02/04/2014

7.765.(2abril2014.17.48') José Afonso

Nasceu a 2agos1929

e morreu 23fev1987
***
José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos
***
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10204915989093382&set=gm.1005019669571746&type=3&theater
***

Video do funeral...

estive lá!!!

https://www.youtube.com/watch?v=0UVZ8zSIMww&feature=youtu.be

***

Café Paris...R.Frei Antº Brandão sexta 23maio2014...19h.30' 

VIA HENRIQUE BÉRTOLO:

"PROGRAMA DE HOMENAGEM, AO EX PROFESSOR DE FRANÇÊS
EM ALCOBAÇA ZECA AFONSO
NO LOCAL CAFE ONDE O ZECA AFONSO FREQUENTAVA , EM ANIMADAS PARTIDAS DE XADREZ, CAFÉ DO SR ISIDORO( CAFE PARIS AGORA)
ALGUNS AMIGOS , E MANUEL FREIRE O CANTOR " PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO ZECA AFONSO" IRÃO OFERECER AO CAFÉ , UMA MOLDURA PARA SER EXPOSTA DO GRANDE CANTOR REVOLUCIONÁRIO DA MUSICA PORTUGUESA CONTRA O REGIME DO ESTADO NOVO" SALAZAR " 
É UMA SIMPLES HOMENAGEM, DA INICIATIVA DO COMENDADOR MANUEL BEJA , DO DR BASILIO JOSE MARTINS DIRECTOR DO JORNAL VOZ DE ALCOBAÇA , E DE HENRIQUE JORGE BERTOLO
CONVIDA-SE A QUEM QUISER COMPARECER, NO CAFÉ PARIS EM ALCOBAÇA, SEXTA FEIRA 23 DE MAIO 2014 AS 19.30 H
AGRADECEMOS PELA SUA COMPARÊNCIA NO LOCAL"

***

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=849331671748517&set=a.115115348503490.19782.115062325175459&type=1&theater
Dos muitos filhos grados 
que tiveste
nem um se lembra
da velha casa térrea
onde concebeste sem pecado 
e estragaste os teus dias
entre a corda da roupa
a cozinha e o homem
Amanhã sem aviso
apanhas um eléctrico
mudas de roupa
acompanhas
o trajecto dos astros
De repente
é o arco-íris em volta
o guarda-freio a volúpia
a rua o beiral
duma grande família

Não voltes
in "José Afonso, textos e canções"
Editora Relógio D'água
© Fotografia: DR

***

Grândola Vila Morena

Zeca Afonso



Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade
Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada esquina, um amigo
Em cada rosto, igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto, igualdade
O povo é quem mais ordena
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola, a tua vontade
Grândola a tua vontade
Jurei ter por companheira
À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
https://www.youtube.com/watch?v=gaLWqy4e7ls
***
Vejam Bem - Cantares de Andarilho (1968)
https://www.youtube.com/watch?v=Io_RidA1mlI&list=RDIo_RidA1mlI
Vejam bem 
que não há só gaivotas em terra 
quando um homem se põe a pensar 
quando um homem se põe a pensar 
Quem lá vem 
dorme à noite ao relento na areia 
dorme à noite ao relento no mar 
dorme à noite ao relento no mar 

E se houver 
uma praça de gente madura 
e uma estátua 
e uma estátua de de febre a arder 

Anda alguém 
pela noite de breu à procura 
e não há quem lhe queira valer 
e não há quem lhe queira valer 

Vejam bem 
daquele homem a fraca figura 
desbravando os caminhos do pão 
desbravando os caminhos do pão 

E se houver 
uma praça de gente madura 
ninguém vem levantá-lo do chão 
ninguém vem levantá-lo do chão 

Vejam bem 
que não há só gaivotas em terra 
quando um homem 
quando um homem se põe a pensar 

Quem lá vem 
dorme à noite ao relento na areia 
dorme à noite ao relento no mar 
dorme à noite ao relento no mar
***
2014
Via Diário Digital com Lusa
Biografia de Zeca Afonso é livro essencial nas comemorações do 25 de Abril
http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=695833

Uma biografia de José Afonso, com documentos inéditos, intitulada “Zeca Afonso – Livra-te do Medo”, da autoria do jornalista José A. Salvador, que conheceu o intérprete e compositor, é uma das apostas da Porto Editora para o mês de Abril, que oferece três livros aos leitores do Diário Digital.

Trata-se de "uma biografia largamente ilustrada com fotografias, fac-similes de manuscritos e vários documentos inéditos" dos arquivos da polícia política anterior ao 25 de Abril de 1974, a Polícia Internacional de Defesa do Estado (PIDE), e da censura, estrutura que visava antecipadamente todas as publicações e espetáculos públicos em Portugal, truncando obras ou proibindo-as, como aconteceu às canções "Traz outro amigo também" e "Venham mais cinco", de José Afonso, afirma em comunicado hoje divulgado a Porto Editora, que chancela a obra.
Esta é “a obra mais completa até hoje publicada sobre José Afonso”, atesta e editora que a publicará no dia 17 de abril.
“José Afonso foi indiscutivelmente uma das grandes vozes da Revolução de Abril. ‘Grândola, Vila Morena’ é um tema que, ainda hoje, procura ser instrumento de intervenção, e este ano, além dos 40 anos do 25 de Abril, comemoram-se também os 50 anos [da origem] desta canção”, afirma em comunicado a editora que recorda que, em “maio de 1964, José Afonso foi cantar à Sociedade Fraternidade Operária Grandolense, acontecimento que o inspiraria a escrever” a canção do álbum “Cantigas do Maio”, de 1971.
A obra é prefaciada pelo jornalista Adelino Gomes e "apresenta uma longa entrevista ao cantautor, bem como depoimentos de familiares e amigos".
Segundo a editora, esta biografia "permite ainda conhecer a relação [de José Afonso] com a literatura, a sua biblioteca, de 829 livros numerados e assinados, o início da carreira, os tempos de perseguição e prisão, e a doença que lhe foi fatal".
De seu nome completo José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos, nasceu a 02 de agosto de 1929 em Aveiro e ficou conhecido como Zeca Afonso, tendo iniciado a carreira em Coimbra, onde fez parte do Orfeão Académico e da Tuna Universitária, seguindo-se uma carreira a solo como intérprete de fados e baladas.
Gravou o primeiro disco, nos inícios da década de 1950, de 78 rotações, com fados de Coimbra, editados pela discográfica Alvorada.
O músico cumpriu o serviço militar obrigatório e, já licenciado em Ciências Histórico-Filosóficas pela Universidade de Coimbra, iniciou a carreira docente, mantendo ligações com o meio musical coimbrão, relacionando-se em simultâneo com, entre outros, Adriano Correia de Oliveira, Manuel Alegre e José Niza.
Em 1963 editou aqueles que são os primeiros temas de cariz político, "Os Vampiros" e "Menino do Bairro Negro", que faziam parte do alinhamento do disco "Baladas de Coimbra", que a Censura proibiu.
Fez digressões pela Europa e estabeleceu residência em Moçambique, entre 1964 e 1967, onde estavam os pais, regressando a Portugal, onde voltou a lecionar, tendo a ditadura procedido à sua expulsão do ensino, por razões políticas.
Em 1969, em Paris, participou no I Encontro da "Chanson Portugaise de Combat". Gravou o disco "Cantares do Andarilho", que lhe valeu o Prémio da Casa da Imprensa, para o Melhor Disco do Ano, e o Prémio da Melhor Interpretação, ao qual se sucedeu "Cantigas de Maio", tendo sido preso, em 1973, pela PIDE, no Forte de Caxias.
Após o 25 de Abril de 1974, envolveu-se diretamente na política, participando em sessões de Canto Livre e na campanha de alfabetização do Movimento das Forças Armadas. Apoiou os candidatos presidenciais Otelo Saraiva de Carvalho (1976) e Maria de Lourdes Pintasilgo (1984).
No dia 23 de fevereiro de 1987, morreu em Setúbal, vítima de esclerose lateral amiotrófica, que lhe fora diagnosticada em 1982. No dia seguinte, o seu funeral foi acompanhado por cerca de 30 mil pessoas, segundo a Associação José Afonso.
o autor de "Zeca Afonso - Livra-te do medo", José António Salvador, conheceu José Afonso quando frequentou a Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, e fez parte da Direção-Geral da Associação Académica de Coimbra, durante a crise estudantil de 1969.
Com 66 anos, José A. Salvador é jornalista desde 1969, quando iniciou a atividade profissional n'O Comércio do Porto, tendo feito parte, posteriormente, das redações do vespertino Diário Popular e do semanário O Jornal, assim como da redação inicial da televisão SIC, onde, durante dois anos, programou a informação.
O Clube de Imprensa distinguiu-o por duas vezes com o primeiro Prémio Viagem pelas reportagens "Tejo, por este rio acima" e "Cabo Verde, o sonho das ilhas".
"Zeca Afonso - Livra-te do medo" sucede aos dois trabalhos anteriores do jornalista sobre o autor de "Grândola, vila morena": "Livra-te do Medo - Histórias e Andanças do Zeca Afonso", de 1985, e "José Afonso: O Rosto da Utopia", de 1994.
***
23D 23h 23' 23"...Zeca viveu em Alcobaça que vos abRRaça
Fernando José adicionou 5 fotos novas.
ZECA AFONSO-1987-2016
No aniversário da sua morte lembro o poeta e compositor José Afonso que passou anos da sua vida, na vila de Alcobaça, enquanto professor na Escola Técnica de Alcobaça. Os seus tempos livres passava-os no mítico Café Paris, local onde um grupos de amigos e admiradores tem um quadro que relembra a passagem do "trovador".
***