03/03/2015

9.678.(3mar2015.8.22') Neste dia...4março...vou rELEVAR: 353.avÔ, José Casanova, Almeida Garrett, Eugénio de Castro, Khaled Hosseini, Gabriel o Pensador,Vivaldi E A POESIA DE JOAQUIM PESSOA

2017
353.avÔ
ao procurAR-TE
ao encontrAR-TE
ao explicAR-TE
ao poetAR-TE
**
15h
abre a loja/galeria da Conceição Cabral no Valado
Foto de Conceicao Cabral.
*
21h30'
Capitão Fausto no Cine-teatro
*
20h jantar e
CBESMAIORga
noite de fados
Foto de Cbes Maiorga.
***
2016...face traz-me memórias deste dia:
Ferreira do Amaral saiu de ministro (e 1.º da lista PSD de Leiria 1999) de cavaco para a Lusoponte...os ex-ministros e SEstado cavaquistas são + que muitos no BPN...Catroga está multimilionário com tanto tacho...

 https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1070693206327935&set=a.121862394544359.18150.100001617977532&type=3&theater
*
 3,3,,,,s.MARtinhooooo do portoooooooo...d' ALCOBAÇA que vos abRRaça
by Fernanda Matias
 
 https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1558448074483570&set=gm.10154067115508969&type=3&theater
*
 +1 esTUpendaaaaaaaaaaa fotogravAÇÃO da Alda Vaz d' ALCOBAÇA que vos abRRaça
 
 https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1233455066668084&set=a.146214172058851.27959.100000108085974&type=3&theater
*
 Hercília Vicente, de Turquel, d' ALCOBAÇA que vos abRRaça, foi a 1.ª mulher trompetista no Conservatório...
 http://regiaodecister.pt/noticias/primeira-trompetista-do-conservatorio
*
 5.º no mundo do ping-pong...merecem 1 bravíssimooooooooooo...
 https://www.facebook.com/Federacao.Portuguesa.Tenis.Mesa/photos/a.169509306413901.35571.167170193314479/1118268221538000/?type=3&theater
*
Flyer_Andebol_A5_AFsite
http://www.oalcoa.com/cister-sport-de-alcobaca-recebe-madeira-sad/
***
 2015...face traz-me memórias deste dia:
 10% não foram ao médico ou não fizeram exames diagnósticos por falta de dinheiro...16% não compraram medicamentos...Acho que estes nºs ainda são + assustadores e... geraram MORTES!!!
 http://uniralcobaca.blogspot.pt/2014/06/829118jun20141313-psdcds-bate-recordes.html
*
 1 vivaaaaaaaaaa à equipa liderada pela Sónia Melo...Urge valorizar a investigAÇÃO portuguesa!!!
*

8h 8' 8" MMM Eu só quero que você saiba
Que estou pensando em você
Agora e sempre mais
Eu só quero que você ouça
A canção que eu fiz pra dizer
Que eu te adoro cada vez mais
E que eu te quero sempre em paz

Tô com sintomas de saudade
Tô pensando em você
E como eu te quero tanto bem
Aonde for não quero dor
Eu tomo conta de você
Mas te quero livre também
Como o tempo vai e o vento vem

Eu só quero que você caiba
No meu colo
Porque eu te adoro cada vez mais
Eu só quero que você siga
Para onde quiser
Que eu não vou ficar muito atrás

Tô com sintomas de saudade
Tô pensando em você
E como eu te quero tanto bem
Aonde for não quero dor
Eu tomo conta de você
Mas te quero livre também
Como o tempo vai e o vento vem

Eu só quero que você saiba
Que estou pensando em você
Mas te quero livre também
Como o tempo vai e o vento vem
E que eu te quero livre também
Como o tempo vai e o vento vem
 https://www.youtube.com/watch?v=iQNFBO9eOp0&index=10&list=RD9X-hhzu0riw
***
 2014...face traz-me memórias deste dia:
 Caros amigos. No próximo sábado, pelas 21,30 horas, no Salão dos Bombeiros Voluntários de Alcobaça, é favor não deixarem de comparecer ao evento promovido pelo GASTagus (organização de voluntariado), com muita animação, comidas, bebidas e baile.
Para mais informações sobre o GASTagus, consultar www.gastagus.org e ouvir na Rádio Cister, entre o meio dia e as treze horas do próximo sábado, o PUBLICAMENTE com a Piedade Neto.
Agradecia que partilhassem com os vossos contactos.
 https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10201539380626437&set=a.1124209145482.2018736.1234723203&type=3&theater
*
 + belas fotogravAÇÕES de Ni Francisco...barco voando sobre o mar bravíssimo...cais impraticável...BBB bravíssima bela baía de SMPorto d' ALCOBAÇA que vos abRRaça
 http://uniralcobaca.blogspot.pt/2014/03/75994mar20141515-ontembbb-bravissima-e.html
***
 2012...face traz-me memórias deste dia:
 já pode ser assinada a petição nas farmácias, nas Juntas dFreguesia...Já há blogue...QUEREMOS O NOSSO HOSPITAL NA CIDADE A FUNCIONAR E A TER MELHORES RESPOSTAS!!!
*
Cristina Franco manda-me esta prenda:

<3 span=""> MAKE YOUR DREAMS COME TRUE!
"As pessoas que não estão dispostas a estabelecer um desígnio no que diz respeito a tudo o que pretendem da vida, para depois se empenharem audazmente na sua concretização, em última análise são pessoas possuídas por grandes medos que perturbam os seus corações. Não permitas que os teus medos te neguem aquilo a que tens direito." (Robin Sharma)
 https://www.facebook.com/photo.php?fbid=3455170416230&set=a.1580128621357.76395.1179915335&type=3&theater
*
 Os nossos THE GIFT vão entrar em pausa com a Sónia quase quase a ter bebé...
*
 Hj x AQUI rELEVO Bon Jovi...e amanhã vou rELEVAR vários intérpretes deste tema "always...
 https://www.youtube.com/watch?v=W_jHkD9DdhI
*
 Herman ontem em Alcobaça que vos abRRaça
 http://uniralcobaca.blogspot.pt/2012/03/55314marco20121130-herman-jose-deu.html
***
 2011...face traz-me memórias deste dia:
 em pleno dia cinzentão "explode":
 https://www.youtube.com/watch?v=FvNQbSg7MP8
*
 quem quiser além de se divertir, passear numa bela poesia ou num magnífico texto tem o blogue extraordinário da Profª Amélia Pais:
1 espanto de qualidade!!!
 http://barcosflores.blogspot.pt/
***
 2001
entre-rios
1 tragédia...
by João Vinhas:
" caiu a ponte Hintze Ribeiro, em Entre-os-Rios.
Nesse domingo fatídico, tinha ido visitar a minha irmã a Nespereira, Cinfães. Passei na ponte eram 16h30, no sentido Penafiel - Castelo de Paiva.
No regresso, já de noite, a viagem foi interrompida.
O autocarro que nos fez aguardar, não chegou à margem de Castelo de Paiva...as luzes desapareceram a meio da ponte. A partir daquele momento, ficamos em silêncio e caminhamos no tabuleiro até percebemos a dimensão da tragédia.
O autocarro não tinha caído, a ponte tinha colapsado e arrastado com ela perto de 60 vidas.
Nos minutos seguintes, liguei para a Renascença, a quem tinha vendido uma rádio dias antes, a jornalista não acreditou...liguei para os bombeiros e liguei para o meu primo Vasco, na África do Sul. Ele, lá longe, foi um dos primeiros a saber.
Emprestei o telefone ao director da Asadouro, que desesperadamente procurava saber qual dos autocarros teria caído, se um que vinha do Porto com 2 passageiros ou o que trazia mais de 50 que tinham ido ver as amendoeiras em flor...os minutos seguintes confirmaram que o motorista que vinha do Porto, estava em casa. Por exclusão de partes, percebeu-se o que tinha acontecido.
Lá em baixo, o Douro, ainda que com corrente intensa, não dava sinais de vida.

Tinha escapado à morte, por um minuto..."
 Foto de João Vinhas.
 https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10154082293348304&set=pcb.10154082306483304&type=3&theater
***
1869 
Eugénio de Castro, poeta e professor, pioneiro do simbolismo na poesia portuguesa.
  "Engrinalda-me com os Teus Braços
Teu corpo de âmbar, gótico, afilado,
Sempre velado de cheirosos linhos,
Teu corpo, aprilino prado,
Por onde o meu desejo, pastor brando,
Risonho há-de viver, pastoreando
Meus beiços, desinquietos cordeirinhos,
Teu corpo é esbelto, ó zagaia esguia,
Como as harpas que o pai de Salomão tangia!

Teu corpo eléctrico, ogival,
Núbil, sequinho, perturbante,
É uma dispensa real:
Os teus olhos são duas cabacinhas
Cheias dum vinho estonteante
Os teus dentes são alvas camarinhas,
Os teus dedos, suavíssimos espargos,
E os teus seios, pêssegos verdes mas não amargos.
Lira de nervos, glória das trigueiras,
Como tu és graciosa! As laranjeiras,
Desde que viste o sol com esses sóis amados,
Só vinte vezes perfumaram noivados!
Nobre e graciosa és, morena das morenas,
Como as senhoras de olhos belos,
Que passeavam nos jardins de Atenas
Com uma cigarra de ouro nos cabelos!
Como tu, eu sou moço! e atrevido
Com Anceu, rei de Samos,
E jamais caçador me fez vencido,
Quando, caçando o javali, ando entre os ramos.
O meu peito é de jaspe, a minha voz macia,
Meus olhos ágeis e dourados como abelhas,
E, para que as colhas, minha boca sadia
E um orvalhado cabazinho de groselhas.
Novos e alegres somos! Ah! que em breve
Nossas bocas se colem voluptuosas;
Vamos sonhar e toucar-nos de rosas,
Enquanto há sol, enquanto não cai neve!
Não te demores,
Ó cheia de graça,
Que os dias correm voadores,
E a mocidade passa...
A mocidade passa... e, um dia, ó meus pecados,
A tua boca vermelha Será uma rosa velha,
E minhas mãos uns lírios fanados...
E então, velhinhos combalidos,
Como dois galhos ressequidos
Sem folhas e sem pomos,
Lembrar-nos-emos do que hoje somos,
Ó maravilha
De graciosidade!
Como dum filho e duma filha
Que nos morressem na flor da idade! "
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2016/03/25124mar201677-eugenio-de-castro.html
***
1911
Morre o escritor português Fialho de Almeida, 54 anos, autor de "Vida Irónica" e "Os Gatos", fundador da revista A Crónica. 1 vivaaaaaaaaa à sua obra..."Os Gatos", ele terá mesmo demonstrado, no seu prefácio, a sua forma de estar na vida e literatura: "miando pouco, arranhando sempre e não temendo nunca".
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2016/03/32594mar201688-fialho-de-almeida.html
***
1932
Miriam Makeba
https://www.youtube.com/watch?v=c1emTjr3_ko&index=20&list=PLE2723EB2720065DB
***
1939
José Casanova
 ..grande cAMARada..."«Camarada é uma palavra bonita. Sempre. E assume particular beleza e significado quando utilizada pelos militantes comunistas.
O camarada é o companheiro de luta - da luta de todos os dias, à qual dá o conteúdo de futuro, transformador e revolucionário que está na razão da existência de qualquer partido comunista.
O camarada é aquele que, na base de uma específica e concreta opção política, ideológica, de classe, tomou partido - e que sabe que o seu lugar é o do seu partido, que a sua ideologia é a da classe pela qual optou.
O camarada é aquele com cujo apoio solidário contamos em todos os momentos - seja qual for o ponto da trincheira que ocupemos e sejam quais forem as dificuldades e os perigos com que deparamos.
O camarada é aquele que nos ajuda a superar as falhas e os erros individuais - criticando-nos com uma severidade do tamanho da fraternidade contida nessa crítica.
O camarada é aquele que, olhando à sua volta, não vê espelhos...: vê o colectivo - e sabe que, sem ter perdido a sua individualidade, integra uma outra nova e criativa individualidade, soma de múltiplas individualidades.
O camarada é aquele que, vendo a sua opinião minoritária ou isolada, mas julgando-a certa, não desiste de lutar por ela - e que trava essa luta no espaço exacto em que ela deve ser travada: o espaço democrático, amplo, fraterno e solidário, da camaradagem.
O camarada é aquele que, tão naturalmente como respira, faz da fraternidade um caminho, uma maneira de ser e de estar - e que, por isso mesmo, não necessita de a apregoar e jamais a invoca em vão.
O camarada é aquele que olhamos nos olhos sabendo, de antemão, que lá iremos encontrar solicitude, camaradagem, lealdade - e sabemos que esse olhar é uma fonte de força revolucionária.
O camarada é aquele a cuja porta não necessitamos de bater - porque a sabemos sempre aberta à camaradagem.
O camarada é aquele que jamais hesita entre o amigo e o inimigo - seja qual for a situação, seja qual for o erro cometido pelo amigo, seja qual for a razão do inimigo.
O camarada é o que traz consigo, sempre, a palavra amiga, a voz fraterna, o sorriso solidário - e que sabe que a amizade, a fraternidade, a solidariedade, são valores humanos intrínsecos ao ideal comunista.
O camarada é aquele que é revolucionário - e que não desiste de o ser mesmo que todos os dias lhe digam que o tempo que vivemos é coveiro das revoluções.
Camarada é uma palavra bonita - é uma palavra colectiva: é tu, eu, nós: é o Partido. O nosso. O Partido Comunista Português.»
"Camarada é uma palavra bonita - é uma palavra colectiva: é tu, eu, nós: é o Partido. O nosso. O Partido Comunista Português."

http://uniralcobaca.blogspot.pt/2014/11/morreu-o-grande-camarada-jose-casanova.html
***
1974
Gabriel o Pensador
https://www.youtube.com/watch?v=a7e-PQoR8x0&list=RDa7e-PQoR8x0#t=1
*
Até quando
https://www.youtube.com/watch?v=lp39KZUxifA
***
 1965
Khaled Hosseini: "...Mas no mesmo instante vi com horror um chapandaz cair da sela e ser pisado por um amontoado de cascos. O corpo dele foi arrastado num turbilhão como um boneco de trapos, acabando por rebolar e parar quando o grupo voltou a circular.(...) Desatei a chorar.(...)
p30.
Um rapaz que não sabe defender-se, torna-se um homem que não sabe lutar por nada.
- Como sempre, estás a simplificar demasiado.
- Penso que não.
- Estás irritado porque tens medo de que ele não te queira suceder nos negócios.
p31.
- E agora quem é que está a simplificar? Ouve, sei que há uma forte afinidade entre vocês os dois, e isso deixa-me muito feliz. Invejoso, mas feliz. A sério.(...)
p32.
QUATRO
Ali - órfão - pais foram atropelados- foi adoptado pelo pai de Baba - juíz

Baba desatava-se a rir e punha o braço em volta dos ombros de Ali.
Porém, em nenhuma dessas histórias Baba chamava a Ali seu amigo.
p33.
O curioso é que eu também nunca pensava em mim e Hassan como amigos.(...)
Apesar de todas essas coisas. porque a história não é fácil de ultrapassar. Nem a religião. No fundo, eu era um pastó e ele um hazara. Eu era sunita e ele xiita, e nada conseguiria alguma vez mudar isso.Nada.(...)
às vezes, a minha infância parece um único e longo dia de verão com Hassan, a perseguirmo-nos um ao outro por entre o emaranhado de árvores no quintal do meu pai,(...)
Seguíamos os kochi, os nómadas que atravessavam Cabul (...)
p34.
Vimos o Rio Bravo três vezes, mas vimos o nosso wester preferido Os Sete Magníficos; treze vezes.(...)
Íamos aos bazares que cheiravam a almíscar (...)
passeávamos por meio de multidões de bazarris
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2014/10/888313out20141355-khaled-hosseini.html
***
1852
Almeida Garrett toma posse com sec.estado Neg. Estrangeiros no governo do Duque de Saldanha
 a actualíssima frase de gaRRett (no início do Levantado do Chão): 
"E eu pergunto aos economistas políticos, aos moralistas, se já calcularam o nº de indivíduos que é forçoso condenar à miséria, ao trabalho desproporcionado, à desmoralização, à infância, a ignorância crapulosa, à desgraça invencível, à penúria absoluta, para produzir 1 rico?"
ou: "Já deve andar orçado o número de almas que é preciso vender ao diabo, o número de corpos que se tem de entregar, antes do tempo, ao cemitério, para fazer um banqueiro". http://uniralcobaca.blogspot.pt/2011/02/41244fev10h33-ha-212-anos-nasceu.html
***
1678
António Vivaldi
https://www.youtube.com/watch?v=ygpf6mxTUeY
***
e as  pitadinhas matinais de Joaquim Pessoa:
2012

+1 pitadinha do mestre...
Joaquim Pessoa
"Boi-sol andava desvairado. Boi, boi vermelho de cabelos
falsos".
Esperava.
Não tinha coragem para perguntar e o animal da ansiedade,
com nulos movimentos, submergia durante as primeiras horas
da noite nas sombras e nos brilhos da mobília que estalava para
se livrar da dor, do peso, da treva, ou fosse do que fosse.
A recordação ia amargando sempre.
Mais.
E mais.
O vento imóvel não tinha mãos que não fossem para as par-
reiras jovens, fora da janela, e de manso, não as proibisse o pio
de erva da codorniz adormecida. O calor da noite desenterrava
moedas, causava febre, quase fazia espuma na pele martirizada.
Clandestino, ele haveria de chegar para no escuro e em si-
lêncio morder-lhe a carne do ventre, beber-lhe uma vez mais a
vaga alegria que lhe molhava a boca e partir deixando-a de novo
cheia de medo, gelada de abandono, como se vinte anos depois,
na sua solidão, voltasse a parir o filho morto.

in "FLY", Litexa, 1984.
*
2014
pitadinhas de Joaquim Pessoa fazem bem mesmo em dia de carnav'ALCOBAÇA que vos abRRaça
"Assim me perguntaste,
assim te respondi:
tudo é paixão.
(...)
Pode até não ser amor.
Mas, seja o que for,
não é pior."
in "Ano Comum".
 
 https://www.facebook.com/sonhararealidade2013/photos/a.349115855209208.1073741828.349094905211303/518748164912642/?type=3&theater

Amei-te algumas vezes
como se amam as flores e por ti
fiz as mais pequenas coisas com amor.
Bebi o sol que roubei à tua sombra
quando foste o poço dos desejos,
pequena flor da amendoeira que
por momentos enlouquece
o coração da abelha.
Algumas vezes beijei nas tuas mãos
as faces do meu rosto
depois de nele soltares o potro
das carícias. E despi das tuas ancas
o tecido com que faço os meus poemas
para deixar nu o corpo da paixão,
sedento, doce, inflamado,
nascente rápida da memória
do fogo
quando no escuro incendeia
a noite, até amanhecer.
no livro "Guardar o Fogo"
Fotografia de Kirsty Mitchell

*

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=896926573662279&set=gm.898915526817225&type=1&theater
" que sei eu? "

" Que sei eu ?"
Nego-me em ti, por ter desesperado de nós".

Antes, conchas, respiração, abrigo, as minhas mãos são
agora uma forca.
Nada as distingue do silêncio onde apenas és forma de
suavidade.
Não sei se este momento existe. Se existir, mais do que
meu é teu - ainda por definir, respires apenas o que em nós não foi exemplar.
Uma vida justifica-se pela não justificação dos actos, e é
nos extremos que a dor coabita com as palavras ( com a vida ).
Não sei que mais pensar, que mais dizer-te, porque
as palavras se defendem do orgulho; porque me vejo onde não
estou; porque me toco onde não sentes.
O que tem fim não é definitivo: na interpretação da fala o
silêncio sabe o peso das palavras; na interpelação de nós,
outros saberão recomeçar.

In FLY
Acrilico sobre tela - Manfredo Rainer Lyra Passos.

**
INVENTA O QUE QUISERES
Inventa o que quiseres quando estou entre as tuas coxas.
Tudo o que inventares aumentará o fogo e o fôlego do amor.
E eu serei príncipe, coral, animal devastador, incansável
pescador de pérolas.
O que durar uma hora, parecer-te-á um segundo.
Mas nesse segundo cabe a eternidade.
in O POETA ENAMORADO (Os Poemas de Amor)
Prefácio de Guilherme Antunes. A editar brevemente
por Editora Edições Esgotadas.
**

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10200471534107314&set=a.3318685622395.1073741826.1725921265&type=1&theater
Onde é Que Tu Moras?
Meu amor dormindo
Meu sonho acordado
Teu ventre parindo
Um cravo encarnado.
Onde é que tu moras
Meu lençol de espanto
Por quem é que choras
Quando eu te canto.
Aqui
À procura de ti nesta canção
Vou dando tudo em troca desse não
Que fez do meu poema solidão.
Aqui
Tão só como a certeza em que te espero
Dentro de mim renasce o desespero
Por tudo o que eu não amo o que eu não quero.
Aqui
Entre rosas de raiva e de tormento
Trago anéis de silêncio e sofrimento
Conto as forcas de sangue que há no vento.
Aqui
Tenho a fúria nos dedos desenhada
Farei do nosso amor a barricada
Perdendo quase tudo quase nada.
Meu amor dormindo
Meu sonho acordado
Teu ventre parindo
Um cravo encarnado.
Onde é que tu moras
Meu lençol de espanto
Por quem é que choras
Quando eu te canto.
Meu azul doendo
Meu barco parado
Pássaro morrendo
Mas sem ter voado