22/04/2015

9.957.(22ab2015.7.33') Neste dia...23abril...vou rELEVAR: UM+38.avÔ, AVÓ Bárbara, Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor, Dia Mundial do Escutismo e Dia Nacional da Educação de Surdos, Shakespeare, Miguel Cervantes,William Wordsworth, Sergei Prokofiev, George Steiner, Michael Moore e a poesia de Joaquim Pessoa:

***
2017
UM+38.avÔ
Bem sei as minhas limitAÇÕES
Bem sei que tenho de trabalhar muito mais
        obter mais receitas
               para não ser devorado
                     pelo imeDIAto
Em cada instante
          mesmo parado
                         tenho que voar
           tenho que ser capaz de caminhar
                                     em passo certo
                                                e com os pés bem assentes
                               na teRRa agreste
                                   ou no piso + macio
***
2016
38.avÔ
***
2017..para as memórias deste dia:
Foto de João Bilhastre.
***
Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10200665545837083&set=a.1069815841653.9422.1713835098&type=1&theater
Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor - mensagem da Diretora-Geral da UNESCO
O Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor é uma oportunidade para reconhecer o poder dos livros na mudança das nossas vidas para melhor e para apoiar os livros e aqueles que os produzem.
Como símbolos globais de progresso social, os livros – aprendizagem e leitura – tornaram-se alvos para aqueles que denigrem a cultura e a educação, que rejeitam o diálogo e a tolerância. Nos últimos meses, temos visto ataques contra crianças nas escolas e a queima pública de livros. Neste contexto, o nosso dever é claro – devemos redobrar os esforços para promover o livro, a caneta, o computador, juntamente com todas as formas de leitura e de escrita, de modo a combater o analfabetismo e a pobreza, a construir sociedades sustentáveis, e a fortalecer as bases da paz.
A UNESCO tem liderado a luta contra o analfabetismo, a ser incluída como elemento fundamental nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável de 2015. A alfabetização é a porta para o conhecimento, essencial para a auto-estima e o empoderamento individuais. Os livros, em todas as formas, desempenham um papel essencial neste aspecto. Com 175 milhões de adolescentes no mundo – a maioria meninas e mulheres jovens – incapazes de ler uma única frase, a UNESCO está empenhada no domínio das tecnologias de informação e comunicação, em especial as tecnologias móveis, de forma a apoiar a alfabetização e a alcançar os excluídos com aprendizagem de qualidade.
Os livros são plataformas de valor incalculável para a liberdade de expressão e o livre fluxo de informação – estes são essenciais para todas as sociedades actuais. O futuro do livro como objeto cultural é inseparável do papel da cultura na promoção de vias mais inclusivas e sustentáveis para o desenvolvimento. Através da suaConvenção sobre a Proteção e a Promoção da Diversidade das Expressões Culturais, que celebra o seu 10º aniversário este ano, a UNESCO pretende promover a leitura entre os jovens e os grupos marginalizados. Estamos a trabalhar com a International Publishers Association, a International Booksellers’ Federation e a International Federation of Library Associations para apoiar as carreiras profissionais nas editoras, livrarias, bibliotecas e escolas.
Este é o espírito norteador de Incheon, na Coreia do Sul, que foi designada Capital Mundial do Livro 2015, em reconhecimento do seu programa para promover a leitura entre as pessoas e as camadas mais desfavorecidas da população. Esta designação entra em vigor no Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor e será comemorada com os participantes do ano anterior, Port Harcourt, na Nigéria.
Com Incheon e toda a comunidade internacional, vamos unir-nos para comemorar os livros como a personificação da criatividade, o desejo de compartilhar ideias e conhecimentos, para inspirar a compreensão, o diálogo e a tolerância. Esta é a mensagem da UNESCO sobre o Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor.
Mensagem de Irina Bokova, Directora-Geral da UNESCO, por ocasião do Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor 2015

***
Dia Mundial do Escutismo (é sempre bom estarmos alerta!)
***
 Dia Nacional da Educação de Surdos
***
 hj é dia de recordar a minha saudosa avó MARIA BÁRBARA DE ALMEIDA...nasceu em...
 a primeira semana que estive fora de casa dos meus pais, foi com a avó Bárbara e o avô Virgílio (comerciantes na loja 1/4 de cilindro, no cruzamento para a Cela Velha)...Estava muito magrinho e a minha avó queria engordar-me...E não é que engordei?...Além das sopas espantosas e...havia 1 segredo (só hj me lembrei dele) em 1960: 1 cálice de vinho do porto após as refeições...
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2016/01/594821jan2016722-virgilio-madeira-da.html
***
2015...memórias deste dia:
Lagoa de Pataias by Hélder Bernardo

http://uniralcobaca.blogspot.pt/2014/04/789123abril20145-5-5-da-tarde-lagoa-de.html
**
uma extraordinária borboleta dAS GINJEIRAS DA ginja d' alcobaça que vos abRRaça

https://www.facebook.com/ginjamsr/photos/a.10153285575548420.1073741833.69340523419/10153308105568420/?type=3&theater
***
2014...memórias deste dia:
 meio dia...é 1 bELO momento para partILHArr TORGA..."Acordaste e és bela:
Vive!
O sol enxugará esse teu pranto
Passado.
Nega o presságio com perfume e encanto!
Faz o dia perfeito e acabado!"

 http://uniralcobaca.blogspot.pt/2014/04/77632abril201417h-miguel-torga.html
***
2012
amanheCER em St. Eulália by J. L.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=392674680753155&set=a.101531449867481.3232.100000318797747&type=3&theater
ela escreVIVEU asSIM: "Na onda que rebenta e me invade na areia, um extase rendido ao desejo que me inundes de ti, surgem lembranças de intensa paixão. Entranham-se, comovem-me e, numa sintonia perfeita, devolvo o brinde num cúmplice enlace, num múrmurio suave, na terna saudade: a ti! Sempre a ti!"
***
2011
aproxima-se o ressusCITAR para os RELIgiosos e o reNOVAr para os querem transFORMAR o mundo: Dia da LiberDAde e Dia do TrabalhaDOR. a tds FF (festas felizes) e boas lutas no 25 d'abril e 1º de Maio. aquel'abRRaço
*
urge aniMAR o miNUto...colocar o SENTIR em alerta..cantar belas meloDIAS...Viver e habitar nas paLAVRAS em territóRIOs regados pela copiosa chuva...Imaginar utopias...e...saudades da teresa grávida a cantar na nossa sala de visitas...
https://www.youtube.com/watch?v=4z1l3Mop0_A
***
nasceu neste dia em 1564
e morreu tb neste dia em 1616
Shakespeare
 "É mais fácil obter o que se deseja com um sorriso do que à ponta da espada."
"O amor não prospera em corações que se amedrontam com as sombras."
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2014/01/739220jan20141331-teatro-1fev2014no.html
***
 O Dia Mundial do Livro é comemorado, desde 1996 e por decisão da UNESCO, a 23 de Abril. 
Dia em que nasceu Shakespeare (23abril1564)  e morreu Cervantes (23abril1616)...
1616
morreu Miguel Cervantes
1 vivaaaaaaaaaaaa à sua obra:
 "A liberdade é um dos dons mais preciosos que o céu deu aos homens. Nada a iguala, nem os tesouros que a terra encerra no seu seio, nem os que o mar guarda nos seus abismos. Pela liberdade, tanto quanto pela honra, pode e deve aventurar-se a nossa vida."
"O ser humano se transforma de acordo com o que pensa. Somos frutos de nossas obras."
 http://uniralcobaca.blogspot.pt/2014/04/788823abril201477-dia-mundial-do-livro.html
***
1850
morreu William Wordsworth

1vivaaaaaaa à sua Obra: "A melhor parte da vida de um homem são os seus pequenos, sem nome, actos não lembrados de bondade e amor.
**
in My Heart Leaps Up
A criança é pai do homem.
**
in Lyrical Ballads
A poesia é o transbordamento espontâneo de sentimentos intensos: tem a sua origem na emoção recordada num estado de tranquilidade.
**
in Resolução e Independência
Nós, poetas, na nossa mocidade começamos com alegria,
Mas daí passamos finalmente ao desalento e à loucura."

http://uniralcobaca.blogspot.pt/2015/09/492928sete201588-william-wordsworthe-o.html
***
1891
Serguei Prokofiev
https://www.youtube.com/watch?v=DXyv4SZmKyY
***
1929
George Steiner
 Lendo o livro PROVAS E TRÊS PARÁBOLAS:
17aGOSTO2016...10.33'01"
DESERT ISLAND DISCS
fréMITO
*
auriga?
*
O universo tinha o seu epitáfio naquela equação. No princípio fora o Verbo; no fim era a função algébrica.(...) escrevera finis sob a soma e a totalidade do ser. Ao traço descendente para a direita daquele n, seguia-se, não uma treva infinita, que ainda é, mas o nada, um zero insondável.
*
pudibundo?
*
exasperAÇÃO
*
histérico de impaciência e de culpa.
*
uma senhora de singular esplendor
*
roçagar?
*
O repicar sufocado do seu riso...enquanto ele bebia dela. Uma nota que lhe deixou cantar a alma a cantar e louca de paz.
*
havia muito tempo que se deixara seduzir pelos contornos sinuosos e pelas estrias dos
adminículos ?
de certos animais imemorialmente antigos e portadores de hastes.
*
perante um vento da pradaria
*
ouvia, no interior da câmara de ressonância dos seus ventrículos, um grave zumbir sincopado. Uma densa pulsação, uma segunda que a ecoava, seguida de um vibrato. Tremolo e reprise que brotavam do sombrio lado esquerdo do seu coração. Ainda que alarmante, esta sequência não deixava de ter o seu encanto mágico (...) hesitasse por vezes em recorrer às pílulas do calmante.
*
nunca estivera em Samatra nem lá perto. Mas ouvira a cintilação harmónica, os arpejos marinhos das campainhas de concha através da parede da tenda (...) ouvira aquela escala de cristal - como se o vento fizesse a neve cantar.
*
fímbria?
*
os pizzicati de um contrabaixo produzirem efeitos desastrados em contraponto com o registo nasalado da trompa. Zeppo logra arrancar da trompa, nõa o seu zumbido habitual, mas um sussurro desolado e oracular.(...) um virtuoso.
*
as campainhas de Samatra tornam-se mágicas. São elas que preludiam, graças a um rubato subtil, o momento transcendente do Trio: o retorno à dominante, dezanove compassos antes do final. Momento em que a aflição da trompa, a vibração íntima do contrabaixo, como o som dos passos num caminho de Inverno, se fundem através da transição introduzida pelas flutuações rítmicas quase imperceptíveis das campainhas.
*
conjecturou para consigo
*
mimeografada?
*
As feições atormentadas de Cristo, o gesto em certa medida retórico da Mãe de Deus - atente-se no realce conferido aos nós dos seus dedos
*
O assobio é agudo e alegre, como o de um tordo nos montes na Primavera.(...) dilatação jubilatória da garganta e das faces. E embora tenha os lábios franzidos, são indubitáveis tanto o sorrios como a alegria nascente que respiram.Mas  os olhos do jovem dirigem-se para a Cruz, para a carne torturada e para as pétalas brilhantes de sangue que rodeiam os cravos. O seu olhar vacila ao assobirar, enquanto o regozijo simples e claro sobe no ar pascal.
**
NOEL, NOEL
são tantos os sons nesta época do ano. Registei 27. O dos passos do pai antes de abrir a porta principal. Mias ligeiros à medida que as férias se aproximam. O dele a subir as escadas, cansado, quando a jornada foi comprida. o das suas pantufas, o rangido abafado das chinelas prenunciando o tilintar do decantador do whisky e, a seguir, o do líquido que bate no vidro. O andar da mãe....
*
o falar da casa
*
A própria luz solitária do sótão ressoa de uma claridade feliz.
*
O tordo precoce da Primavera passada, a sua exibição, a sua renda de semigorjeios e o rubato do seu trinar.
*
Durante o tempo que estivemos
amadorrados?
até ao pôr do Sol
*
Um tostão pelos teus pensamentos, um tostão de coisas doces
*
Um vivo som de sinos enchendo a casa toda.
*
Vou atirar-me à garganta dele. E este som vai acabar.
11h11'11"
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2016/07/25305jul20161331-george-steiner_17.html
***
 NESTE DIA...2005... começa o YOUTUBE...onde podemos ouvir música, ver documentários, filmes...
Michal Moore hj tb é aniversariante e realizou este filme sobre a saúde em Cuba e nos EUA,,,
 https://www.youtube.com/watch?v=OmamoSRyWB8
1954
Michael Moore
https://www.youtube.com/watch?v=rxiNYUFIiJ4
***
 e a poesia de Joaquim Pessoa:
Foto de A Lua Voa.
https://www.facebook.com/ALuaVoa/photos/a.746679182114157.1073741828.746659858782756/765395683575840/?type=1&theater
O teu nome é o nome de todas as coisas-, quando todas as coisas respiram no teu nome. Entre o sofrimento e a felicidade, muito de ti se espalha pela vida, muita vida te aguarda, muita vida te procura. Um duplo coração bate dentro do peito e fora de ti. Tens a sabedoria das crianças e a sabedoria dos velhos. Sabes ferir e beijar e sentes o vento do orgulho. Pequeninos gestos, grandes pensamentos, constroem um dia excepcional, um amor excepcional, uma violência excepcional. Todas as noites são uma só noite, tanto desespero pode voltar a ser esperança. As tuas mãos são uma pátria. Os teus dedos são, umas vezes, o mais difícil dos rebanhos. E outras, os cães que o guardam, quando a verdade é triste e o amor tem a fome e a sede das estrelas. 

 in 'Ano Comum'

**
Foto de Em Spellbound.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=796361130418845&set=a.437080193013609.99115.100001348957610&type=1&theater
Dia 34.
Sagrado é o coração da árvore, a vigília da pedra, a gravidez da amêndoa, o pulsar do rio, a timidez do bosque, o trabalho discreto da semente. Sagrado é o lenho e a erva, o cavalo, o boi e o cão, sagrado é o sol, sagrada a casa, a noite, o dia, o círculo e a pirâmide. E sagrado é o vento e a vontade, e o branco e a esperança. Sagrados são os montes e os filhos e os sentidos e os pássaros e os humildes, É sagrada a dança e a cabeça e o azul e a primavera. Sagrados são os cornos do inverno. E as flores amarelas. Sagrado é o desejo que humedece o corpo. Sagrada é a distância. E a memória. Sagrados são os lábios, o cérebro e as mãos. E os astros, e a espuma e a teimosia dos metais. E é sagrada a arte e o amor e a claridade. E o centro do homem. E a voz da terra. E o equilíbrio dos instintos. E o mistério dos mortos e dos vivos. E as razões do amor.
Sagrada é a forma e a beleza e a luz e o fogo dos teus olhos.
in ANO COMUM, Litexa Editora
*
https://www.facebook.com/112890882080018/photos/a.114014221967684.7650.112890882080018/828466760522423/?type=1&theater
 in GUARDAR O FOGO (Ed. Edições Esgotadas, 2013)

POEMA QUINQUAGÉSIMO QUARTO (excerto)

Tudo o que faço, ou melhor,
tudo o que escrevo, é circundante, espelha-se
no peito e na boca, faz filhos às palavras, veste
o discurso que há-de dar nome às ruas do futuro.
Sei que ninguém me amou, ninguém me ama
incondicionalmente, a não ser, talvez, o poema.
Sei também que o verbo mais difícil é
acreditar. Acreditar. Acreditar. Acreditar.
E que é sempre e cada vez mais difícil
acreditar. Porque o tempo envelhece
também as palavras.

Mas eu amo-te. E amo
o poema. E isso não é uma simples
casualidade. Vivo com esta fundada certeza
de pertencer ao signo do amor, essa casa astral
onde é possível estender uma toalha para sentar-me
à mesa da esperança com o coração cintilando. Tu
moves-te nas minhas palavras, és o espírito da escrita, tens
o sentido da escrita e enfrentas-me quando a vida
te deslumbra com um verso gravado fora do futuro
sobre o improvável reino onde os monarcas
adoram os pastores.
Fotografia de ©Nicole Burton (Parvana Photography)- Oregon, EUA
*(LT)