08/11/2016

7.762.(8noVEMbro2016.7.7') Auroville - Índia

***
Todas as decisões políticas da cidade são tomadas em comunidade (Foto: Divulgação)
http://revistagalileu.globo.com/Sociedade/noticia/2016/03/conheca-cidade-que-nao-tem-politicos-ou-classes-sociais.html
Imagine viver num lugar em que a política é feita do povo e para o povo, em que não há religião oficial e o dinheiro é mero detalhe. Parece utopia, mas essa é uma boa descrição da comunidade indiana de Auroville.
Oficialmente reconhecida como cidade pelo governo da Índia e pela Unesco, Auroville foi fundada em 1968 pelo casal Sri Aurobindo e Mirra Alfassa, ele indiano e ela francesa. No dia da inauguração da comunidade, pessoas de todos os cantos do mundo levaram terra de seus países nativos para simbolizar a união de todas as nações.
Hoje, cerca de duas mil pessoas moram na cidade, quem tem capacidade de receber até 50 mil moradores. A maioria dos habitantes de Auroville é indiana, mas há gente da França, da Alemanha, de Israel, dos Estados Unidos, da Rússia e até do Brasil.
Faça o que tu queres
Completamente autossustentável, a cidade tem campos cultiváveis, pequenas fábricas, restaurantes, padarias, hospitais, escolas e cinemas, além de um pequeno jornal local, tudo alimentado por energia solar. E não há escassez de profissionais! Lá, moram arquitetos, cientistas, médicos e artistas de todos os tipos, de escritores e poetas a escultores e pintores.
Todos os moradores recebem um salário mensal de R$ 405, valor suficiente para os gastos médios e para guardar um pouquinho para qualquer emergência. Mesmo que alguém acumule muito dinheiro, tocando um negócio, não há muito o que comprar, evitando assim a criação de uma sociedade de classes. Carros? Não existem em Auroville. Os cidadãos se locomovem com suas bicicletas.
A política também depende da comunidade. Não existem prefeitos, governadores ou secretários em Auroville. Sempre que surge um problema, uma assembleia é convocada e os cidadãos da comunidade elegem um conselho que remediará o problema.
Também não há religião oficial. Os residentes em Auroville são livres para exercer seus rituais e acreditar no que quiserem, desde que não incomodem ou tentem pregar suas crenças aos concidadãos.
#partiu
Qualquer um é bem-vindo em Auroville. Para morar lá, o interessado precisa apenas comprar uma casa. As residências não ultrapassam o preço de 3 mil dólares – cerca de R$12 mil. Caso o novato não tenha condições de comprar a casa, pode conversar com a comunidade e realizar trabalhos extras para abater o preço.
Todo mundo precisa ter um trabalho oficial na cidade, mas pode contribuir em outras funções e produzir sua própria arte, que é remunerada. Portanto, quando chega na cidade, o novo morador descreve suas aptidões e recebe sugestões de funções que pode exercer.
No primeiro ano que passa na cidade, o novato é observado e avaliado pela comunidade. Depois de uma ano, período que eles chamam de “estágio”, os cidadãos de Auroville decidem se a pessoa pode ou não permanecer entre eles. Caso o pedido seja negado, o valor investido na compra da casa é devolvido integralmente.
***
Foto: Labioguia
*
Auroville: uma cidade sem política, dinheiro e religião
http://www.gadoo.com.br/entretenimento/auroville-uma-cidade-sem-politica-dinheiro-e-religiao/
***

Auroville: A Cidade Onde Não Há Política, Religião, Leis E Diferenças


http://www.portalraizes.com/uma-cidade-onde-nao-ha-politica-religiao-leis-e-diferencas/
Auroville, é uma cidade no sul da Índia, oficialmente reconhecida pela UNESCO. De acordo com os fundadores da cidade, tornou-se uma experiência internacional na criação de uma sociedade além da política e preferências religiosas.


Em algum lugar na Terra deve haver um lugar onde nenhuma nação pode invocar um direito. Onde todas as pessoas que têm uma aspiração sincera poderia viver livremente como cidadãos do mundo, seguindo apenas uma liderança: a liderança da Verdade Suprema
Parece um conto de fadas dos filmes de Indiana Jones, a antiga lenda oriental. Mas Auroville existe.
Em 1968, o dia da fundação da cidade, representantes de centenas de países estiveram em Auroville levando um pouco de terra de seus países nativos. Os montes foram empilhados em urnas de mármore e enterrados perto do Matrimandir, que agora é um local de encontro comum.“Matrimandir” pode ser traduzido como “Templo Mãe” e simboliza um modo de vida, que é projetado para libertar as pessoas das limitações políticas, financeiras e sociais. O templo é voltado aos ensinamentos de Sri Aurobindo e Mirra Alfassa – um indiano e uma mulher francesa. Juntos, eles criaram o Ashram, que mais tarde tornou-se a cidade de Auroville (Ashram – um lugar onde as pessoas vivem e lidam com intensa prática espiritual e tranquilidade em meio à natureza).
Matrimandir está localizado no coração de Auroville. Este edifício com uma cúpula dourada, onde as pessoas se reúnem e meditam. No centro, logo abaixo da cúpula, há uma enorme bola de cristal . A luz brilhante chega a dar uma cegueira momentânea – devido às correntes de luz solar.
A cidade suporta até 50 mil pessoas. Atualmente, o número de residentes permanentes é de dois mil. A maioria veio da Índia, mas há pessoas da França, Alemanha, Israel, Estados Unidos, Rússia e muitos outros países. Eles vivem em casas localizadas em uma espiral que se desenrola do centro da cidade, à partir do templo de Matrimandir. Cada um faz o seu trabalho. A cidade é autossustentável: há campos, fábricas, padarias, restaurantes, escolas, cinemas, escola de música. Tudo alimentado por energia solarHá até mesmo jornais locais.
Todas as decisões importantes são tomadas na cidade a partir de um Grupo de Estudo,formado para cada decisão, que deve ser aprovada pelo voto geral. Não há centralização de decisões, prefeito ou outro órgão único de governo.
Qualquer um pode se tornar um residente de Auroville. O período de adaptação, ou estágio para iniciantes, dura um ano, após do qual os cidadãos podem recusar-se a aceitar o novato. Para se basear na cidade, você deve primeiro comprar uma casa, que será sua propriedade permanente, enquanto você viver na cidade.
Todos os residentes adultos trabalham em Auroville e recebem um salário mensal de cerca de R$ 405,00 (ou 90 Euros). Há muitas famílias jovens. Além de agricultores e engenheiros, a cidade não tem escassez de artistas, arquitetos, cientistas e médicos. Os moradores crêem fazer parte de uma grande experiência que irá beneficiar toda a humanidade.
Os únicos veículos que se vê são poucas motocicletas usadas para algumas necessidades da comunidade. Com exceção de táxis que trazem as pessoas recém chegadas do “mundo exterior”.
A vida em Auroville é bastante diversificada, mas não é simples. Todos os dias você tem que lutar consigo mesmo, com os seus complexos e medos – não há distrações e não há como evitar as pessoas. Mesmo um novato que não conhece ninguém na cidade, depois de um tempo vai conhecer todos os que vivem lá. Muitos chegam à cidade em pares.
Em Auroville não há absolutamente nenhuma barreira de comunicação: os habitantes são muito abertos e incrivelmente silenciosos.
Update: A mão de obra é compartilhada e cada um trabalha com aquilo que deseja ou que tenha maior habilidade. Um terço dos moradores de Auroville é proveniente da própria Índia.
Update: Os moradores contribuem com um valor mensal fixo que é usado para manter a infra-estrutura existente, como estradas, serviços de saúde, instalações de educação, habitação, etc. Além disso, uma taxa de administração única é solicitada à todos. Estrangeiros também devem contribuir com um fundo específico, que é devolvido ao morador caso este venha a deixar de morar na cidade.
Caso a pessoa não tenha como fazer essas contribuições, a situação é considerada individualmente.Mais importante do que a contribuição monetária é a própria contribuição através do trabalho regular e útil para a comunidade.
Não há religiões, mas a espiritualidade está sempre presente.
***
http://www.semprequestione.com/2016/09/auroville-incrivel-cidade-onde-os.html#.WCHDd9KLSM8