29/02/2016

2.652.(29fev2016.7.7') 29fevereiro...Neste dia...Vou rELEVAR: só existe de 4 em 4 anos, Dia das doenças raras, Gioacchino Antonio Rossini, James Wilson e 3 pitadinhas da poesia de Joaquim Pessoa:

***
2016
s.MARtinho by  Fernanda matias

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1556982221296822&set=gm.10154060273868969&type=3&theater
*
Rio Alcoa junto ao Moinho do Canal By Fernando Moleiro

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1118021191575768&set=a.158812747496622.30173.100001036931290&type=3&theater
*
a serra dos candeeiros by Graça Silva

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1049077331802409&set=a.211013438942140.52240.100001004569506&type=3&theater
***

Ano bissexto: 15 curiosidades sobre o dia 29 de fevereiro

Leap Year
http://www.msn.com/pt-pt/noticias/excentricidades/ano-bissexto-15-curiosidades-sobre-o-dia-29-de-fevereiro/ss-BBpWsJj
Um bebê nascido no dia 29 de fevereiro é chamado de "bebê bissexto". A probabilidade de se nascer em um dia bissexto é de uma em 1.461,  já que quatro anos tem 1.460 dias e o dia extra é o bissexto, completando 1.461 
*
Leap year
Durante o reinado de Júlio Cesar o mês tinha 30 dias. Quando César Augusto chegou ao poder, ele quis que agosto (mês em homenagem a ele), que tinha 29 dias, tivesse 31 dias, como julho (mês de Júlio Cesar). Para isso, ele roubou alguns dias de fevereiro para completar o número de dias de agosto e torná-lo tão grande quanto julho. Desde então fevereiro tem 28 dias e 29 em anos bissextos
*
Um ano solar tem 365 dias e um quarto de duração (cerca de 365,242 dias). A cada quatro anos, um dia a mais é adicionado ao calendário para compensar aquele 0,242 dia. Como o ano solar tem 0,242 dias a mais que o ano civil, e não exatamente 0,25, o calendário juliano se afastava do solar um dia a cada 128 anos. O calendário gregoriano corrigiu o problema através da criação de um modelo que considerou um ano bissexto a cada quatro.
Além disso, de acordo com cálculos gregorianos, qualquer ano que é divisível por 100 e não por 400 não será considerado um ano bissexto (por exemplo, o ano 1900). Especialistas, no entanto, dizem que ainda há pequenas discrepâncias com este método e o sistema gregoriano terá que ser revisado ... em cerca de 10 mil anos
*
Christopher Columbus
Em sua última viagem às Índias Orientais, o explorador Cristóvão Colombo usou o eclipse lunar de 29 de fevereiro de 1504 a seu favor. Depois de ter ficado parado na Jamaica por meses, com a população nativa recusando-se a ajudar, Colombo reuniu os chefes indígenas neste dia e, sabendo que haveria um eclipse lunar, disse que Deus os puniria pintando a lua de sangue se eles não cooperassem. Aliviados, quando a lua reapareceu, os chefes fizeram tudo o que o explorador queria
*
A tradição de mulheres serem propostas em casamento em ano bissexto tem muitas referências históricas. Uma crença remonta ao século 5, quando Santa Brígida queixou-se a São Patrício que as mulheres tinham de esperar por muito tempo com os homens para serem pedidas. São Patrício então liberou o último dia de fevereiro para este fim
*
Na Dinamarca, o dia 24 de fevereiro é o momento em que a mulher propõe casamento para o homem. Se ele recusar, precisa dar 12 pares de luva para ela, em uma tradição que existe desde o império romano. Na Finlândia, homens precisam dar um tecido para saia
*
Existem estranhas marcas associadas ao dia bissexto. St. Petersburg, na Flórida, se tornou uma cidade independente em um dia bissexto de 1892, e Hattie McDaniel se tornou q primeirq atria negrq a ganhar um Oscar por "E o Vento Levou..." na cerimônia do Oscar de 1940, que caiu no dia 29
*
Os astrólogos dizem que pessoas nascidas no dia bissexto têm habilidades extraordinárias, reflexo da peculiaridade do dia em que nasceram
*
Outra crença é que vegetais e tubérculos plantados no dia bissexto vão crescer "do jeito errado"
*
Em alguns países, anos bissextos são associados à má sorte e em alguns, como na Grécia, aconselha-se a não fazer coisas como se casar e comprar casa. Na Rússia, anos bissextos são associados com mudanças abruptas do clima e má sorte
*
A cidade de Anthony, no Texas, é conhecida como a capital mundial do ano bissexto e tem festas que incluem uma visita guiada a uma tumba indígena, festa no estábulo e dança. Em 2016, o festival estava previsto para os dias 25, 26, 27, 28 e 29 
*
O Código Civil chines de 10 de outubro de 1929 sugere colocar como data legal de um bebê bissexto o dia 28 de fevereiro. Em Hong Kong, o dia considerado é dia 1º de março 
***
é o dia das doenças raras
***
1812
O premiê (?) da Tasmânia, Sir James Wilson (morreu em 1880)
***
1792
Gioacchino Antonio Rossini
https://www.youtube.com/watch?list=PLad0_ESl2zMm5bu0CH-VgKBOxZ_oJSCzI&v=zISELZl9LYE
***

Ano bissexto. O que é e por que existe?

Se não acrescentássemos o 29 de fevereiro a cada quatro anos, as estações acabariam descompassadas

http://brasil.elpais.com/brasil/2016/02/29/estilo/1456703053_016861.html
***
Via Conta-me Histórias:
 https://www.facebook.com/contamehistoriaslisboa/photos/a.506384842822949.1073741828.506355716159195/812743812187049/?type=3&theater

Conta-me Histórias, Lisboa
2 h
A História do dia 29 de Fevereiro e mais os dez dias que desapareceram do calendário
«Ninguém nasceu, ninguém morreu, nada aconteceu. Nada houve a registar durante dez dias. A ordem veio do Papa e os príncipes católicos cumpriram. Portugal foi das primeiras nações a sentir que a Igreja Católica até no tempo mandava. Mas foi assim que surgiu, para só aparecer de quatro em quatro anos, o dia 29 de fevereiro. 
Desde o século VI até praticamente ao final do período medieval, a Ibéria regeu-se pela era de César, também designada “hispânica” - a contagem dos anos iniciava-se na data da conquista da Península pelos romanos — ano 716 da fundação de Roma, ano 1 da era hispânica. Mais tarde, a Igreja incumbiu o abade grego Dionísio da definição do «Anno Domini» e a contagem voltou ao número 1 (desconhecia-se ainda o zero), considerado o do nascimento de Cristo e, muito embora o religioso-historiador tivesse calculado mal os anos de reinado de Herodes e errado as contas, passou-se a subtrair 38 anos à era de César para apurar a de Cristo. Aragão adotou a nova era em 1350, Leão e Castela em 1383; Portugal, com o decreto régio de João I, seguiu-lhes as pisadas no século seguinte, a 22 de agosto de 1460, fazendo o reino recuar ao ano 1422. Assim, os antepassados dos portugueses e dos espanhóis perderam 38 anos para abdicar da era de César e entrar na era cristã.
Até a Igreja Católica Romana provocar a longa noite de dez dias em outubro de 1582, seguia-se desde o ano 45 antes de Cristo o calendário juliano. Por isso, o mês de fevereiro tinha 28 dias, e de quatro em quatro anos ganhava mais um, denominado pelo imperador Júlio César “ante diem bis sextus Calendas Martias", ou seja, o dia bissexto antes das calendas de março — o dia antes do sexto que nos padrões de hoje representaria um mês de Fevereiro com dois dias 24. Mas porque nem sempre se seguiam as normas, chegados ao século XVI registava-se um desfasamento de 9 dias, 19 horas, 20 minutos e 18 segundos, daí ter-se achado ser tempo de minorar a diferença entre o sol e a terra e recolocar no seu sítio os dias religiosos cada vez mais fora do lugar indicado.
O Papa Gregório XIII reuniu as condições, matemáticos e astrónomos conceberam a solução. No dia 24 de fevereiro de 1582, assinou a bula “Inter Gravissimus”, ordenando a supressão do tempo e determinando que os santos desses dias fossem comemorados entre os novos 15 e 18 de outubro. Nesta reforma, institui também o dia 29 de fevereiro para compensar o desfasamento.
Nesses 10 dias nada houve a registar em Portugal, Espanha, Itália e Polónia. Os habitantes destes países adormeceram na quinta-feira de 4 de outubro e acordaram na sexta dia 15 do mesmo mês. Foram os primeiros a abandonar o calendário de um imperador romano para seguir outro com nome de Papa, pondo na agenda o dia 29 de fevereiro, de quatro em quatro anos. Até hoje.
A mudança não se fez com o acordo de todos, claro, teve também os seus críticos. Ou por não quererem obedecer ao líder da Igreja católica ou por discórdia científica, religiosos e laicos opuseram-se ao calendário gregoriano. Em França passou-se de 9 a 20 de dezembro, nos estados católicos da Alemanha de 21 a 1 de janeiro e nos Países Baixos, por acordo de Filipe II a 10 de janeiro de 1583, de 11 a 22 de fevereiro. A católica Polónia recebeu o calendário em 1586 e na Hungria no ano seguinte. Na Escócia começou a utilizar-se em 1600, enquanto na Dinamarca e na Suécia só aconteceu a partir de 1700. Embora, na generalidade, a oposição dos protestantes tenha durado mais de um século, por fim aceitaram a reforma no século XVIII. Japão introduzi-o em 1873. Já no presente século, aderiram a Grécia e a sua Igreja Ortodoxa, vários estados da ‘Europa Oriental’ — Roménia, Rússia, Sérvia, Bulgária, Jugoslávia, etc. — China e Turquia, entre outros.»
(Anabela Natária - Jornal Expresso)
Imagem: O Papa Gregório XIII, nascido Hugo Boncompagni em Bolonha, no ano de 1502, numa pintura de Lavínia Fontana em data desconhecida
***
e a poesia de Joaquim Pessoa:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1223535724342520&set=a.1223535711009188.1073743111.100000583131925&type=3&theater
O meu poema azul
Há uma silhueta recortada no azul no cume da montanha.
Parece ser um alce azul, muito azul, mais azul que o azul. 
Ergue a cabeça e faz subir o seu grito azul para o azul do céu.
E faz ressoar um eco azul...azul…azul… azul.
Pode parecer um alce, sim. Solitário e azul.
Mas não. É apenas o meu poema azul,
muito azul, para sempre azul,
a chamar por ti.
in Poeta Enamorado
*
POEMA PRIMEIRO
*
Gosto-te. E desta certeza
se abre a manhã como uma imensa
rosa de desejo indestrutível. O futuro
é o próximo minuto, para além
da infatigável religião dos meus versos,
em cuja luz me acendo, feliz e nu.
O meu sorriso conhece a bondade
dos animais, o poder frágil das corolas,
e repete o nome feminino dos arcanjos de
peitos redondos, perfumados
pelas giestas dos caminhos
do céu.

Gosto-te. Amarrado
pelos meus braços de beduíno do sol,
pobre senhor dos desertos,
profeta da distância que há dentro das palavras,
onde se alongam sombras
e o sofrimento se estende até à orla
da mais inquieta serenidade.
Gosto-te. E tenho sido
feliz, por nunca ter seguido os trilhos
que me quiseram destinar. Aqui
e ali me pergunto, despudoradamente. E sei
que não sei mentir. É por isso
que recolho na face a luz imprescindível
ao orgulho dos peixes
e dos frutos.
Gosto-te. "Na-na-na, na-ô ...
Na-na-na, na-ô ... na nô ..."
Canta o espirito do caminho,
canta para mim e canta para ti, eleva
o coração das grandes árvores, coração
de seiva e de coragem,
sangue fresco e verde, apaixonado
e doce,
de tanto contemplar o perfil das tardes.
Gosto-te. Mas, "longe"
é uma palavra húmida, grávida,
onde os sinos da erva tocam
para convocar a última sílaba. E,
ao procurar-te, tremo apenas
de ternura
para que nem mesmo a inteligente brisa
da manhã
possa dar por mim.
Mais discreto que isto
é impossível.
*
in GUARDAR O FOGO
Editora Edições Esgotadas.
*
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=984651408236689&set=gm.1092550344120408&type=3&theater
POEMA XCVIII
Deixar nas tuas mãos tudo o que eu amo
nadar no lago verde dos teus olhos
em teu corpo saber como eu me chamo
queimar manhãs de incenso ou de petróleos
chamar por ti, uivar como se um lobo
devorasse corças brancas no meu peito
e o coração inteiro fosse pouco
para amar ou morrer de qualquer jeito
saber que esse punhal que o vento ergue
acima do esplendor da amendoeira
é apenas o tempo que se perde
ao acender de dia uma fogueira
e naufragar em ti como se eu fosse
um mastro habituado a correr mundo
e no mar do teu ventre inquieto e doce
mergulhar nesta noite até ao fundo.
in O POUCO É PARA ONTEM
Litexa Editora 2008