05/05/2015

9.836.(5maio2015.7.7') Neste dia...6maio...vou rELEVAR: UM+51.avô,Óscar Mascarenhas,Sigmund Freud,Thoureau, Orson Wells,Bob Seger, Marlene Dietrich, Eurotúnel, Dia Mundial da Endogénese e Dia Internacional da Osteogénese e a poesia de Joaquim Pessoa:


***
2017
UM+51avÔ
urge acreDITAR
estar e ser conVIcto
***
2016
51.avÔ
ao nasCER
há mais brisas especiais
neblinas fantásticas
nevoeiros para nos perdermos
e cheiros do mar
e da terra
*
entuPIOU
morreu afogada
ali
com tanta palavra
que tinha para me dizer
*
Como eu gosto de ler
e escreVIVER
em bibliotecas
que momentos magníficos passei na da Gulbenkian
*
9h-9'+9"
impossível
imposSIMvel
é o
sim é possível
***
2017...memórias deste dia:
s.MARtinhoooooooo
by João Moura
Foto de João Moura.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1345605632181882&set=pcb.10155396583788969&type=3&theater
Foto de João Moura.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1346003738808738&set=gm.10155397993808969&type=3&theater
*
16H
ABERTURA D' EXPOSIÇÃO NA nAZARÉ
MARCO NUNES CORREIA
"da natureza para o papel – uma exposição com alguns do trabalhos de ilustração científica que realizei nos últimos anos. Para além de mostrar os originais, junto de cada núcleo, serão expostos alguns dos suportes onde as ilustrações foram publicadas. Isto porque, ao contrário da obra de arte, a ilustração é criada para fins de reprodução e não para fins puramente contemplativos. Estão todos convidados!"
vai estar até 27 maio2017
https://www.facebook.com/cmnazare/photos/a.159708444083610.42093.159540367433751/1302854683102308/?type=3&theater
*
20h
jantar com Jerónimo Sousa
na Ordem - MGrande
*
Moleanos
Foto de Manuel Gaz.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1526412180704616&set=a.100246926654489.386.100000075455657&type=3&theater
*
Foto de Festival PEDRA ROCK.
https://www.facebook.com/FestivalPedraRock/photos/a.565475416817578.1073741830.564339013597885/1526622190702891/?type=3&theater
*
Foto de Cáritas Alcobaça.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=489568801434474&set=pcb.489570618100959&type=3&theater
***
2016...memórias deste dia:
 naturalmente a CDU - Alcobaça está com o ECBenedita...d' ALCOBAÇA que vos abRRaça...A CDU sabe distinguir o negócio do que é cooperativo!!! E tal como nos batemos contra PSócrates e com as políticas ruinosas de passos.portas, assim faremos contra eventuais erros do PSCosta...Hj com o deputado do PCP António Filipe iremos rELEVAR de novo...
 http://uniralcobaca.blogspot.pt/2016/05/79892maio201677-comunicados-cdu.html
*
PAREdes da VITÓRIA by Adelino Pataias

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10154160401304819&set=pcb.10154160418429819&type=3&theater
***
2015...memórias deste dia:
morreu Óscar Mascarenhas
 1 vivaaaaaaaaa à sua obra...Prof de ÉTICA E DEONTOLOGIA do jornalismo..."ESTÃO A FAZER COM QUE O FASCÍNIO DA PROFISSÃO TENHA DE SER SABOREADO «EM SEGREDO»"
"Só me cumpre dizer-lhe que faz muito mal. (...) invocar o interesse público e não cumprir o dever de lealdade para com os visados de os ouvir não é jornalismo, é propaganda."
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2015/05/98387maio201577-oscar-mascarenhas.html
*
s.MARtinho by João Moura

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=827783253964125&set=gm.10153369167153969&type=3&theater
***
2014...memórias deste dia:
 Os eleitos da AFCela, pela CDU, prestam contas da reunião de 29 de abril 2014...Pela Cela com toda a convicção!
 http://uniralcobaca.blogspot.pt/2014/05/79746maio20141331-assembleia-de.html
*
 qu' estupendo quinteto de soRRisos...Urge + e+ votos na CDU!...Hj no CaféTertúlia 21.15' ...em ALCOBAÇA que vos abRRaça...lá estaremos para justificar o voto nesta equipa!!!
 https://www.facebook.com/apoiantescdu/photos/a.659875270704154.1073741835.658359977522350/793147040710309/?type=3
*
s.MARTINHO do Porto by Ana Mar
*
comentei asSIM:
apeTECE-me nAVEgar a entrar e a sair da bb bela baía de S.MPorto...d'ALCOBAÇA que vos abRRaça...bELAS fotogravAÇÕES da Ana Mar

http://uniralcobaca.blogspot.pt/2014/05/79685maio20142345-sao-martinho-do-porto.html
***
2013...memórias deste dia:
 a prendinha fresquinha...para as mamãs do Nuno Gonçalves e da Sara Tavares
 https://www.facebook.com/TheGiftOfficial/videos/4783783228501/
*
+ pitadinhas de Mia Couto
Quando fecho os olhos para me passear no passado, Florinha é a primeira a visitar-me. Seu corpo não é apenas a primeira memória.Ele é a porta que abre todas as restantes lembranças.
MIA COUTO
Do livro "O fio das Missangas", trecho do conto "O CAÇADOR DE AUSÊNCIAS"
 https://www.facebook.com/SemCoresNada/photos/a.217727841688885.50504.217725138355822/331482106980124/?type=3&theater
*
 o belo zig zag da Ribeira das Paredes da Vitória, dançando, antes de mergulhar no atlântico
paREDES da VITÓRIA by Adelino Pataias

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10151597654419819&set=a.10150262398389819.346034.835759818&type=3&theater
*
 CDU.PCP concelho de Alcobaça...10maio.20h vamos jantar ao restaurante paraíso.benedita...se quiseres ir ao jantar inscreve-te via rogeriommr@gmail.com
*
 pitadinhas de josÉ saraMAGO:
Fisicamente, habitamos um espaço, mas, sentimentalmente, somos habitados por uma memória.
*
 Há ocasiões em que as palavras não servem de nada, quem me dera a mim poder também chorar, dizer tudo com lágrimas, não ter de falar para ser entendido.

José Saramago, in "Ensaio sobre a Cegueira".

(Fotografia, Rui Palha)

 https://www.facebook.com/AssociacaoDePalavras/photos/a.208744795827377.46981.208450935856763/515978108437376/?type=3&theater
***
2011...memórias deste dia:
 3h33'..é tão fácil entender...vou agir, de novo, no meu dia gift...
 https://www.youtube.com/watch?v=rjn0YDbInuA
*
 11.11' hoje decidi: é dia GIFT... a "nossa" magnífica banda!!! espero que gostem e que se animem para a luta que vai crescer...para colocar o nosso devir no rumo certo: nós a decidirmos e não, gentalha não eleita, que põe de rastos quem devia defender a nossa soberania!
*
 Sónia T sugere e eu alinho na partILHA...é preciso explodir logo no amanhecer do dia 6...6h6'...boa jornada para tds...aquel'abRRaço
 https://www.youtube.com/watch?v=frOxeDEKUF0
*
 "Iluminar consciências" escreVIVEU a gisELa M...ainda ontem um amigão dizia que temos de introduzir na nossa luta a UTOPIA...
*
 gisela M recomendou...tb recomendo que vejam com calma...criticamente...atentamente...como tudo o que vivemos...
Bilderberg.Conspiração Iluminati
*

Depois do ilusionista PSócrates e seus apaniguados PCoelho e PPortas darem o seu show, eis que a realidade negra e amarga aí está!!! 

 http://uniralcobaca.blogspot.pt/2011/05/45066maio9h9-depois-do-ilusionista.html

*
 desde ontem que ando com a imagem do rei vai nu...falta ver quem será a criança que diz:" Os reizinhos vão nus..." o povão acorda e vê que o PS+PSD+CDS estão completamente nus a roubar ao povo, iilegalmente, inconstitucionalmente, a comprometerem-se a pagar aos agiotas aos especuladores...os 3 sem mandato rasgam a constituição e disputam quem negociou melhor a perda de dignidade.soberania!!!
***
2010...memórias deste dia:
 eles andam por aí a tentar convencer-nos de que estamos errados...há que lutar pelo trabalho com direitos, contra a precariedade!!!
*
 Maria H sentiu...eu tb...extraordinária interpretação...
aquel' abRRaço para tds especialmente para as novas amizades!!!
 https://www.youtube.com/watch?v=EbXYm7PLkew
***
Dia Mundial da Endogénese
e Dia Internacional da Osteogénese
https://www.facebook.com/a.p.osteogeneseimperfeita?fref=nf
***
1856
 Sigmund Freud: “Nenhum ser humano é capaz de esconder um segredo.
Se a boca se cala, falam as pontas dos dedos.”
“Não adianta explicar quando o outro está decidido a não entender”
 "Não somos apenas o que pensamos ser. Somos mais. Somos também, o que lembramos e aquilo que esquecemos. Somos as palavras que trocamos, os enganos que cometemos, os impulsos que cedemos"
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2014/04/77743abril20141328-sigmund-freud.html
***
1862
morreu Henry D. Thoureau... 1 vivaaaaaaaaaaaa à sua obra
"A bondade é o único investimento que nunca vai à falência.
*
Se um homem marcha com um passo diferente do dos seus companheiros, é porque ouve outro tambor.
*
O talento limita-se a indicar a profundidade do carácter numa certa direcção.
*
Se és escritor, escreve como se tivesses os dias contados, porque, na verdade, eles estão-no quase todos.
*
Nada é tão útil ao homem como a resolução de não ter pressa.
*
Se avanças com fé na direcção dos teus sonhos e procuras viver a vida que imaginas, encontrarás o êxito a qualquer momento.
*
A virtude a que chamamos de boa vontade entre os homens é apenas a virtude dos porcos na pocilga, que dormem juntinhos para se aquecer.
*
A longo prazo os homens acertam apenas para aquilo que apontam. Por isso, embora falhem imediatamente, seria melhor que apontassem para algo mais alto.
*
Sob um governo que prende injustamente, o lugar de um homem justo também é na cadeia.

Existem 999 professores de virtude para cada pessoa virtuosa.
*
Bendito entre os mortais aquele que não perde um momento da vida a recordar o que passou.
*
Um homem é rico na proporção do número de coisas de que ele é capaz de abrir a mão.
*
É preferível cultivar o respeito do bem que o respeito pela lei.
*
O que todos os empresários desejam mas em vão e que qualquer assalariado consegue: lazer e uma mente em paz.
*
Se queres um escudo impenetrável, permanece dentro de ti mesmo.
*
Qualquer idiota pode fazer uma regra e qualquer idiota a seguirá.
*
Muitos homens iniciaram uma nova era na sua vida a partir da leitura de um livro.
*
É tão difícil observar-se a si mesmo quanto olhar para trás sem se voltar
*
A massa nunca se eleva ao padrão do seu melhor membro; pelo contrário, degrada-se ao nível do pior.
*
Às vezes faz bem ficar doente.
*
Podemos odiar aqueles que amamos. Os outros são-nos indiferentes.
*
O homem mais rico é aquele cujos prazeres são mais baratos.
*
A experiência localiza-se nos dedos e na cabeça. O coração não tem experiência." 
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2016/03/7mar201677-henry-d-thoureau.html
***
1915
 Orson Wells
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2016/10/635710utubro201677-orson-welles.html
***
1945
Bob Seger
https://www.youtube.com/watch?v=RcDCvQbOdig&list=RDRcDCvQbOdig#t=85
***
1992
morreu Marlene Dietrich
 1 vivaaaaaaaaa ao seu legado
https://www.youtube.com/watch?v=aUEXQlRPi6A&list=PLtKciVUaW2W01C4YVtgZGlfR0Qvcl60-d&index=7
***
1994
Eurotúnel
https://www.youtube.com/watch?v=7ch4X_cOOWM
***
 e a poesia de Joaquim Pessoa:
2013
 6 de Maio de 2013 às 3:37 ·
a pitadinha diária de Joaquim Pessoa
(...) Está na paixão dos olhos. Nos bosques do sangue,
nas clareiras do sangue, na chuva em catedral.
A Mãe está no crime dos heróis. Nos joelhos
do rio. Na cama, na doce cama dos salgueiros.
Nos riachos do orvalho. No lume da cebola. A Mãe
está nos ombros de cada um dos meus instantes.
Onde a emoção se diz e se suspende. Onde
a noite e a língua se observam. Onde nascem
equilíbrios. Onde os crânios e as lâmpadas arriscam.
A Mãe está nos pulmões do meu abismo. Está
no lenço rasgado das roseiras. E na ira do frio.
No chicote das palavras. No silvo. No sítio
do poema. Onde tudo é brusco e arde. Aí,
nessa carne da dúvida, sem dúvida, está a Mãe.
Joaquim Pessoa
ONDE ESTÁ A MÃE?
A Mãe está onde está a camisa púrpura
e onde a tempestade sacode a espuma dos gerânios.
Onde se apagou a lareira e esse fogo bom
na parede dos ossos. Está no musgo que cresce
nos velhos pinheiros de onde a noite pende.
A Mãe está nas arestas do corpo onde
o toiro respira e se espreguiça a andorinha.
Onde a ansiedade apoquenta, onde resvala
o coração sujo de melancolia, negro,
negro como o motor de um corvo. Está
no Livro da Morfina, nos tocadores de viola
com grandes pés de anjo e nos operários construindo
paredes de lume em andaimes de cinza.
A Mãe está onde o moinho escondido
trabalha no peito com a roda do olhar.
Onde ainda arde a madeira verde das estrelas.
Onde o tiro parte e se agita o vento. A Mãe
está na noite que vaza as veias por uma ferida
no ventre. No parto dos pássaros. No som
dos ossos quando partem. A Mãe está nua
interrogando-se como um navegador sem sexo
onde o cão lambe o medo desses peixes azuis.
Na insatisfação e no martírio de uma água inteira.
Nas margens da minha cabeça. No aroma fixo
dos espelhos. A Mãe está na viagem das semanas.
No pólen e na rede. Na pedra parada. Na pedra que voa.
Está na paixão dos olhos. Nos bosques do sangue,
nas clareiras do sangue, na chuva em catedral.
A Mãe está no crime dos heróis. Nos joelhos
do rio. Na cama, na doce cama dos salgueiros.
Nos riachos do orvalho. No lume da cebola. A Mãe
está nos ombros de cada um dos meus instantes.
Onde a emoção se diz e se suspende. Onde
a noite e a língua se observam. Onde nascem
equilíbrios. Onde os crânios e as lâmpadas arriscam.
A Mãe está nos pulmões do meu abismo. Está
no lenço rasgado das roseiras. E na ira do frio.
No chicote das palavras. No silvo. No sítio
do poema. Onde tudo é brusco e arde. Aí,
nessa carne da dúvida, sem dúvida, está a Mãe.

*
in 125 POEMAS e O POUCO É PARA ONTEM.
*
2014
Joaquim Pessoa para começar bem a TERça...
Dia 150. (excerto)
"Amanhã é o meu lugar, diz a minha fala. A fala situa-me, ori-
enta-me, permite-me continuar. Também tu estás na minha
fala, percorres comigo o nome do que me espanta, os ramos,
as rezas, os restos, as raízes da tarde.
Dentro da fala bate por vezes um coração indeciso, animal
cansado, cristal de sombra, sentença obscura. A fala procura
os limites de cada um de nós, vizinha dos pensamentos e res-
piração do mundo.
Estranho país é o da fala, que impede o silêncio pelas razões
mais nobres. Só a boca é amante do discurso, do impulso, vi-
ve de explorar coisas vivas, pequenos nadas, grandes expec-
tativas.
A fala é um bem, um brilho, uma manhã. Um amanhã já hoje."

*
in ANO COMUM, 2.ª ed.
Editora Edições Esgotadas, 2013.
 
 FALSO POEMA ASSÍRIO COM MENOS DE 3000 ANOS

* JOAQUIM PESSOA *


Dou-te a chave do meu quarto
por tuas mãos no meu corpo.

Dou-te a arca dos meus medos
em troca do teu sorriso.

Dou-te a minha rosa turca
pelo teu olhar calado.

Dou-te o meu cordeiro branco
pelos teus cabelos negros.

Dou-te o meu linho macio
se me deres teus abraços.

Dou-te o mel dos meus cortiços
para ter a tua boca.

Dou-te a lã dos meus rebanhos
pela nudez do teu peito.

Dou-te a cria mais bonita
por tuas nádegas quentes.

Dou-te o melhor dos meus vinhos
só para ter tuas ancas.

Dou-te o meu galo de briga
em troca das tuas coxas.

Dou-te a vida dos meus cães
mas exijo o teu silêncio.
in MAS., Litexa, 1987
["Odalisca" - óleo s/tela - Mariano Fortuny]

 https://www.facebook.com/Poetaspoemasepoesias/photos/a.381985865181535.83536.381791518534303/469445476435573/?type=3&theater
*
Foto de Poetas  Poemas  Poesias.
https://www.facebook.com/Poetaspoemasepoesias/photos/a.381985865181535.83536.381791518534303/825296674183783/?type=1&theater
POEMA PRIMEIRO

... Gosto-te. E desta certeza
se abre a manhã como uma imensa
rosa de desejo indestrutível. O futuro
é o próximo minuto, para além
da infatigável religião dos meus versos,
em cuja luz me acendo, feliz e nu.
O meu sorriso conhece a bondade
dos animais, o poder frágil das corolas,
e repete o nome feminino dos arcanjos de
peitos redondos, perfumados
pelas giestas dos caminhos
do céu.
Gosto-te. Amarrado
pelos meus braços de beduíno do sol,
pobre senhor dos desertos,
profeta da distância que há dentro das palavras,
onde se alongam sombras
e o sofrimento se estende até à orla
da mais inquieta serenidade.
Gosto-te. E tenho sido
feliz, por nunca ter seguido os trilhos
que me quiseram destinar. Aqui
e ali me pergunto, despudoradamente. E sei
que não sei mentir. É por isso,
que recolho na face a luz imprescindível
ao orgulho dos peixes
e dos frutos.
Gosto-te. Na-na-na, na-ô...
Na-na-na, na-ô... na-nô...
Canta o espírito do caminho,
canta para mim e canta para ti, eleva
o coração das grandes árvores, coração
de seiva e de coragem,
sangue fresco e verde, apaixonado
e doce,
de tanto contemplar o perfil das tardes.
Gosto-te. Mas "longe"
é uma palavra úmida, grávida,
onde os sinos da erva tocam
para convocar as sílabas. E,
ao procurar-te, tremo apenas
de ternura
para que nem mesmo a inteligente brisa
da manhã
possa dar por mim.
Mais discreto que isto
é impossível.

*

https://www.facebook.com/349094905211303/photos/a.349115855209208.1073741828.349094905211303/779968098790646/?type=1&theater
Se eu pudesse voltava para ela. Enquanto estivemos juntos pude perceber como era uma mulher extraordinária, muitas vezes doce, quase sempre segura, invariavelmente inteligente. Que me amou como só ela o poderia fazer e a quem eu amei como mais ninguém o poderia ter feito. Com um amor entusiástico, fantástico, puro. E cúmplice.
Não vou negar que por vezes tivemos os nossos quês, e mesmo alguns porquês, quero dizer, nem sempre estivemos de acordo, muitas vezes e em muitas coisas não conseguimos espreitar pelo mesmo lado da vida, a nossa vida em comum.
Amuámos, zangámo-nos e, não poucas vezes, tentámos impor ao outro os pontos de vista de cada um, quando cada um se achava o dono da verdade. Mas tudo acabou sempre com uma ternura imensa e transparente que ambos sabíamos guardar especialmente para momentos como aqueles.
E era bom fazer as pazes. Era bom amarmo-nos assim, como se fôssemos um só.
Foi um privilégio amá-la mais de vinte anos. Mas o tempo acabou por nos separar. O tempo, o grande inimigo do amor, acabou por vencê-lo. Não que o matasse, porque ainda a amo.
Não que a fizesse esquecer, porque continuo a ter saudades dela. Perdi-a, apenas. Estupidamente. E é por isso que penso tantas vezes que, se tivesse essa possibilidade, voltava para ela. Só eu sei, meu Deus, a vontade que ainda tenho de a apertar nos braços, de a beijar, e até de juntar às dela, um milhão das minhas lágrimas felizes.
Acontece que hoje não saberia onde procurá-la nem como poderia realizar o nosso encontro. Se eu soubesse, acreditem, voltava para ela. Porque esse reencontro lhe traria uma imensa alegria, e porque eu voltaria a ser feliz junto da minha mãe.

 em "Ano Comum"

*

https://www.facebook.com/comosefosseoultimodia/photos/a.888152227863199.1073741830.879625622049193/1007899169221837/?type=1&theater
POEMA NONAGÉSIMO QUINTO

Haverias de entender se eu te dissesse
que não há nada de mais significativo na pobreza
do que a fome, e esse brilho manso que provoca no
olhar. Haverias de entender se te dissesse que a poesia,
se é para comer, também ela tem fome. Uma fome
que nunca estará extinta, que nunca deixará de consumir
o próprio poeta, esse ser que ama e que faz guerra
às próprias palavras. Uma fome de tudo, uma fome
de todos. Fome do que és, do que pensas, do que estás
pronto para pensar. Dos que ficam. Dos que partem
e dos que os acompanham. Das coisas bem e mal feitas,
do silêncio, dos tambores, e dos tambores do silêncio.
Fome de pecado, do fogo, do espanto e do azul.
Fome de mim, de ti. De fúria, de futuro. E das coisas
que não sabem nem encontram o caminho. Dos que
rezam, dos que cantam, dos que seguem as estrelas
e dos que olham o passado sobre os ombros de um tempo
que se busca a si mesmo. A fome litoral dos oceanos,
a fome dos homens da floresta e dos pássaros brancos
casados com o mar. Fome das ondas, das ostras, das
urtigas. E do rasto da cobra. E do ninho do pássaro
da noite, o extenuado rouxinol. Fome da fome, e fome
do amor. Fome do peixe, da maçã, dos frutos da alegria
que se colhem na carne e perfumam a boca, e fome,
eterna fome de estar feliz, de ser feliz, de ser assim
umas vezes, e de outras ser diferente. De nunca estar
bem, de nunca estar onde devemos, de permanecer
calados até à nossa fala. Oh, sim. Sim, sim. Tu
haverias de entender se eu te dissesse.

© Foto de Stefano Viti