29/04/2016

6.005.(29ab2016.8.8') Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados "D. Nuno" de Aljubarrota...A necessidade de um novo de Centro de Saúde em Aljubarrota

***
Na assembleia municipal de 29ab2016
PCâmara diz que só são precisas pequenas obras!!!
*
Consta-se que a Junta de Freguesia quer fazer lá o gabinete do cidadão
***
A CDU na reunião de 21 de ab2016 levantou esta necessidade
que Presidente da Câmara desconhecia
1.Defendi que Aljubarrota precisa dum Centro de Saúde com qualidade.
A actual Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados D. Nuno - Aljubarrota funciona em condições que não têm nada a ver com as regras de qualidade mínima que deve ter um Centro de saúde...
São mais de 3 mil utentes, com tendência para crescer...
O Sr. Presidente da Câmara tem anunciado que com Alcobaça e Turquel fica tudo resolvido quanto a Centros de Saúde e USF's...É bom que vá ver, que ouça a opinião dos autarcas de Aljubarrota, de quem lá trabalha e dos utentes.
É preciso fazer um requerimento de agendamento por escrito?
PCâmara diz que não sabia e que vai ver e que trará o assunto em breve a uma próxima reunião de câmara...
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2016/04/217911abril20161733-13rc2016ordinaria21.html
***
29ab2016
Presidente da Câmara diz que já reuniu com o PJunta e que só são precisas pequenas melhorias
***
25ab2016
O Presidente da Junta tb desconhecia e que não tinha nenhuma reclamação...
Que já falou como o P. Câmara e...
***
As salas, gabinetes médicos, WC não cumprem o que é exigido pela lei/regulamentos
***
Aljubarrota é a 3.ª freguesia com + população: 6.662 habitantes
em eleitores é 4.ª: 5.663 (ultrapassada por Pataias)
***
tem 3315 utentes
2 médicos (cada 1 tem de ter o máximo de 1500)
315 a mais
***
Chove lá dentro porque as escadas exteriores
não estão impermeabilizadas
***
Via Jorge Alves
Ver Ponto 5 - RECURSOS - 2.º Parágrafo
http://www.acss.min-saude.pt/Portals/0/ACES_UCSP.pdf
***
Razões para esta necessidade
Via munícipe Jorge Alves
Introduzir no Google este endereço e vai-se directamente ao documento  que tem por titulo ORIENTAÇÕES PARA A ORGANIZAÇÃO E FUNCIONAMENTO DAS UNIDADES DE CUIDADOS DE SAÚDE PERSONALIZADOS.
Ver desde a Pág. 7 à Pág. 11 
Decreto-lei  28/2008 de 22 de Fevereiro
Artigo 10.º
Unidade de cuidados de saúde personalizados
 1 — A UCSP tem estrutura idêntica à prevista para USF e presta cuidados personalizados, garantindo a acessibilidade, a continuidade e a globalidade dos mesmos.
2 — A equipa da UCSP é composta por médicos, enfermeiros e administrativos não integrados em USF.
*
História do Decreto-Lei 28/2008 de 22 de Fevereiro de 2008
Alterações:
-  Decreto-Lei 81/2009 de 21 de Agosto                (não revogou o Artº. 10º do Decreto-Lei 28/2008)
-  Decreto-Lei 102/2009 de 10 de Setembro         (não revogou o Artº. 10º do Decreto-Lei 28/2008)
-  Decreto-Lei 248/2009 de 22 de Setembro         (não revogou o Artº. 10º do Decreto-Lei 28/2008)
-  Decreto Lei 253/2012 de 27 de Novembro        (não revogou o Artº. 10º do Decreto-Lei 28/2008)
-  Decreto-Lei 239/2015 de 14 de Outubro            (não revogou o Artº. 10º do Decreto-Lei 28/2008)
 *

Unidades funcionais associadas


http://www.acss.min-saude.pt/Portals/0/instalacoes_equipamentos_usf.pdf
***
6abril2016
o alerta do munícipe Jorge Alves
“Os investimentos que Alcobaça vai receber na área da saúde fazem manchete na edição desta quinta-feira do REGIÃO DE CISTER. a rede de cuidados de saúde primários vai ficar concluída com o anúncio da inauguração da Unidade de Saúde Familiar de São Martinho do Porto, das obras de requalificação do Centro de Saúde de Alcobaça e da Extensão de Saúde de Turquel e ainda do arranque das obras da USF da Benedita.”
Meu comentário
Enquanto persistirem as condições actuais, da falta de qualidade nas instalações, que retiram dignidade aos utentes e a todos os que nela trabalham ,  a rede de cuidados de saúde primários no Concelho de Alcobaça NÃO vai ficar concluída.
A UCSP Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados D. Nuno  - Extensão de Aljubarrota, está instalada no rés do chão do edifício da Junta de Freguesia de Aljubarrota.
Dado que estas instalações, não foram criadas para serem um centro de saúde, tendo no entanto de forma provisória assumido tal desempenho, verifica-se nos dias de hoje, não reunirem as condições exigíveis para prestar cuidados de saúde, em condições condignas provocando desconforto quer aos utentes, quer  a quem nele trabalha.
A porta de acesso que liga os utentes ao interior/exterior, dá directamente para aquilo a que se chama pomposamente sala de espera, bem climatizada “fresquinha no inverno e quentinha no verão”, comum a esta sala está a secretaria da UCSP, com um balcão de atendimento, em que a funcionária que ali trabalha tem a sua actividade profissional dificultada por falta de espaço.
As salas destinadas à consulta, são exíguas, só lá cabe a secretária, que serve de apoio ao médico, a marquesa e uma cadeira no topo da secretária do médico, destinada ao utente no período da consulta.
Se o utente trouxer acompanhante para a consulta, e o médico tiver que ter por necessidade de complementar diagnóstico  uma atitude mais intrusiva, terá que convidar o acompanhante a sair da sala de consulta. Pela exiguidade do consultório o médico vê-se “grego”, para gerir o espaço que lhe está destinado, naquele minúsculo cubículo.
Por não haver insonorização capaz com a sala de espera, que é contigua ao consultório, volta não volta lá tem o médico que interromper a consulta, para exigir moderação no tom de voz de quem espera, pois estão a perturbar consulta.
Se houver demasiado silêncio na sala de espera, poderá ouvir-se o médico a falar, mesmo que não se entenda tudo o que diz. Que se saiba e até prova em contrário, uma consulta médica é um acto  privado e não público, por isso é fundamental, que se criem as condições de segurança para o sigilo médico.
Quanto às instalações sanitárias, são de tamanho reduzidíssimo cerca de dois metros quadrados, não cabendo nelas utentes, que se desloquem em cadeira de rodas, não existe casa de banho para crianças, fraldário e sala de amamentação de bebés, que resguardem as mães de olhares alheios, dando-lhes a privacidade necessária e exigível ao acto.
A  UCSP Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados D. Nuno  - Extensão de Aljubarrota, serve nesta altura uma população de 3415 utentes, com médico de família atribuído e mais uns tantos, cujo número se não pode apurar, de utentes sem médico de família atribuído.
Esta unidade de cuidados de saúde, começa a “rebentar pelas costuras” manifestando já a necessidade de aumentar o efectivo clinico, por não conseguir dar resposta a que cada utente tenha o seu médico de família.
A população que a UCSP serve, está em franco envelhecimento, tendo cada vez mais necessidade de cuidados atempados, que faça com que, o utente por confiar na arte do seu médico de família, não recorra a outras valências hospitalares, que corresponde a um sorvedoiro do erário público, no que à saúde diz respeito.  
Não fora a boa vontade, qualidade humana,  competência e disponibilidade por parte de quem lá presta serviço, e já há muito, se teria feito sentir, o desagrado de muitos utentes.

Jorge Alves