16/03/2015

9.739.(16mar2015.13.55') Neste dia...17março...vou rELEVAR: UM+1avô, Nat King Cole, Elis Regina, Melissa Auf Der Maur, Visconti, Miles Kane, François La Rochefoucauld e e a poesia de Joaquim Pessoa:

2017
Um+1 avÔ.367
*
UM+1 dia de avÔ...Ele está 1 bELO rapagão...Ser avô é outro estado...Contraditoriamente sinto-me + novo...Quero ter saúde para o acompanhar até aos 22 anos...88 anos...Depois já poderei morrer com mt + obras e mt projectos concretizados...Quero agradecer a tds que m' animaram e me dão força....aquel'abRReijinhooooooooooooo para as amigas facebookianas e aquel'abRRaaaaaaaaaaaaaaAÇÃO para os...
*
que bELAS
festas
ARDEntes
vivemos
em SIlêncio harmonioso
a sentIR as marÉS
os caudais do praZER
AO SOM DO CHILREAR DA PASSARADA
APÓS +1 bELO pÔr
***
2016
7.7'
1.º dia de avô
é UM 1.º novo acordar
A emoAção de ir ver o neto
 Ver a minha filha: mãe
Há 1 certo palpitar diferente
Sinto 1 sorrir especial
O ÂMAgo vibra de ser AVô.
11.44'.11"
avô...VOU com ele:
soRRir
cantar
brincar
ternurar
exemplificar
respeitar
incentivar
surfar nos gostos dele
*

Ver e ouvir, de novo, a chuva
Apreciar o lavar das flores e da terra
Constatar a calma clara depois da chuvada
Chover com sol quente
Mergulhar no mar espelho de chuva
Sorrir ao delíquio da natureza
Comparar com os nossos delíquios espantosos
Sentir a chuva torrencial do prazer
Acelerar e devagar
Parar, pulsar e pulsar
Imaginar nAVEgar
choVER praSER infinito
Criar + instantes sublimes
ao som do "Have you ever seen the rain?"
1.11' dia17março2012
*
Ouvir a melodia do borboletarr
Cobrrir de beijos os teus ombros roliços 
                           e o pescoço fantástico
Beijar os teus lábios doces durante 111'
Tocar-te ao de leve muito suAVEmente
                          e no teu farol de prazer
AbRReijar-te até ao AMAnheSER
Há que celebrar a beleza do instante
Pupilar no teu ÂMAgo
Navegar sem medo pelo teu ser
Descobrir emoções no rio bravo do sentir
Magiar as tuas MARavILHAs ímpares
                                          Mergulhar em ti.
2-2' dia17março2012
***
2016
serra dos candeeeiros by Graça Silva

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1059685357408273&set=a.211013438942140.52240.100001004569506&type=3&theater
*
s.MARtinho do porto...praia das crianças...do meu neto que nasceu neste dia...d' ALCOBAÇA que vos abRRaça
by João Moura
Foto de João Moura.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=985424051533377&set=gm.10154111694368969&type=3&theater
e by Fernanda Matias
Foto de Fernanda Matias.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1566313997030311&set=gm.10154111357108969&type=3&theater
*
Fátima Rosa:
´PARAÉNS AO AVÔ DO SEBASTIÃO. ESTOU FELIZ POR VOCÊS TODOS. BEIJINHOS!
***
2014...face traz-me memórias deste dia:
bdiaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
d'Alcobaça que vos abRRaçaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
by José Eduardo Oliveira:
Foto de José Eduardo Oliveira.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10200877974986250&set=a.1029365188983.3914.1670949754&type=3&theater
*
Há que apoiar este bELO projecto de 3 extraordinários d'ALCOBAÇA que vos abRRaça: DANIEL BERNARDES, MÁRIO MARQUES e GONÇALO TARQUÍNIO!
https://www.youtube.com/watch?v=x0JGrqgoFzo
*
Há que saudar o talentoso SÉRGIO CAROLINO...tubista d' ALCOBAÇA que vos abRRaça...
*
o nosso triatleta João Silva (da Benedita...d'ALCOBAÇA que voz abRRaça) fez uma excelente prova na Austrália: 12º entre tantos, a poucos segundos do vencedor..
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2014/03/765814mar20141748-joao-silva-amanha.html
*
a iluminAÇÃO não está asSIM...mas aqui fica...d'ALCOBAÇA que vos abRRaça
by Suzete Silva
Foto de Suzete Silva.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1555883104635915&set=a.1425306897693537.1073741827.100006427226057&type=3&theater
*
É um belo Miradouro...mas há anos que é anunciado o restauro e a limpeza regular...EN8, junto à Pousada.Alfeizerão.São martinho do Porto...em ALCOBAÇA que vos abRRaça
*
de 4 a 12 abril temos teatro...por 12€ pode ver tds os espectáculos...Gambuzinos da Benedita d' ALCOBAÇA que vos abRRaça
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2014/03/76005mar1047-ao-teatro.html
*
UE.FMI.Troika.PSD.CDS (e o PS...) acordaram esta amizade caríssima...só em comissões...1,5 mil milhões de euros... Há 3 anos já criticávamos os 700 milhões de euros (que "eles" diziam..) de comissões d'amigos.pá.troikianos...afinal já vai no dobro...AGIOTAS.LADRÕES.EXPLORADORES!!!
https://www.facebook.com/cmjornal/photos/a.10150146148770475.413126.469974510474/10153923267385475/?type=3
*
pitadinhas de MIA COUTO fazem mbem antes d'almoçarr
"Em criança não nos despedimos dos lugares. Pensamos que voltamos sempre. Acreditamos que nunca é a última vez."
*
E quando nos beijávamos e eu perdia respiração e, entre suspiros, perguntava: Em que dia nasceste? E me respondias com voz tremula: Estou nascendo agora...
Foto de Instituto das Pessoas Singulares.

*
18h18'18" é 1 bELO instante para partILHArr o palavrar do cAMARada José Gomes Ferreira 
"Acordai
acordai
homens que dormis
a embalar a dor
dos silêncios vis
vinde no clamor
das almas viris
arrancar a flor
que dorme na raíz

Acordai
acordai
raios e tufões
que dormis no ar
e nas multidões
vinde incendiar
de astros e canções
as pedras do mar
o mundo e os corações

Acordai
acendei
de almas e de sóis
este mar sem cais
nem luz de faróis
e acordai depois
das lutas finais
os nossos heróis
que dormem nos covais
Acordai!
Foto de sonhar a realidade.
https://www.facebook.com/sonhararealidade2013/photos/a.349115855209208.1073741828.349094905211303/526859517434840/?type=3&theater
Ouve, tu que não existes em nenhum céu:

Estou farto de escavar nos olhos
abismos de ternura
onde cabem todos menos eu.


Estou farto de palavras de perdão
que me ferem a boca
dum frio de lágrimas quentes de punhal.

Estou farto desta dor inútil
de chorar por mim nos outros.

Eu que nem sequer tenho a coragem de escrever
os versos que me fazem doer.


José Gomes Ferreira

***
2012...face traz-me memórias deste dia:
aprender a viver na tempestade...
SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN, in LIVRO SEXTO (Moraes Ed, 1962) e OBRA POÉTICA (Caminho, 2010)

[PARA ATRAVESSAR CONTIGO O DESERTO DO MUNDO] 
Para atravessar contigo o deserto do mundo
Para enfrentarmos juntos o terror da morte
Para ver a verdade para perder o medo
Ao lado dos teus passos caminhei

Por ti deixei meu reino meu segredo
Minha rápida noite meu silêncio
Minha pérola redonda e seu oriente
Meu espelho minha vida minha imagem
E abandonei os jardins do paraíso

Cá fora à luz sem véu do dia duro
Sem os espelhos vi que estava nua
E ao descampado se chamava tempo

Por isso com teus gestos me vestiste
E aprendi a viver em pleno vento

Foto de Quem lê Sophia de Mello Breyner Andresen.
https://www.facebook.com/quem.le.sophia.de.mello.breyner.andresen/photos/a.114014221967684.7650.112890882080018/343412349027869/?type=3&theater
*
Uma boa novidade... :)
Cláudia Alves entra na competição em Madrid
*
termino o rELEVAR hj x AQUI do tema: "Have you ever seen the rain? " agora com BONNIE TYLER
https://www.youtube.com/watch?v=sH8oSVs_spg&list=RDsH8oSVs_spg
*
1 pitadinha de boa política só faz bem...PCP na linha certa!!! Não passou nas TV's...
Bernardino 
https://www.youtube.com/watch?v=apBFSLVG2aQ
*
by José Eduardo Oliveira
Foto de José Eduardo Oliveira.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=2608149257598&set=a.2608146017517.97225.1670949754&type=3&theater
*
a bELA NATUREZA...
Foto de Soto Agudelo Ricardo.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=3392835946136&set=a.3096165329556.160481.1426785163&type=3&theater
*
"O GASPAR"
Foto de Salomao Figueiredo.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=295331230540169&set=a.156806651059295.40669.100001898827150&type=3&theater
*
Have You Ever Seen The Rain?
Someone told me long agoThere's a calm before the stormI know, it's been comin' for some time
When it's over, so they sayIt will rain a sunny dayI know, shinin' down like water
I want to know, have you ever seen the rain?I want to know, have you ever seen the rain?Comin' down on a sunny day
Yesterday, and days beforeSun is cold and rain is hardI know, been that way for all my time
And forever, on it goesThrough the circle, fast and slowI know, it can't stop, I wonder
I want to know, have you ever seen the rain?I want to know, have you ever seen the rain?Comin' down on a glorious day
Yeah!
I want to know, have you ever seen the rain?I want to know, have you ever seen the rain?Comin' down on a glorious day

***
180 a.C.
hj é dia d' imperador Marco Aurélio...morreu neste dia e vejam bem o que ele dizia...
Via Citador: "O homem comum é exigente com os outros; o homem superior é exigente consigo mesmo."
"Mudar de opinião e seguir quem te corrige é também o comportamento do homem livre."
"Escava dentro de ti. É lá que está a fonte do bem, e esta pode jorrar continuamente, se a escavares sempre."
"Muitas vezes erra não apenas quem faz, mas também quem deixa de fazer alguma coisa."
***
2011..face traz-me memórias deste dia:
hoje vou, ao vivo, estar com a pRIMAvera
https://www.youtube.com/watch?v=s7MqFg_luzM
*
Hoje TIvoLI com os alcobacenses n' "explode"
AMAnhã BRILHAretes no magníFICO ARMAzém das ARTES
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2011/03/434617marco12h21-brilharetes-no-armazem.html
*
vamos à lutaaaaaaaaaa
***
1680
morreu François La Rochefoucauld
1 vivaaaaaaa à sua obra: 
"O verdadeiro amor é como a aparição dos espíritos: toda a gente fala dele, mas poucos o viram.
*
O prazer do amor é amar e sentirmo-nos mais felizes pela paixão que sentimos do que pela que inspiramos.
*
Não devemos julgar os méritos de um homem pelas suas boas qualidades, e sim pelo uso que delas faz.
*
Os homens não viveriam muito tempo em sociedade se não fossem enganados uns pelos outros.
*
Um verdadeiro amigo é o maior de todos os bens e igualmente, de todos, aquele que menos nos preocupamos em adquirir.
*
Perdoa-se na medida em que se ama."

 http://uniralcobaca.blogspot.pt/2016/02/39212fev20161355-francois-la.html
***
1919
 Nat King Cole
https://www.youtube.com/watch?v=MKCyUe4syc4&list=RDMKCyUe4syc4#t=2
***
1945
 Elis Regina
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2017/01/53899jan201777-elis-regina.html
*
águas de março
https://www.youtube.com/watch?v=srfP2JlH6ls&list=RDVZejKvB6fiw&index=11
***
1972
 Melissa Auf Der Maur
https://www.youtube.com/watch?v=Cjs_23X4Sco&list=RDCjs_23X4Sco
***
1976
morreu Luchino  Visconti
https://www.youtube.com/watch?v=CyW_4FI_wC8&list=PLkW-AKB0JaDN1I0CtBgIM33Q8-Xm2ku3B
***
1986
 Miles Kane
https://www.youtube.com/watch?v=zj5RKp0inTw&list=RDzj5RKp0inTw#t=1
***
e e a poesia de Joaquim Pessoa:
2012
+1pitadinha...

Joaquim Pessoa
POEMA
OCTAGÉSIMO
Frágeis como os ossos de um cristal,
os meus pensamentos aninham-se na noite
para construir o poema. A minha dor branca prefere
a luz que prenuncia a madrugada, luz bailarina
que me ilumina a pele molhada de alegria
sempre que faço em ti o trabalho doce da abelha
e me deito sobre o teu corpo para provar da vida
o melhor de todos os néctares, o mais completo
dos versos que o teu sangue me dá. Escrevo-te
com o corpo. Quero ganhar o nobel da ternura.
(Do livro inédito, GUARDAR O FOGO)
*
2014
pitadinhas de Joaquim Pessoa para começar bem a sEMANA
"As cotovias mandaram chamar a Palavra
e disseram-lhe: Gostaríamos de voar contigo!
Por quê?, disse a Palavra, se podeis livremente voar
no azul do céu, sobre o mar, e também sobre bosques e searas,
poisar até no cume frio das altíssimas montanhas.
Pois sim, concordou uma delas, mas como faremos
para voar, como tu, até ao coração do homem?
E, a todas, a palavra respondeu: Não, amigas, não sou eu
que voo até ele! É o seu coração que sempre me procura
para oferecer-me a capacidade e a alegria de voar
para lá do azul do céu e para lá da imensidão do mar,
muito para além dos bosques, das searas,
e mais alto, ainda mais alto que o cume frio
das montanhas. Sem nunca chegar ao fim
de nada, mas ao início
de tudo."

Foto de Maria Esperança Azevedo.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=650861241615709&set=gm.704231369618976&type=3&theater
UM DIA DIFERENTE
Amanhã
quando nascer um hino de alegria
em todos os olhares
de todas as crianças

quando o meu sangue vermelho
e a minha boca vermelha
se transformarem

e quando amadurecerem nos meus braços
as espigas dos meus dedos
e os homens finalmente se encontrarem
e se chamarem de novo irmãos

e quando houver em cada pensamento
a raiz futura de um poema
e uma verdade pura em cada beijo
e em cada beijo uma canção de paz

amanhã
meu amor minha pátria meu poema
cantaremos a cada aurora
um dia diferente


in O Pássaro no Espelho
*
BOM DIA!
Bom dia!, diz-me o trigo. Bom dia!, diz-me a água.
E eu aceno com os olhos e também com a consciência
de que as minhas mãos poucas vezes mereceram a água e o trigo.
Se vivesse daquilo que produzo eu andaria nu,
mas vivo dos frutos desta trepadeira que dá voltas à minha cabeça,
visto-me com a lã dos melhores cordeiros,
não sei quantas mulheres tiveram de bater o linho das minhas camisas,
os padeiros amassaram e fermentaram para mim
pequenos e grandes pães,
um sem número de gente moldou, cortou, soldou, deu forma
às máquinas que tenho utilizado,
não têm conta os porcos, as galinhas, as vacas que devorei
e que nunca me deram o mínimo trabalho.
Tenho-me limitado a escolher e a apreciar o vinho
sem muito querer saber das dificuldades do agricultor.
O peixe, esse peixe apanhado por irmãos meus, irmãos pescadores,
tem chegado à minha mesa sem o esforço que a rede requer
e sem que eu tenha sofrido a dureza que impõem as ondas das marés.
Não sei podar a oliveira mas adoro o azeite,
não sei enxertar a macieira mas tenho na maçã o fruto preferido,
a minha casa é de ferro e de tijolo, de pedra e de madeira,
mas até agora apenas soube construir casas
com os versos.
Bom dia!, diz-me o pardal. Bom dia!, diz-me a urze,
mas isto é já imaginação, um e outro estão só no meu poema,
a realidade é que há anos não vejo um pardal ou um pouco de urze.
Nasci no campo, onde se cruzavam os cheiros da flor do limoeiro
com o da hortelã e o do estrume. Brinquei
por entre o milho, queimei em fogueiras o rosmaninho,
persegui lagartixas, cobras e ouriços, capturei e destruí escaravelhos,
defendi as carochas, roubei ninhos com pássaros implumes,
colhi cachos ainda verdes, desesperei pelo amadurecimento dos
figos, das romãs e dos alperces, tingi-me com amoras,
fui irmão das abelhas, discuti com o vento, e mais do que a erva
e as árvores, aproveitei-me da chuva.
Agora moro num quarto andar e tenho um automóvel tão sólido
como a minha infelicidade, viajo entre árvores e colinas com árvores,
mas está tudo longe, fora do alcance, fugindo de mim rapidamente,
em sentido contrário, com a mesma rapidez com que
a infância me fugiu.
Sou hoje um cidadão da pedra e do betão.
Os meus pés deixaram de pisar o alecrim, os meus olhos não
se habituam já ao escuro da noite para observar o voo dos morcegos,
guardo uma ideia vaga de como era um arado e tenho
saudades de ver o meu pai descalço a regar morangos
e abóboras. O piar dos tentilhões e dos picanços
foi substituído pelo ruído do tráfego,
o desajeitado voar das borboletas parece-me vê-lo nos papéis
que o vento levanta do chão, levando-os daqui para acolá,
e a minha vida é vivida de forma a comemorar
o dia disto e o dia daquilo,
sem comemorar o dia em que começa a primavera.
Bom dia!, diz-me o cliente. Bom dia!, diz-me o fornecedor.
Bom dia!, digo eu, sem dizer nada.
De
A CASA DE VERSOS, Antologia Comemorativa
dos 40 Anos de Publicação. A publicar em Outubro
por Editora Edições Esgotadas.
*

MORRER DE AMOR É ASSIM

Quem morre de tempo certo
ao cabo de um certo tempo
é a rosa do deserto
que tem raízes no vento.

Qual a medida de um verso
que fale do meu amor?
Não me chega o universo
porque o meu verso é maior.

Morrer de amor é assim
como uma causa perdida.
Eu sei, e falo por mim,
vou morrer cheio de vida.

Digo-te adeus, vou-me embora,
que os versos que eu te escrever
nunca os lerás, sei agora
que nunca aprendeste a ler.

Neste dia que se enquadra
no tempo que vai passar,
termino mais esta quadra
feita ao gosto popular.

 in " Ano Comum"

**
Foto de Maria Esperança Azevedo.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=821273884574443&set=gm.906277906080987&type=1&theater
Dia 289

Vem a chuva, não vem a chuva, e o meu amor suporta este frio
que arrepia os seixos mas dá impulso aos tordos, às narcejas e
ao passo ansioso dos caçadores. Ninguém se lembra da ansiedade 
dos amantes, daqueles que trocam o mundo por um gesto e
se dispõem a libertar o corpo na mais dura das prisões: a paixão.

Vem a chuva, não vem a chuva, e o meu amor tem a profundidade 
das raízes da macieira, a cor e a doçura das maçãs, a plasticidade 
da nuvem, a paciência da água. Mas os amantes não vivem numa 
casa branca cheia de toalhas brancas, cortinas brancas, rosas brancas 
e brancas esperanças. O amor é rútilo e agita-se como um peixe que 
viajasse por dentro do corpo até atingir o coração, em festa, em 
êxtase, em antecipação aos céus negros e às tempestades que
podem desabar.

Vem a chuva, não vem a chuva, e o meu amor requer para si 
todo o tempo do mundo, todos os frutos da ternura que as mãos
podem colher na árvore do corpo. Sagrado é esse amor em que
o espírito se faz carne, em que a carne se faz chama e em que a
chama se faz vida. Sagrada é a beleza desse pássaro sensível, 
leve e misterioso, que descansa no orgulho dos amantes.

Vem a chuva, não vem a chuva, e o meu amor empurra-me para
um círculo que é o centro do mundo, que é o centro da vida, 
para que seja feliz nesse espaço e neste tempo, o tempo de saber
que nada tem um preço mais caro que o amor, mas que todos,
até os indigentes, o podem suportar.

Vem a chuva, não vem a chuva, e o meu amor será um cântico
mais a juntar aos cânticos entoados pelos mais felizes corações
do mundo.

in ANO COMUM 2ª ed.
Editora: Edições Esgotadas

Foto de Rui Palha