09/01/2014

7.347.(9jan2014.8.8') Thierry Ferreira

Nasceu a 27jan???
***
Some virtual adventures!
***
10noVEMbro2017
+1 prémio...em Serpa
1.º Prémio Ibérico de Escultura - Cidade de Serpa
405 x 375 x 310 cm
Metal
Foto de Thierry Ferreira.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10213143628419449&set=a.10213143627099416.1073741850.1656836844&type=3&theater
***
8ouTUbro2017
+1 prémio...Coruche
Cúbicos #71027082
Aço
345 x 540 x 360 cm
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10212891781683438&set=a.10212885453485237.1073741848.1656836844&type=3&theater
***
7jan2016
via região de cister
thierry-ferreira_casas.jpg
http://www.regiaodecister.pt/pt/noticias/casas-de-thierry-ferreira_mundo
As peças de Thierry Ferreira são construídas como se de uma casa se tratassem. Neste momento, o escultor está a reconstruir uma casa antiga de familiares. Há um período de reflexão e de avaliação técnicas e depois a obra surge, parede a parede. Todo o trabalho do escultor alcobacense parece andar à volta do tema da habitação. 
A casa, conta Thierry Ferreira, pode ser uma “metáfora para o corpo humano” no sentido em que protege e isola o ser humano do exterior. Além disso, as casas são como “carapaças onde se acumulam memórias e vivências”. “Habitar o mundo” é, portanto, um dos seus lemas de vida pessoal e artística.
É talvez por isso, que a série mais conhecida do artista seja a Cubic, uma estrutura metálica pentagonal que se assemelha a uma casa. “Uma casa em que as pessoas podem andar lá dentro e atravessar a peça”, descreve o escultor. No passado mês de outubro, várias estruturas, com mais de cinco metros de altura e seis de comprimento, dessa série estiveram expostas em Teerão, capital do Irão.
O espólio de Thierry Ferreira, já exposto um pouco por todo o Mundo, não “nasceu” de um acaso espontâneo de inspiração. “A escultura não é uma vocação que tenha desde muito novo”, revela o artista. Em vez disso, o alcobacense afirma que sempre teve apetência para os trabalhos manuais e para a criação. Criação de coisas ou objetos. 
Só mais tarde, já adulto, é que tomou consciência do aspeto estético do seu trabalho. Desde então, Thierry Ferreira tem olhado para a sua arte de outra perspetiva, estudando a forma como a escultura se relaciona com o público e com o espaço que a rodeia.
De facto, o escultor alcobacense tem aprofundado o conhecimento na arte que pratica. Em 2006, Thierry Ferreira ingressou na licenciatura em Artes Plásticas na Escola Superior de Arte e Design, em Caldas da Rainha. Atualmente, o artista frequenta o mestrado em Artes Plásticas no mesmo estabelecimento de ensino e, ainda este ano, deve defender a sua tese.
***
23noVEM2015
via região de cister
thierry_ferreira.jpg
http://www.regiaodecister.pt/pt/noticias/thierry-ferreira-apresenta-novo-projeto-no-irao
Foi no Irão que Thierry Ferreira construiu mais um projeto escultórico de arte pública, “CUBIC#51020161”, no passado mês, durante a sétima edição do simpósio internacional de escultura de Teerão. 
Trata-se de uma estrutura em metal, de grandes dimensões, que se enquadra no corpo de trabalho que o artista está a desenvolver desde 2006, no qual explora a noção de construção, edificação e habitação. “CUBIC#51020161” pretende mostrar imagens do mundo a ser construído. 
O simpósio internacional de escultura de Teerão reuniu nove escultores iranianos e 14 escultores de 13 países, incluindo Rússia, Albânia, Portugal, Itália, Alemanha, Peru, Bulgária e Grécia. O evento tem como principal objetivo desenvolver e promover a escultura e o embelezamento urbano.
Os trabalhos foram selecionados por um comité composto por Morteza Nematollahi, Kambiz Sabri, Mohammad-Reza Khalaji, Majid Haqiqi e Behdad Lahouti. 
As criações artísticas serão instaladas em diversos locais na capital de Teerão. 
***
16noVEM2015
Via Tinta Fresca.net
CUBIC#51020161 é a nova obra do escultor alcobacense
    Thierry Ferreira participa no 7º Simpósio Internacional de Escultura de Teerão
    em Teerão

    http://www.tintafresca.net/News/newsdetail.aspx?news=97e5ccba-c95a-40aa-9c0a-a21a439c7280&edition=181
    O Simpósio Internacional de Escultura de Teerão reuniu 9 escultores iranianos e 14 escultores de 13 países,
     incluindo Rússia, Albânia, Portugal, Itália, Alemanha, Peru, Bulgária e Grécia, com o objetivo de desenvolver
     e promover a escultura e o embelezamento urbano. Foi no Irão que Thierry Ferreira construiu “CUBIC#51020161”, 
    no passado mês de outubro, durante a sétima edição do Simpósio Internacional de Escultura de Teerão. Trata-se 
    de uma estrutura em metal, nas medidas de 640 x 400 x 544 cm, que se enquadra no corpo de trabalho que o 
    artista tem desenvolvido desde 2006, no qual explora a noção de construção, edificação e habitação. 
    “CUBIC#51020161” pretende mostrar imagens do mundo a ser construído.
    ***
    ouTU2015
    via face

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10206953493349941&set=a.2635141851925.129385.1656836844&type=3&theater
    ***
    http://www.thierryferreira.com/en

    *
    que suis je
    http://vimeo.com/27924708
    *
    blogue
    http://www.thierryferreira.com/blog-2/
    ***
    O grand'escultor continua a viajar pelo mundo com a sua obra
    esteve na China em out2014 com a sua obra CUBIC
    Via tintafresca.net
    nov2014


    Alcobaça
      Thierry Ferreira regressa da China
      entre a escultura e o pensamento
       
                                                Thierry Ferreira
        Thierry Ferreira acaba de regressar de Pingtan (Província de Fujian, China), onde participou nas comemorações da inauguração, no dia 11 de outubro, do Parque de Exposição Internacional de Escultura da cidade, que integra uma réplica em bronze da escultura de sua autoria, “Cubic”.

         A obra do escultor de Alcobaça revela uma reflexão sobre a arte pública contemporânea, confrontando-a com a história da arte. Thierry Ferreira descreve esta obra como «contrariedade da tendência da escultura vertical, que potencia à exaustão a ideia de três dimensões, podendo por isso ser colocada em qualquer posição, forçando assim o espectador a sentir necessidade de visualizar todas as faces da escultura. Mais do que um instrumento político, a escultura é pensamento».

         Thierry Ferreira foi convidado pelo escultor chinês e comissário do evento, Liu Yang, após a participação dos dois escultores numa residência artística, em Bento Gonçalves, Brasil, no ano de 2012, onde houve uma troca de ideias sobre escultura pública.

         Sob o tema "Harmonia, Desenvolvimento e Sonho", o Parque de Exposição Internacional de Escultura de Pingtan integra um projecto urbanístico, que se estende num percurso de um quilómetro, à beira do Lago Zhuyu, ostentando 48 réplicas de obras de escultores de renome e artistas de todo o mundo, construídas em diferentes materiais, tais como: pedra, aço inoxidável, bronze e fibra.

         O projeto decorreu em diversas fases: a primeira iniciou-se em Abril de 2013, com a realização e o envio de uma maquete para a China; seguiu-se a produção do modelo e da fundição, com acompanhamento contínuo do processo através de videoconferência, e por fim, a inauguração do parque de escultura.

         O Parque de Exposição Internacional de Escultura de Pingtan, nasceu sob a orientação do Gabinete do Nacional Comité Orientador Escultura Pública com o objectivo de ser um espaço de diálogo e de confronto de várias correntes artísticas, locais e estrangeiras, de divulgação da arte contemporânea e de debate do papel da arte pública.
      03-11-2014
      ***
      via região de cister 6nov2014
      thierry-ferreira1.jpg
      Em menos de cinco meses, Thierry Ferreira já conquistou a Cisjordânia, a Argentina e, recentemente, regressou à China. O historial das apresentações mundiais ficará completo se lhe juntarmos França, Brasil e Argentina.
      O escultor alcobacense voltou a Pingtan (Província de Fujian), onde participou nas comemorações da inauguração do Parque de Exposição Internacional de Escultura de Pingtan. Neste espaço, apresenta uma réplica em bronze da sua escultura ‘Cubic’.
      Através desta obra escultórica, Thierry Ferreira revela uma reflexão sobre a arte pública contemporânea, confrontando-a com a história da arte. Descreve esta peça como “contrariedade da tendência da escultura vertical, que potencia à exaustão a ideia de três dimensões, podendo por isso ser colocada em qualquer posição, forçando assim o espetador a sentir necessidade de visualizar todas as faces da escultura”. E não tem dúvidas de que “mais do que um instrumento político, a escultura é pensamento”.
      O convite para a concretização desta peça surgiu, há dois anos, quando Thierry Ferreira se encontrava no Brasil a participar numa residência artística com o escultor chinês e comissário do evento, Liu Yang. 
      Tendo como tema ‘Harmonia, desenvolvimento e sonho’, o Parque de Pingtan integra um projeto urbanístico que se estende num percurso de 1 Km. São 48 as réplicas de obras de escultores de renome e artistas de todo o mundo, construídas em diferentes materiais, como pedra, aço inoxidável, bronze e fibra. 
      A primeira fase do projeto do artista plástico alcobacense começou a desenhar-se em abril do ano passado, com a realização e o envio de uma maquete para a China. Seguiu-se a produção do modelo e da fundição, com acompanhamento contínuo do processo através de videoconferência. Por fim, a inauguração do Parque. Assim, se vão espalhando pelo mundo as obras de Thierry Ferreira.
      ***
      20jul2014
      via
      https://www.facebook.com/bienalchaco?fref=photo
      https://www.facebook.com/bienalchaco?fref=photo

      BIENAL DO CHACO - Argentina
      ***
      via tinta fresca.net
      Alcobaça
        Escultor Thierry Ferreira estreia-se na Palestina com escultura metálica

                 Thierry Ferreira trabalhando a sua escultura
          "CUBIC#41026001#" é escultura metálica que Thierry Ferreira acaba de concluir e que foi recentemente instalada em Rawabi, a primeira cidade palestiniana construída totalmente de raiz, que pretende ser um exemplo de cosmopolitismo e modernidade, através da arte pública.

           Esta nova peça de Thierry Ferreira, uma estrutura metálica com 600x450x400 cm, é uma das maiores que o escultor concebeu até agora, e que se enquadra no vasto corpo de trabalho que vem a desenvolver desde 2006, cujo tema central é a “Casa”.

           A obra do artista alcobacense foi trabalhada durante um mês, num estaleiro em Rawabi, devido às suas significativas dimensões, tendo sido posteriormente transportada para o local estratégico onde atualmente se encontra, através de um camião-grua.

           Este é mais um passo importante para a internacionalização da carreira artística de Thierry Ferreira, que surgiu com o convite do escultor Romeno Eugenio Petri, conjuntamente com Bayti Real Estate Investment Company, a entidade promotora do projeto da cidade de Rawabi. Thierry Ferreira tem consolidado o seu percurso artístico internacional, tendo já realizado obras públicas em diversos países, nomeadamente França, Brasil, Argentina e China.
        19-06-2014
        ***
        jul2013
        seis mil setentos e sessenta e um
        Tenho o prazer de convidar para a inauguração da exposição Geometria da Decadência - nada está à venda, no dia 6 de julho de 2013, pelas 16h00, no m|i|mo - museu da imagem em movimento, em Leiria.
        30

        6 Julho > 31 Agosto
        GEOMETRIA DA DECADÊNCIA - nada está à venda
        m|i|mo - museu da imagem em movimento
        ***
        mar2013
        seis mil trezentos e quarenta
        Exposição ARCO Madrid
        projecto monsieur FERREIRA. 
        presente este ano no Arco Madrid, no Museo Nacional Reina Sofia
         e no Museo Nacional Del Prado.
        Aproveito ainda para deixar aqui o meuBOOK 2013.
        Imagem intercalada 3
        Thierry Ferreira
        919 825 989
        www.thierryferreira.com
        www.thierryferreirahome.blogspot.com
        ***
        AB2012
        CINCO MIL SEISCENTOS E SESSENTA E DOIS
        via região de cister de 19 abril 2012

        Os eSonhos artificiaisf de Thierry Ferreira
        19-04-2012 08:57

        Imagine-se a passear pela cidade de Jingpo, Mudanjiang (China), e encontrar uma escultura, de grandes dimensões, do artista alcobacense Thierry Ferreira. O que hoje é uma possibilidade, ‘amanhã’, poderá ser uma realidade.
        ***
        11NOvem2010
        TRÊS MIL SETECENTOS  E TRÊS

        respigado de:
        http://www.regiaodeleiria.pt/2010/11/duas-esculturas-de-thierry-ferreira-na-argentina/
        Duas esculturas de Thierry Ferreira na Argentina
        Publicado em 08 Novembro 2010 às 7:55 pm. Tags: argentina, escultura, évora de alcobaça, Thierry Ferreira, video arte
        O artista plástico Thierry Ferreira lançou-se à conquista da Argentina, onde esteve um mês, criando duas esculturas para espaços públicos.
        O artista, residente em Évora de Alcobaça, tem uma das peças integrada na colecção do MAACR – Museu de Arte Contemporânea ao Ar Livre da Cidade de Roldan, localizado aproximadamente a 400 quilómetros de Buenos Aires.


















        A segunda escultura foi projectada por Thierry Ferreira para o Centro Cultural da cidade Porto San Martin. Segundo o autor, o trabalho ainda se encontra em construção.
        A par das esculturas, Thierry Ferreira participou ainda uma mostra de vídeo arte, que integrava dez artistas portugueses. A mostra, intitulada “Videobox”, foi comissariado pelo próprio Thierry Ferreira e por Hugo Paquete.
        ***
        Um agradável convite do Thierry:
        "Votos de um bom ano de 2014, pleno de saúde, sucesso e arte. 

        É com muito gosto que convido  V.Exa. para a inauguração da exposição colectiva "Home Work", no próximo dia 10 de janeiro, pelas 19h, na Galeria Bangbang em Lisboa.

        Esta colectiva reúne propostas de um conjunto de artistas que abordam o conceito de construção – habitação e conta com a participação de André Silva, Carlos No, Diana Costa, Jorge Leal, Leo Ayres, Marcelo Amorim e Thierry Ferreira. Particularmente, irei apresentar um conjunto de fotografias da série “Petit Object” que pode ser visto entre os dias 10 de janeiro e 22 de fevereiro de 2014.

        Com os meus melhores cumprimentos,

        Thierry Ferreira
        ***
        5ag2011
        Gazetas das Caldas

        http://www.gazetacaldas.com/13855/thierry-ferreira-mostra-video-em-festival-bulgaro/
        nasceu em França, mas está radicado há vários anos em Alcobaça, onde tem um ateliê. Formado na antiga Escola Superior de Tecnologias da Arte e Design (actual ESAD), Thierry Ferreira tem expostos as suas obras artísticas e participado em diversos projectos artísticos aquém e além fronteiras. O mais recente é a participação no festival internacional de Videholica, que decorre a partir de hoje, 5 de Agosto, e até dia 12, na cidade de Varna, na Bulgária.
        Na sua quarta edição, o festival assume-se como um fórum dedicado à vídeo arte e conta com participações internacionais.
        Produzido em 2011, o filme “Artificial Dreams” tem pouco mais de um minuto e meio de duração e faz parte de um conjunto de trabalhos onde Thierry Ferreira “explora o conceito de casa como corpo vivo, veículo de memórias, sentimentos, sonhos”, refere Thierry Ferreira. O que se pretende é “levar o espectador a questionar-se sobre a origem dos desejos”. E para isso, o artista lança a pergunta: “não serão os sonhos redutores e artificiais ao ponto de nos impedir de ver fora de nós?”.
        “Artificial Dreams” pode ser visto no site do artista, em www.thierryferreira.com.
        J.F.
        ***
        1JUL2010
        DOIS MIL SETECENTOS E OITENTA E SEIS
        (AMBIENTE) 5.

        ------ FESTA DA CRIANÇA E DO AMBIENTE 2010 – COMPARTICIPAÇÃO

        FINANCEIRA DA ÁGUAS DO OESTE – INFORMAÇÃO - Os 650€ concedidos pela AOeste vão para a Barafunda que pagará ao escultor que idealizou a solução nova decorativa...
        ***
        10DEZ2009
























        Integrada nas comemorações do 200º aniversário da edificação do Convento de Mafra, Thierry Ferreira foi convidado a apresentar um vídeo, no espaço museológico deste magnífico monumento, que é património nacional desde 1910.
        A inauguração da exposição de Arte Contemporânea - SONHO EM CONTRAPONTO. terá lugar no próximo sábado, dia 12 de Dezembro de 2009, pelas 15:00h
        Pintura de Ricardo Passos; Instalação de Paula Rousseau; Vídeo de Thierry Ferreira.
        Excepcionalmente neste dia, as entradas serão gratuitas visto a exposição decorrer dentro do espaço museológico do palácio.

        ***
        28NOvem2009






























        Thierry Ferreira convida para a inauguração da exposição “Fim de série” no próximo dia 28 de Novembro 2009, das 15 h as 20 h , no atelier do artista.
        (Travessa do Rio Seco, entre os Carris e o IC2)
        A exposição “Fim de Série” apresenta um conjunto de esculturas de Thierry Ferreira produzidas nestes últimos nove anos, dando uma visão do que foram as suas temáticas e preocupações estéticas ao longo destes últimos anos.
        Esta exposição assinala ainda o fim de um ciclo dedicado essencialmente à talha de pedra, na condição de autodidacta, e abre uma nova fase marcada com a sua Licenciatura em Artes Plásticas.
        Mapa de acesso:
        http://www.google.com/maps/ms?ie=UTF8&msa=0&msid=109148289137940920620.000478699358b864df4b7&ll=39.499686,-8.941927&spn=0.004404,0.006931&z=17


        .................

        o "Região de Cister" de 27.11.2009 reportou:



        O fim e o ínicio de um artista
        ‘Fim de série’. Um tema tão original quanto as peças em escultura em exposição. O artista tem um nome: Thierry Ferreira.
        No Casal da Charneca, na freguesia de Évora de Alcobaça, ele convida a região e o País a conhecer, até ao final do ano, alguns dos trabalhos que fez ao longo dos últimos nove anos.
        ‘Fim de série’ assinala o fim de um ciclo dedicado essencialmente à talha da pedra, na condição de autodidacta, e abre uma nova fase marcada com a sua licenciatura em Artes Plásticas. "É o fim e o início de um artista, ou seja, um ponto de chegada e de partida", reforça Thierry Ferreira, que quer abordar outras formas de arte tendo em conta a sua formação.
        No mesmo espaço, mas numa sala contígua, o jovem alcobacense dá a conhecer algumas das suas novas ideias, no campo das artes plásticas/contemporêa, em que já está a trabalhar. Vídeo, fotografia, pinturas, instalações são alguns dos projectos que quer abraçar.
        Regressando ao tema das esculturas, Thierry Ferreira olhou para a pedra sempre com paixão. Nelas esculpiu o que lhe ia na alma: mulheres, homens, santos, olhos, montes. Uma imagem de Jesus Cristo (na foto) com mãos desproporcionais ao corpo embeleza um dos cantos da sala. "Gosto de interpretar personalidades. Deixo-me levar sempre por um lado espontâneo", testemunha.
        O exotismo africano domina algumas das suas peças, mas há também espaço para o lado mais geométrico e belo dos corpos, lembrando a escultura praticada na Grécia antiga.
        O atelier está aberto aos fins-de-semana, das 15 às 19 horas. Durante a semana só por marcação (919 825 989).
        Luci Pais
        ***
        9NOvem2009











        recebi via Sara Gonçalves
        Vai ser inaugurada Exposição de Pintura com 2 artistas Alcobacenses, em Lisboa, na próxima 4ª fª, 11 Nov, às 18.30, no Museu do Oriente, da Fundação Oriente (Av. Brasília. Doca de Alcântara/Norte).
        Iniciativa da "Propulsarte"
        É a 6ª Edição do Anteciparte. Lisboa . Museu do Oriente.
        A exposição estará patente de 12 a 29 de Novembro
        no horário de funcionamento do Museu do Oriente.Todos os dias, das 10h00 às 18h00; Sexta-feira, das 10h00 às 22h00.Encerrado à Terça-feira.
        Com a participação de: Ana Lúcia Oliveira, Ana Rebordão. André Neto. Andrea Brandão. Beatrice Catanzaro. Cláudio Balas, Daniel Lopes, Délio Jasse, Eugénia Mussa, Guillaume Vieira, João Ferreira, João Gama, Lúcia Prancha, Luís Plácido Costa, Patrícia Oliveira, Pedro Henriques, Rui Mourão, Sandra Pereira, Sara Bichão, Sofia Silva, Susana Moura, Thierry Ferreira e Tiago Bom
        respiguei do site



        ANTECIPARTE
        De 12 de Novembro a 29 de Novembro decorre no Museu do Oriente a 6ªedição do ANTECIPARTE, um dos mais importantes eventos das artes plásticas nacionais. Este projecto apresenta anualmente uma selecção da mais jovem expressão artística nacional, ainda fora do circuito comercial. A exposição é o resultado de uma selecção dos finalistas dos vários cursos de arte em Portugal, os quais enviam os seus portefólios a concurso. A escolha é feita por um júri constituído por Filipa Oliveira, Julião Sarmento, Luís Brito da Mana, Maria do Mar Fazenda e Miguel Palma. O ANTECIPARTE funciona como um barómetro do que de mais novo e de melhor qualidade Portugal está a produzir nas diversas expressões artísticas: desenho, pintura, escultura, instalação, fotografia e vídeo.
        Galeria Sul, 12 de Novembro a 29 de Novembro