 12 anos completamente passivos.
- Terminámos apelando ao voto na CDU... Demos o exemplo de Peniche...Só em 2005 a CDU venceu pela 1ª vez e se lá forem verificarão que as pessoas estão satisfeitas com a forma de governar CDU... temos programa e temos equipa renovada...
AGORA É QUE É!
***
Dada a 13 de Setembro de 2009
Idade:58
Profissão: Professor de Matemática durante 30 anos lectivos
Naturalidade:Cela-Alcobaça (onde resido)
Principais pontos do seu programa eleitoral:
Para os leitores do prestigiado Jornal de Leiria começo por convidar: temos de lutar por uma nova região que envolva o Oeste, o Médio Tejo, a Lezíria e os municípios do Pinhal Litoral. Somos a diferença e temos 7 Ovos de Colombo na governação CDU. Temos Experiência e Projecto Alternativo em 29 Áreas. Os leitores interessados poderão consultar http://www.uniralcobaca.blogspot.com/
1 – Quais os principais problemas que identifica no seu concelho?
Muito esbanjamento e desaproveitamento das competências e saberes. Falta de estratégia que una vontades e projectos. Falta a capacidade de envolvimento que permita potenciar os Talentos que temos no nosso concelho. Falta construir tendo em conta as necessidades efectivas. Somos a solução para unir todo o concelho de Alcobaça
2 – Que soluções apresenta para os resolver?
Convicção, Experiência, Projecto e Equipa!
3 –Porque é que os eleitores devem votar na sua lista?
Porque para Mudar as más práticas de gestão PSD do município, só a CDU tem provas dadas de que é capaz de Unir e Construir uma governação com estratégia, participada, descentralizada com responsabilização, desenvolvendo economicamente, motivando trabalhadores e instituições, fomentando conversas públicas temáticas...
***
17set2009
Sobre o 1º debate entre os candidatos à Presidência da Câmara
Apesar do pouco tempo...
No final ficou claro que SOMOS A DIFERENÇA
e que o voto útil é na CDU!!!

O que ainda recordo que disse:

Sobre as Finanças:
- Estamos preocupados mas não vamos fazer, quando liderarmos a Câmara em Outubro, como o PSD fez em 1998 com o 1 milhão de dívida deixada pelo PS.
- As contas são apresentadas todos os anos. O que nos preocupa não são os números impressionantes que estão registados, nomeadamente, nas contas de 2008 aprovadas pela maioria PSD na Câmara e Assembleia. O que nos preocupa é o que não está registado e é a ilegalidade, o aproveitamento de meios para fazer campanha ilegal e de obras ilegais que se vão repercurtir durante 25 anos e 3 meses. Refiro-me concretamente a 3 obras ilegais, sem estarem aprovadas em câmara, sem alvará de construção, decididas pela empresa municipal e pela Cister Equipamentos presidida pelo Vereador Hermínio Rodrigues, 2º da lista candidata pelo PSD. Segundo os números do representante da CGD em reunião de câmara que impôs alteração das regras da empresa, custarão 2,8M€ por ano, em 25 anos...É fácil fazer obra para os vindouros pagarem...
- Temos os números (e as nossas posições) divulgados pelo mailing list, pelo blogue e pelos sites onde todos podem beber a informação para poderem ter opinião!
- Temos vários dossiers complicados. O da água em alta que era para estar em 2005 e depois foi adiada e novamente adiada. O que o PSD e o PS assinaram com a Águas do Oeste é entregar a receita actual dos SM toda à empresa Águas do oeste, porque não souberam negociar em defesa dos interesses dos munícipes.
- O outro é o das ETAR's. Entregaram o "oiro ao bandido" dissemos nós no voto contra. O PS e o PSD deram de borla as ETAR's onde os SM tratavam dos efluentes a 33$00 o metro cúbico e de imediato, passaram a pagar (com muito atraso) 100$00. Além dos custos na factura para os munícipes, há um desequilíbrio permanente financeiro...

sobre a economia
- Espantoso. O candidato Paulo Inácio fala em não haver + contratação externa...Mas o PSD não está há 12 anos na Câmara? Quer partir para outra? Nestes meses entregou parte do nosso futuro a uma empresa de Seia. Foram arquitectos, engenheiros e se forem às 3 obras em curso, vejam quantos trabalhadores são de Alcobaça...Motoristas Condutores de máquinas...
- Vamos para a Águas do Oeste. Quantos trabalahdores esta empresa intermunicipal contratou de Alcobaça para tratarem das ETAR's? 2 de SMPorto! O resto são todos de Óbidos, Caldas...Com estes fluxos financeiros imensos para estas empresas perdemos salários para os alcobacenses, para a economia dos micro e médios empresários, para o comércio local...

sobre o Centro Histórico e o Mosteiro
- Centro duma nova região. É o prestigiado Região de Leiria que nos convidou para estarmos aqui. Leiria está a partir-se. Acho que o PSD de Alcobaça esteve péssimo neste fraccionar do distrito de Leiria. Nós temos a ideia, desde 1998, que temos de ter um binómio dinâmico com a nossa Vizinha Nazaré, que abraçamos. É uma dupla magnífica. Mas o mesmo para os binómios com cada vizinho. Caldas, Rio Maior, mas também a norte: Marinha, Leiria, Batalha, Porto de Mós... Desafiamos os candidatos a acompanharem-nos nesta luta por uma região entre Lisboa e Coimbra em que através da Abadia/Mosteiro de Alcobaça sejamos centro...
- PSD nestes 12 anos também não foi centro de Cister. Criticámos sempre o não terem mexido uma palha na Associação de Municípios de Cister nestes 12 anos. A capacidade da ordem de Cister, que em tão poucos anos, estruturou uma rede de Mosteiros, sabiamente implantados, sem nenhuma auto-estrada, devia inspirar-nos para agora, com as nossas competências e imensas potencialidades sermos capazes de expandir os nossos produtos pelo mundo fora...Ainda com Cister é fundamental que se desenvolva a nossa proposta da Rota Europeia de Cister. Uma rede impressionante de municípios que temos de saber unir e render para a cooperação a todos os níveis. Foi uma ideia nossa interpretada pela nossa deputada Ilda Figueiredo e que conseguiu abrir uma rubrica com esse caminho: Rota Europeia de Cister.
- Nós queremos um centro forte. Sem pessoas a habitarem o Centro Histórico. Quantas evzes defendemos o RECRIA e o PROHABITA e outras formas de fazer com que os proprietários restaurassem os prédios em ruína?
- Temos de ter uma animação permanente do ponto de vista cultural.
- Mas o volume devoluto da Abadia de Alcobaça tem de ter solução. Temos de acabar com o blá-blá dos governos PS/PSD/CDS e temos de agir pelo interesse de Alcobaça e dos Alcobacenses.
- No hospital temos uma ruptura completa. No negócio da compra da Quinta da Cela.

sobre o Turismo
- é um vector estratégico que o PSD deixou tb sem estratégia.
- Hoje estamos aqui numa conversa muito interessante em que provamos que podemos até chegar a alguns pontos de consenso. Nós temos andado desde Maio em Conversas Públicas temáticas. Convidamos todos. Temos tido a presença de alguns autarcas das freguesias mas aqui os colegas deste debate nunca quiseram conversar com princípio, meio e fim...Nós temos apresentado em todas as freguesias a questão da Identidade e da História das terras e dos lugares do nosso concelho. Não é só o Pedro e a Inês ou os fornos de cal que já referiram..Temos várias lendas para recrear e fazer um calendário de permanente actividade cultural por todo o concelho... a lenda d'almansor...Ontem estivemos em Alfeizerão e a Lenda da Zaira...Na Martingança estivemos a ver por exemplo a resina, o pez, a cal hidráulica e o recrear da vinda do carvão de Porto de Mós até à estação de caminho de ferro...O ferroviário da Linha do Oeste...
Também estivemos em Aljubarrota e além do que se faz bem na Feira Medieval, vimos que temos de criar postos de trabalho permanente para amplair a mobilização que já existe nas colectividades. temos que + e + irem vestidos em trajes correctos da época, feitos por cooperativas de artesãos. Mas também os instrumentos...
Também vimos os habitat's magníficos que temos...O circuito da pedra. Da água...12 anos sem o PSD intervir na verhonha da ex- Nutrigado, no valorizar da beira rio, o nasce-água, o Poço Suão...
Alegações Finais
- Temos defendido ao longo destes anos todos...Não são 20 como diz o candidato Acácio Barbosa, são 29!!! Cheios de Força, não só na Política contra os maus governos do PS, PSD e CDS na administração central e aqui em Alcobaça, mas também nas causas onde tenho obra concretizada, nas colectividades...E continuo cheio de força e com mais experiência para servir as causas!
- Temos apresentado os 7 ovos de Colombo. A Estratégia é uma delas. O PEDAL. O Plano Estratégico de Desenvolvimento de Alcobaça. O GEMA. O gabinete de Estratégia do município...
Peniche só tem CDU a liderar a câmara desde 2005. Foi a 1ª vez. Nestes 4 anos construiu o seu Plano Estratégico que foi aprovado por todas as forças políticas na câmara. Têm um docuemnto onde todos se revêem.Os alcobacenses têm de ter CORAGEM para MUDAR para ver como é a governação nova. 7 Ovos de Colombo. 7 soluções, simples, mas que não estão implementadas...
***
7out2009
Tinta Fresca perguntou e eu respondi muito rapidamente visto que a campanha da CDU...
ver mais tarde em http://www.tintafresca.net/

Economia

Uma das marcas do actual Executivo municipal foram as obras públicas, onde se gastou muito dinheiro, embora alguns possam argumentar que foi dinheiro bem gasto. No entanto, que seja público, não houve grande empenhamento em trazer empresas para Alcobaça. O que propõe a CDU neste capítulo da economia?
É uma das práticas erradas que temos de alterar. A Água, o saneamento, o lixo, os centros escolares, são exemplos de grandes fluxos financeiros que não têm retorno em empresas locais, em trabalho e em salário estável para os Alcobacenses.
Todo o investimento tem de ter estratégia de emprego e salário estável para Alcobacenses.
Ainda hoje, em reunião de câmara, o PSD e o vereador do PS aprovaram, à pressa, um protocolo muito estranho para criar emprego temporário num Call Center. Solicitei tempo para ponderar. Não me deram. Só tive acesso oral no momento da votação. Acho que poderá ser um buracão, um precedente gravíssimo. Se esta empresa tem este apoio, naturalmente toda e qualquer empresa deverá exigir iguais contrapartidas. Uma empresa para se implantar no Casal da Areia tem de pagar o Lote por um dinheirão e fazer as obras que custam imenso. Como podemos discriminar positivamente esta empresa de trabalho temporário??? E os actuais empresários do concelho como podem aceitar estas práticas discriminatórias??? A Câmara compromete-se a arranjar o espaço e pagar uma renda de 2500€ por mês, mais as obras… Vou ter de ler com atenção o conteúdo de protocolo quando me derem uma cópia… Já não chegava a pouca vergonha de construções ilegais pela Cister Equipamentos e a não resposta de Presidente, vereadores PSD, Presidente da Assembleia Municipal e candidato a Presidente de Câmara. Que péssima ponta final de mandato!!!

Há queixas de que os preços dos terrenos na Zona Industrial do Casal da Areia não são competitivos. O que propõe a CDU?
Nós defendemos a criação de um Plano Estratégico de Desenvolvimento de Alcobaça (PEDAL), a nossa Magna Carta, construída com todos, onde todos nos revejamos. Os empresários têm de serem envolvidos na gestão desta Zona Industrial, bem como a Junta de freguesia para tratarmos das grandes metas e dos pequenos pormenores. Daí partiremos para a questão que também é importante dos critérios e do preço de cada lote.

O programa Finicia em Alcobaça, tanto quanto é público, não teve qualquer projecto financiado. Comentário?
Muita pompa e circunstância há 3 anos e zero no concreto.

A construção da ALE da Benedita não irá ser uma realidade para breve e, por outro lado, tem vários concelhos vizinhos com zonas industriais junto aos nós das auto-estradas. Soluções?
O que defendemos em 2000 era que a zona reservada no PDM (entre Turquel e Benedita, no Orjo) fosse construída enquanto a Quinta da Serra fosse negociada (foi mal) e a ALE fosse projectada (ainda não a vi em reunião de câmara).
Temos na actual IC2, a maior avenida do concelho, que tem de ter marketing para todo o nosso concelho (neste momento o que é divulgado é a sopa no km88). Pode ser o maior Centro Comercial e Industrial e aí podemos colocar bolsas de resposta imediata. Em cada freguesia tem de haver pequenas bolsas que possam criar empresas para produzir e para empregar perto.

E quanto às micro, pequenas e médias empresas, de que tanto se fala, o que propõe a CDU?
Para além das políticas nacionais que têm de reduzir os custos da energia e a carga fiscal, saberemos incentivar a sua criação e o seu funcionamento com políticas locais. O Ovo de Colombo está no envolver as associações e os empresários e implementar iniciativas que ajudem a exportar a Marca Alcobaça, com todos os produtos específicos e com incentivos nos Impostos e taxas locais.

Vai abrir uma porta de diálogo com os comerciantes de Alcobaça?
Porta aberta para experimentarmos as suas soluções e permanente diálogo para com os comerciantes, para tornarmos bem vivos os centros da cidade, das Vilas e dos lugares. Os comerciantes têm um papel fundamental nas respostas integradas para o Turismo, para os eventos…

A Câmara está formatada para as obras públicas. Se vencer, pensa contratar especialistas na área da microeconomia e gestão para o assessorarem?
Pela História, pelo Património e pela Cultura temos soluções que queremos propor no Plano Estratégico, no GEMA (Gabinete Estratégico do Município de Alcobaça), que queremos estrutura leve, com as competências que a pergunta suscita. Temos a noção de que precisamos mais de desenvolver medidas que levem ao apoio concreto de projectos e ideias do que estar a criar “Agências”, “Incubadoras”, estruturas pesadas.

Alcobaça continua a ser também um concelho agrícola, mas também não se conhece grande cooperação com o município. Das poucas iniciativas conhecidas, o “Mundo da Maçã” deixou mesmo de se realizar em Alcobaça. A Feira Agrícola também não se realizou este ano, segundo sei. Vai ouvir os agricultores e as suas associações?
A estratégia vai com certeza ter esse vector como identidade do desenvolvimento de Alcobaça, interligado com o património do insigne Joaquim Vieira Natividade e assim as associações e os agricultores sentirão no terreno como germinar projectos e acções.

Cultura

A CDU concorda com a programação seguida pelo Cine-Teatro de Alcobaça nos últimos anos?
Temos tido uma programação excelente e o espaço tem estado aberto às colectividades e à comunidade. Temos criticado os preços dos bilhetes e o facto de, em alguns eventos, termos pouco público porque não há políticas aproximadoras e inclusivas, que incentivem os Alcobacenses das freguesias/colectividades a beneficiarem desses belos espectáculos.

Alcobaça não tem actualmente um único museu aberto. Dos dois que existiam na cidade, um fechou e o outro faliu. O Museu dos Coutos de Alcobaça não saiu do papel. Num concelho com mais de oito séculos de história e um monumento Património da Humanidade, não é um contra-senso, sabendo que são os museus que “obrigam” os turistas a ficar mais tempo nas cidades? As feiras podem ter muito êxito, mas duram de três a cinco dias, depois não se passa nada. Se ganhar, alterará a política cultural da Câmara?
Defendemos, contra a opinião da maioria PSD, que o Museu Nacional do Vinho não devia fechar enquanto decorressem as obras necessárias de restauro e qualificação. O Museu e a fábrica Raul da Bernarda foi um processo mal acompanhado. Não houve mobilização dos Alcobacenses pelo Museu da Abadia, pelo Museu Vieira Natividade e pela criação do Museu dos Coutos. Temos de fazer essa diferença se o Povo nos der a liderança da Câmara.

Museu (s) no Mosteiro ou fora dele?
Defendemos a cidade Museu polinucleada com vários Museus, sendo a Abadia Património Mundial o centro da Cidade, do concelho, da região, dos Municípios Portugueses de Cister, da Rota Europeia de Cister. Saberemos encontrar soluções museológicas de qualidade nas freguesias que possam estar em roteiros e façam desenvolver as Terras. Por exemplo as Parreitas no Bárrio. Outro exemplo: a Gastronomia, Folclore, Máquinas Falantes na Cela Velha.

Na cidade também não existe nada que potencie o mito de Pedro e Inês. Em Verona, a casa de Romeu e Julieta foi inventada pelo município para ser um chamariz para os turistas. Um seu colega na Assembleia Municipal propôs um parque temático dedicado ao Mosteiro e aos Monges de Cister. Qual é a sua ideia para Alcobaça?
Falou-se muito de Pedro e Inês, realizou-se o Ano Ineseano com grande sucesso, mas continuou a faltar a actividade permanente e regular que atraia pessoas à cidade e ao concelho. O Dr. Loureiro tem feito um belo trabalho de investigação, publicado no Voz de Alcobaça, sobre o mito que referiu. Em relação ao projecto aprovado em Assembleia, saberei envolver José Serralheiro, de forma a tentarmos a concretização da ideia. O nosso programa está em http://www.uniralcobaca.org/
Temos todos de nos unir à volta de causas e de projectos, mas como já disse, temos de ter uma estratégia para a Abadia, para a cidade, para as freguesias, para as marcas e depois virão as medidas a curto, médio e longo prazo.

Os turistas deixaram de estacionar em frente ao Mosteiro de Alcobaça, a ideia do actual executivo com o projecto de requalificação urbana era que os turistas circulassem pela cidade e se tornassem também consumidores, mas agora os grupos excursionistas fazem 300 metros em fila indiana até ao Mosteiro, sem parar, e continuam a não comprar quase nada na cidade. O que fazer para inverter esta situação?
Temos de ter estratégia, criar atracções, hotelaria e saber trabalhar com as agências de viagens e até com os motoristas e guias. Na actualidade há uma alteração para os carros ligeiros. Está a ser experimentada, sem cobertura de nenhum regulamento da câmara, o estacionamento em frente à Ala Sul, discriminando os que pagam legalmente nos parquímetros.

O Mosteiro vai continuar ad eternum quase vazio e em dialogo sem fim com o IGESPAR?
Santarém conseguiu que o Ministério da Cultura lhe entregasse o Convento de São Francisco, que esteve entregue ao Estado mais de 100 anos. Que papel vai ter aí a Câmara de Alcobaça?
Não tenho dúvidas que o Estado vai passar à câmara grande parte da Abadia. Temos que saber o que queremos. Hoje, na reunião de câmara, Presidente Sapinho revelou que recebeu há poucos dias, o estudo estratégico do Prof. Augusto Mateus exactamente para o que fazer da Abadia, prometido para Maio de 2009. Naturalmente temos que o conhecer e discutir.
Associações

Temos, creio que duas centenas de associações culturais e desportivas. Como apoiar tanta gente de boa vontade, com recursos tão limitados?
Tenho muitos anos de dirigente associativo. No CCCela que hoje perfaz 36 anos de vida construímos com sonhos e envolvimentos a segunda empresa empregadora da freguesia da Cela. Temos 55 trabalhadores. A Cultura, o desporto, as respostas sociais podem ser factor de desenvolvimento. Podemos trabalhar os projectos que a Nova União apresentou. Com pouco podemos fazer muito. As colectividades precisam de incentivos para fazerem o que tão bem sabem. Passo a passo com pouco têm feito imenso! Com a CDU a governar a cultura e as colectividades verão outro ritmo e outro respeito pelo voluntariado que é das riquezas maiores do nosso concelho.

Urbanismo

Partilha da ideia de aumentar a população da cidade de Alcobaça para o dobro? Acredita no sucesso da Nova Alcobaça e da Quinta da Conceição?
Tenho dúvidas mas temos de saber trabalhar com visão e com os pés bem assentes nas necessidades concretas. Só com inteligência aplicada à necessidade efectiva é que podemos criar as respostas de desenvolvimento. O projecto da Nova Alcobaça é privado. Os terrenos da Quinta da Conceição são em grande parte do município e poderão ter um Plano de Pormenor que valorize outras apostas que poderão suscitar criação de empresas não poluentes e criação de emprego que urge.

Quer contrariar a dispersão urbanística ou, pelo contrário, permitir que as pessoas possam fazer as suas casas nas terras herdadas dos pais e avós, sabendo também que isso tem custos importantes para o município ao nível das infra-estruturas (acessos, saneamento básico, etc.)?
A revisão do PDM foi tratada duma forma fechada e sectária sem divulgação dos sucessivos estudos que já estão concluídos e foi adiada para o próximo mandato. O equilíbrio entre o que está e o que as freguesias precisam para se desenvolverem vai ser um dos problemas a dirimir muito em breve, com as limitações que o PROTOVT já impôs, quase sem debate.

Relações com municípios vizinhos

Alcobaça tem perdido quase todas as grandes infra-estruturas regionais. A sede da AMO, a sede da Águas do Oeste, a sede do Tribunal Regional do Oeste, as escolas superiores e corre o sério risco de perder o Hospital Oeste Norte. Não acha que a integração da AMO tem sido um mau negócio para Alcobaça, que está reduzido a uma situação de periferia. Estando longe do centro do Oeste, seguindo os critérios actuais, não poderá sediar nenhuma grande instituição...
Temos criticado muito a actuação da maioria PSD no Oeste. Temos estado a leste e temos perdido emprego estável ao mesmo tempo que pagamos imenso nas empresas intermunicipais das Águas, do saneamento e do lixo.
Sempre defendemos que Alcobaça não devia desligar-se do Norte do distrito de Leiria. Defendemos a criação duma região administrativa que fique entre Coimbra e Lisboa. Pelo menos com o Oeste, a Lezíria, o Médio Tejo, mas também os municípios vizinhos da Marinha Grande, de Leiria, da Batalha, de Porto de Mós…

Qual é a sua posição face ao HON e ao Hospital de Alcobaça?
O Hospital Bernardino Oliveira já está integrado na direcção do Hospital Oeste Norte. Temos defendido que o nosso Hospital na cidade não pode fechar, mesmo que seja construído o HON em Alfeizerão. Sem hospital na cidade esta não se desenvolve.

Considera que a compra da Quinta da Cela, em Alfeizerão, foi precipitada?
Votámos contra em câmara e Assembleia Municipal porque é uma competência do Estado construir Hospitais. No mínimo devíamos ter a indicação precisa do governo que era naquela propriedade que iria ser construída. O negócio foi mal conduzido e precipitado.

A Câmara deve pedir uma indemnização ao Estado, se a opção não for a anunciada construção do HON, mas a ampliação do Hospital das Caldas de que se fala?
Com que sustentação? O estudo da Escola Superior de Gestão do Porto não tem qualquer vínculo, nem dá direito nenhum. Por outro prisma até é prejudicial a Alcobaça porque aponta que o Hospital Bernardino Oliveira fecha e é entregue à Misericórdia para uma Unidade de Continuados, independentemente do HON ser construído em Alfeizerão ou em Caldas.

Relação com os munícipes

A Presidência de Gonçalves Sapinho foi marcada por um pendor dirigista, fazia o que achava melhor para Alcobaça, mas, segundo algumas pessoas, ouvia pouco as pessoas. O caso dos comerciantes de Alcobaça é um exemplo, onde houve praticamente sempre um diálogo de surdos e não houve cooperação, ao contrário sucedeu de outros municípios vizinhos. A situação irá mudar se o Rogério Raimundo ganhar a presidência da Câmara?
Os Ovos de Colombo da nossa governação têm bem expressos os verbos que conjugamos. O primeiro é: PROMOVER uma gestão participada e criativa com todos.
Vamos dialogar, debater, inovar, unir, envolver e criar forças e vontades aos diversos níveis. Todos os vereadores eleitos vão ter pelouros de acordo com a sua especialidade e onde podem assumir responsabilidades;
As reuniões ordinárias de Câmara irão ser abertas ao público, onde, quinzenalmente, haverá rotação pelas freguesias do concelho. Estas serão realizadas à noite ou ao fim-de-semana, para que todos queiram, e possam, participar, e assim se sintam envolvidos no desenvolvimento da sua freguesia. Desta forma, de nove em nove meses, todas as freguesias irão ter uma reunião de Câmara no seu território;
Serão criados os Conselhos Locais para parcerias activas e para traçar as grandes linhas de cada pelouro (actualmente há dois conselhos criados que não funcionam);
Multiplicaremos os projectos – programa com as associações empresariais;
Concertaremos as acções com as colectividades e com as IPSS's;
Iremos potenciar a cultura, o desporto, o recreio e a intervenção social integrada, que tem de ser valorizada;
Daremos força e meios aos voluntários, aos “carolas” (animando mais e reactivando espaços associativos);
As pequenas e as grandes obras e/ou iniciativas, serão devidamente promovidas, através dos meios de informação e com uma exposição pública adequada;
Teremos em conta a fixação e a atracção de talentos no nosso concelho; e
A comunicação social local será tida em conta, dada a importância decisiva para a participação activa dos munícipes.

Análise política


O crescimento do Bloco de Esquerda pode ser uma ameaça ao avanço da CDU em Alcobaça?
A experiência de 2005 dá-nos confiança de que as pessoas distinguem bem as eleições legislativas das autárquicas.

Porque devem os eleitores de esquerda votar na CDU/Rogério Raimundo e não no PS ou BE?
Pela experiência, pela convicção, pelo projecto e pela equipa.

Acredita que Paulo Inácio, com uma nova equipa, poderá imprimir uma “Nova Dinâmica” ao concelho?
Hoje 6 Out em plena campanha eleitoral digo que as eleições de 11 de Outubro devem fazer uma surpresa: dar a maioria à CDU para governar Alcobaça! É aí que está o OVO de COLOMBO destas eleições.
***
20set2009
Versão resumida do programa eleitoral CDU Alcobaça 2009
Como poderão ler, este resumo do programa eleitoral da CDU Alcobaça, assenta muito nas nossas propostas de Janeiro de 2009, quando concluímos as 29 Frentes Negativas.
Agradecemos a vossa análise, crítica e sugestão.

1. PLANEAMENTO ESTRATÉGICO
Na civilização moderna, um planeamento estratégico assume uma relevância de tal modo importante que todas as empresas, cidades e até mesmo países se vêm na obrigação de possuir um plano coerente e que vá ao encontro das necessidades. Com base nisso, pretendemos criar um planeamento à medida do nosso concelho: PEDAL – Planeamento Estratégico de Desenvolvimento de Alcobaça.
Para que este planeamento não se fique apenas pelo papel, é necessário haver uma entidade que coordene todo o processo e que se torne responsável pela execução do mesmo, para tal, nascerá o GEMA – Gabinete Estratégico do Município de Alcobaça.
Vamos CONSTRUIR UM RUMO com os Alcobacenses, para os Alcobacenses. Para tal pretendemos:
· Apostar na diversidade do Concelho, na sua identidade e nos seus recursos;
· Dinamizar a actividade económica, geradora de emprego;
· Aproveitar sinergias para potenciar resultados;
· Planear, Organizar, Executar, Avaliar e Valorizar ideias e potencialidades;
· Dinamizar o Gabinete de Apoio ao Empresário (GAE);
· Rever o PDM (Plano Director Municipal);
· Reduzir a Derrama para as Micro, Pequenas e Médias Empresas;
· Animar o comércio local;
· Promover a Marca Alcobaça;
· Apoiar e promover a Agricultura, apostando nos recursos da terra, fruta e derivados, legumes, vinho e derivados; e
· Valorizar a Restauração, com a afirmação de uma Gastronomia local. Pretendemos promover e apoiar o Marketing local, incrementando inovação e qualidade.

2. CULTURA
Terra permanente de Cultura. Terra d’Arte, d’Artistas, d'Artesãos, de Valores e Referenciais! Assim, queremos:
· Valorizar o Pelouro da Cultura como verdadeira frente estratégica capaz de contribuir para a Animação Territorial, para a afirmação do concelho como Centro Permanente de Eventos e Acontecimentos Culturais, ricos em diversidade, conteúdo e de acesso para todos;
· Ajudar a promover os Talentos Locais e o seu trabalho, dignificando e apoiando a obra das Colectividades do nosso concelho e de outras Associações; e
· Criar prémios que estimulem as diferentes artes e respectivos artistas. Através da Escola de Artes que queremos criar e apoiar, pretendemos impulsionar a aprendizagem de Ofícios que criem emprego de qualidade e respondam às necessidades do mercado local.

3. JUVENTUDE
Atrair e fixar jovens no nosso concelho, proporcionando-lhes empregos com direitos e com futuro. Para isso vamos:
· Criar um Conselho Local da JUVENTUDE, envolvendo representantes das Freguesias, das Escolas, das Associações Juvenis e de Estudantes, das Colectividades, dos Escuteiros e dos grupos informais de jovens;
· Motivar os Jovens para a acção cívica e para o exercício da cidadania;
· Apoiar as actividades de desporto, teatro, música, ambiente e artes plásticas como dinâmica de ocupação e formação dos Jovens. Promover, valorizar e divulgar os talentos de Jovens Alcobacenses; e
· Criar a rotina de atribuição de prémios a Jovens que se destacaram no ano.




4. HABITAÇÃO
Alcobaça, Terra onde Apetece Viver. Onde ambicionamos:
· Apoiar a habitação social, a custos controlados, em todas as freguesias, promovendo uma eficiente gestão social dos bairros;
· Dar ênfase especial à inserção social, sem discriminações e respeitando todas as raças e crenças;
· Criar incentivos, como a redução gradual do IMI, agilizar a burocracia nos licenciamentos e recuperar, requalificar e preservar o património existente, de modo a fixar a população; e
· Promover parcerias que permitam a pequenos proprietários, senhorios comprovadamente necessitados e inquilinos, manterem a qualidade das habitações e viabilizar o restauro, enaltecendo, dessa forma, o património arquitectónico.

5. EDUCAÇÃO
Disseminar as Escolas d’Amanhã, envolvendo, para isso, professores e educadores, mas também:
· Apoiar e privilegiar a Escola Pública;
· Descentralizar competências, com recursos para as freguesias e, conjuntamente, recuperar o parque escolar do 1.º, 2.º e 3.º ciclos do Ensino Básico;
· Apostar na Educação como investimento em capital humano;
· Atrair para Alcobaça e/ou freguesias a disseminação dos diferentes níveis de ensino desde o Pré-escolar ao Profissional e Superior;
· Configurar uma rede de transportes escolares que permita e rentabilize a utilização de equipamentos cuja dispersão torna o acesso difícil a algumas localidades;
· Envolver as Associações Locais, vocacionadas para a área educativa, (IPSS’s, Colectividades, entre outras) na elaboração de programas interessantes de actividades extra-curriculares;
· Actualizar a Carta Educativa tornando-a numa ferramenta eficaz para a acção educativa;
· Interagir com os agentes locais, públicos e privados, para fortalecer um ensino profissional que satisfaça as expectativas dos alunos e vá ao encontro das necessidades do tecido empresarial local;
· Educar para a saúde, para a preservação do Ambiente, para uma alimentação saudável, para a segurança, para o civismo e para a cidadania;
· Trabalhar, pela vertente da Responsabilidade Social das Empresas, com as Micro e PME’s na oferta de estágios profissionais; e
· Incrementar as relações Escola - Mundo do Trabalho.

6. CONCELHO SAUDÁVEL
Na área da Saúde, a CDU pretende dar uma especial atenção à Saúde Preventiva e Mental. Para isso, vamos:
· Promover jornadas de educação para a prevenção e preservação da saúde;
· Potenciar os espaços verdes para um ambiente saudável;
· Rendibilizar os recursos locais (praias, zonas verdes, termas) facilitadores de reforço de um bem como a saúde;
· Colaborar na procura de respostas para doentes de risco e terminais;
· Sensibilizar as famílias para o valor de conhecimentos básicos de geriatria como medida de mais saúde na velhice;
· Saúde acessível para todos;
· Promover a dotação de equipamentos de saúde que respeitem os rácios de um País desenvolvido;
· Sim a um novo Hospital Bernardino de Oliveira na cidade de Alcobaça; e
· Cooperar com a Misericórdia de Alcobaça no restauro e novas definições da sua propriedade.

7. DESPORTO
· Potenciar actividades saudáveis como: Alcobacíadas e Jogos Tradicionais, potenciadores de auto-estima;
· Elaborar um Plano de Incentivo ao Desporto;
· Configurar protocolos especiais com o desporto escolar e entidades locais, com apetência para o efeito (Clube de Ténis, Clube de Ciclismo, Clube de Natação e Juntas de Freguesias com equipamentos específicos);
· Promover os valores democráticos e de igualdade de oportunidades, na prática desportiva, nomeadamente entre os jovens, e contribuir para o melhorar do tecido social, para combater a exclusão e propiciar a partilha de valores e referenciais;
· Dinamizar a actividade desportiva como contributo para a saúde; e
· Criar o Conselho Local de Desporto com representantes dos Clubes e das Escolas para definir uma estratégia que planearia as grandes linhas de actuação e que definiria os critérios para contratos desportivos e de obras.

8. REDE SOCIAL E SOLIDARIEDADE ACTIVA
· Incrementar a formação de parcerias com vista à candidatura de apoios, no âmbito do QREN ou outros, para desenvolvimento do concelho;
· Incrementar as relações com os Órgãos do Poder Central, descentralizados, fomentando parcerias que promovam bem-estar, empregabilidade e combatam as situações de exclusão, a todos os níveis;
· Fortalecer o associativismo local facilitando o trabalho em Rede e em Cooperação. Dar mais força às IPSS’s e às Misericórdias que já estão a desenvolver boas respostas;
· Estimular a celebração de protocolos entre a Autarquia e as Organizações Associativas que promovam o apoio às camadas mais necessitadas;
· Apoiar a formação dos Dirigentes Associativos e do trabalho voluntário;
· Constituir uma rede, activa, de animadores sócio – culturais e de trabalho voluntário vocacionado para a solidariedade; e
· Incentivar a participação dos agentes locais na Rede Social.

9. ALCOBAÇA, CIDADE MUSEU E PATRIMÓNIO MUNDIAL
Sendo Alcobaça e, mais propriamente, o Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça, Património Mundial, é imperativo que não fosse esquecido. Assim, vamos:
· Dignificar a cidade museu e o seu património arquitectónico, cultural e artístico;
· Reforçar a simbologia do Castelo, da Abadia e dos Coutos, os artistas locais o seu trabalho e seu legado. O Armazém das Artes só por si merece um tratamento cooperante como estupenda Fundação.
· Valorizar o insigne Joaquim Vieira Natividade e tantos outros prestigiados alcobacenses;
· Revitalizar o Museu do Vinho, o Mosteiro de Cós, os Arcos de pedra nas passagens entre as Praças D. Afonso Henriques e a Praça de Republica, as esculturas nas paredes internas dos arcos e a fonte no café Celeiro dos Frades.
· Procurar intervenção adequada para:
o Pelourinhos do Concelho;
o Igreja da Conceição;
o Elementos arquitectónicos de alto valor, como por exemplo os que se encontram “abandonados” há anos nos Jardim em frente ao Tribunal;
o Portais manuelinos das Igrejas da Vestiaria, Évora e Cela; e
o Fonte em Aljubarrota, na rua da escola primária e a Fonte da Praça da República.
· Procurar estabelecer protocolos para a realização de estágios cujo resultado passe pela recuperação do património. Criar roteiros que divulguem a riqueza patrimonial de Alcobaça, reafirmem a Identidade dos Alcobacenses e dinamizem a economia local.

10. EVENTOS MUNICIPAIS
Veículo cultural de disseminação da Identidade de Alcobaça:
· Dia do Município;
· Feiras;
· Agenda de realização de Eventos Municipais com a colaboração das freguesias, do tecido empresarial, da juventude e de todos os Alcobacenses;
· Dias especiais, como o Dia de Talentos e dos Méritos;
· Celebrar com dignidade o Dia do Município e da Elevação a Cidade;
· Condecorações a Instituições e personalidades que se destacaram ao longo do ano;
· Envolver nos eventos, as freguesias, as Instituições e as colectividades, fomentando a coesão municipal;
· Exposições da realidade de cada uma das Freguesias; e
· Dia do Município Geminado.
Alcobaça com todos e para todos.

11. TURISMO
· Vamos promover a criação de um cluster para um novo modelo de turismo integrado, articulado com as restantes actividades económicas, e alternativo ao “modelo Sol e Praia”, implementando, por exemplo, o PPPP (Plano de Promoção do Pinhal e das Praias de Pataias);
· Fomentar o investimento em formação para empresários e trabalhadores;
· Estimular a iniciativa empresarial, que dê oportunidades a ideias criativas e inovadoras, que estimulem e dinamizem a economia e mercado local e fixem a juventude;
· Lançar concursos “Quem passa por Alcobaça”, varanda/casa florida, gastronomia, tecidos de chita e atribuir prémios à realização de maior afirmação da Identidade Local; e
· Apoiar a restauração regional, com pratos típicos e originais, a doçaria conventual, A Marca Alcobaça.

12. AMOESTE (agora OesteCIM) E COOPERAÇÃO COM OS MUNICÍPIOS VIZINHOS
· Vamos criar sinergias com os Municípios Vizinhos, valorizando os recursos específicos, interagindo e cooperando;
· Vamos desenvolver dinâmicas concretas em torno de problemáticas comuns como resíduos, orgânicos e domésticos, aproveitamento de águas residuais, apoio a energias alternativas; e
· Vamos negociar e renegociar protocolos com empresas maximizando retornos para o concelho.

13. INCENTIVOS E MOBILIZAÇÃO DOS TRABALHADORES
· Fomentar o pleno emprego;
· Alargamento dos critérios de atribuição do apoio judiciário e gratuitidade do acesso dos trabalhadores à justiça laboral; e
· Valorizar a empregabilidade como estratégia de obtenção de emprego de qualidade:
o Formação;
o Investimento em capital humano; e
o Educação.

14. ÁGUA
Sendo a água essencial à vida, esta, tem de ser vista como um bem público precioso. A CDU, nesta matéria, pretende:
· Potenciar este elemento estratégico do concelho de Alcobaça, bem escasso e fundamental;
· Impedir a continuação dos focos de poluição;
· Tornar eficientes os serviços municipalizados, melhorar a rede de distribuição, corrigindo rupturas e fugas; e
· Valorizar as águas termais e divulgar os seus benefícios.
15. AMBIENTE
· Valorizar as boas práticas de preservação ambiental e disseminar os seus resultados;
· Promover, em articulação com as escolas, a educação ambiental;
· Envolver o tecido empresarial na definição de programas e roteiros para produção e comercialização de produtos não poluentes;
· Acelerar a implementação da Carta Ambiental do concelho, com as linhas políticas da Agenda Local 21; e
· Dotar o concelho de uma cultura de desenvolvimento ambiental saudável.

16. NOVAS ENERGIAS E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA
A produção de energias alternativas tais como, energia solar, eólica, marítima, biogás e biomassa, é essencial, pois diminui a dependência do nosso concelho em energias “poluentes”, ao mesmo tempo que preserva a Natureza. Para tal, pretendemos:
· Rendibilizar, reutilizar e recuperar recursos; e
· Estimular a utilização de energias alternativas nas empresas, nas instituições e nas habitações.

17. MAR E ZONAS RIBEIRINHAS
· Vamos divulgar as belezas naturais e criar roteiros turísticos, em parceria com os operadores locais, cuidando e regulando a sua utilização; e
· Vamos desenvolver parcerias, com os municípios vizinhos (Nazaré, Caldas da Rainha e Marinha Grande) em todas as vertentes de investigação do mar e da costa.

18. SANEAMENTO
No que toca ao saneamento, a CDU pretende:
· Novas soluções integradas, valorizando empresas de Alcobaça;
· “Arrumar” a construção de duas grandes ETAR’s para tratamento específico das suiniculturas (sucessivamente adiadas); e
· Procurar dotar todo o concelho de um serviço de saneamento básico eficaz e acessível.


19. CRIAR MAIS RECEITAS
De forma a conseguir maiores volumes de receitas, a CDU propõe:
· Utilizar a “prata da casa”;
· Pagamento “na hora” a fornecedores;
· Fomentar o investimento na região;
· Promover uma política transparente de colaboração, valorizando a criação de sinergias entre a economia privada, pública e não lucrativa!;
· Expandir a Economia Social Solidária e Cooperativa;
· Apoiar a inovação, a qualidade, a criatividade e a certificação; e
· Dinamizar as actividades de elevado valor acrescentado, geradoras de riqueza para o concelho e sua população.

20. GEMINAÇÕES A SÉRIO
· ECOA (Embaixadores do concelho de Alcobaça);
· Processos de Geminação, colhendo ensinamentos, afirmando e disseminando a cultura e a identidade de Alcobaça; e
· Relações cooperantes com as cidades geminadas.

21. ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DE CISTER E A ROTA EUROPEIA
· Recuperar esta frente portuguesa de Cister e contribuir para a eficácia e eficiência da Associação;
· Definir objectivos e viabilizar a Rota Europeia;
· Envolver o tecido social e as Micro e Pequenas Empresas locais na busca de resultados para resolver problemas aproveitando oportunidades; e
· Fortalecer a interacção institucional e empresarial.

22. APOIO TRANSPARENTE AOS AUTARCAS DAS FREGUESIAS
Ÿ Criar Associações de Freguesias;
Ÿ Dignificar e promover o trabalho autárquico;
Ÿ Descentralizar competências e atribuições para as freguesias, no âmbito da lei e sempre que tal se manifeste mais adequado;
Ÿ Promover a descentralização de reuniões de Câmara para planificar, ver obra, avaliar, ouvir e conhecer, no terreno, necessidades e potencialidades, valorizando o trabalho dos autarcas das freguesias; e
Ÿ Concretizar uma Agenda de reuniões temáticas.

23.ARQUIVO MUNICIPAL E HISTÓRICO
Ÿ Criar um Museu Municipal em parceria com os actores locais;
Ÿ Tentar recolher e organizar diferentes peças que fazem a História do Município e torná-lo acessível a todos os visitantes;
Ÿ Envolver os produtores, culturais, sociais e económicos neste projecto, como uma prioridade; e
Ÿ Promover a História de Alcobaça.

24. POLÍTICAS PARA TODOS
Ÿ Definir, com os interessados mais directos, políticas que conduzam à eliminação progressiva de todas as barreiras arquitectónicas que facilitem a mobilidade e a autonomia de pessoas com deficiência motora, tornando-os autónomos e menos dependentes; e
Ÿ Incluir social e profissionalmente as pessoas dependentes, valorizando as suas competências.

25. ENVOLVIMENTO E CUMPRIMENTO DO ESTATUTO DA OPOSIÇÃO
Ÿ Respeitar, valorizar e envolver a oposição; e
Ÿ Trabalhar em conjunto respeitando a diferença para obter respostas às diferentes necessidades.
Com a CDU serão reconhecidos direitos e responsabilidades para todos os eleitos.

26. ATENDIMENTO AOS MUNÍCIPES E RELAÇÕES PÚBLICAS
Ÿ Criar um eficaz Gabinete de Apoio ao Munícipe;
Ÿ Tentar estabelecer protocolos para responder às diferentes necessidades logísticas do munícipe;
Ÿ Estimular a participação da população para inventariar, propor e desenvolver;
Ÿ Melhorar a utilização das novas tecnologias nos serviços, alargar as ofertas on-line, implementar a intranet como medidas de eficiência na resposta; e
Ÿ Criar pontos municipais de acesso electrónico para melhorar a aproximação da autarquia aos cidadãos mais distantes.

27. PARTICIPAÇÃO. ENVOLVIMENTO.
Ÿ Conselhos Municipais activos, com a dinamização de espaços para participação;
Ÿ Dar continuidade ao dinamismo e envolvência gerados com as “Conversas Públicas”, de modo a estar em contacto permanente com a população e os seus problemas, ouvindo-os e apresentando soluções;
Ÿ Valorizar as propostas locais informais, para todos os pelouros;
Ÿ Criar um Departamento de Apoio ao Associativismo e a Grupos de Voluntários; e
Ÿ Valorizar o papel das Associações no Apoio à inserção, ao desporto, à cultura e à ocupação dos tempos livres.

28. ECONOMIA. IDEIA.
Ÿ Investir para o Desenvolvimento Económico Integrado Alcobacense;
Ÿ CA (consumir em Alcobaça);
Ÿ Praticar uma politica transparente de colaboração, valorizando a criação de sinergias entre a economia privada, publica e não lucrativa;
Ÿ Promover os produtos agrícolas de Alcobaça e seus derivados; e
Ÿ Rendibilizar a especificidade de Alcobaça.

29. REQUALIFICAÇÃO DOS CENTROS HISTÓRICOS
Ÿ Das praças da cidade, vilas e aldeias. Da época medieval ao modernismo. Estilos História e histórias;
Ÿ Investir na história e cultura de Alcobaça e suas freguesias legitimando um verdadeiro património a usufruir interna e externamente;
Ÿ Procurar apoios para a requalificação da zona histórica da cidade e das freguesias; e
Ÿ Privilegiar a oferta das Micro e PME’s locais para a requalificação, conservação e manutenção do património Alcobacense.