11/11/2016

4.416.(11.11.2016.7.7') Leonard Cohen

Nasceu a 21seTEMbro1934
e morreu a 10noVEMbro2016
***
Via http://terradencanto.blogspot.pt/
"Não somos malucos. Somos humanos. Queremos amar e alguém tem de nos perdoar pelas escolhas que tomamos para amar, porque os caminhos são muitos e negros, e somos ardentes e cruéis durante a nossa viagem."
***
Via Gisela Mendonça
 
 https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10209817697832692&set=a.1181415429102.28176.1639690204&type=3&theater
***
biografia
via Graça Silva
 
 http://sylviabeirute.blogspot.pt/2010/09/leonard-cohen-poesia-poemas-biografia.html
 LIVRO DO DESEJO

Não consigo superar as colinas
O sistema foi abaixo
Vivo de comprimidos
Coisa que agradeço a D--s

Segui o trajecto
Do caos à arte
Desejo o cavalo
Depressão a carruagem

Naveguei como um cisne
Afundei-me como uma rocha
Mas o tempo passou há muito
Pelas minhas reservas de riso

A minha página era demasiado
branca
A minha tinta era demasiado fina
O dia não quis escrever
Aquilo que a noite rabiscara

O meu animal uiva
O meu anjo aborreceu-se
Mas não me é permitida
Uma réstia de remorso

Pois alguém há-de utilizar
Aquilo que eu não soube ser
O meu coração será dela
De uma forma impessoal

Ela pisará o caminho
Perceberá a minha intenção
A minha vontade partida em duas
E a liberdade pelo meio

Por menos de um segundo
As nossas vidas colidirão
O interminável suspenso
A porta de par em par

Então ela há-de nascer
Para alguém como tu
O que nunca ninguém fez
Ela continuará a fazer

Sei que ela vem aí
Sei que ela irá olhar
E esse é o desejo
E este é o livro

*
 TAMBÉM TU CANTARIAS

Também tu cantarias
se desses por ti
num lugar como este
Não te preocuparias
se serias tão bom como
o Ray Charles ou a Edith Piaf
Cantarias
cantarias
não para ti
mas para criar um eu
a partir do velho alimento
que apodrece na entranha astral
e na pancada surda, sem amor,
da tua própria respiração
Tornar-te-ias uma cantora
mais depressa do que o tempo necessário
até odiarmos o encanto de um rival
e cantarias, querida
também tu cantarias.
PARA O MEU VELHO LAYTON

Ele oculta a sua dor sem dono
em frases de amor
da mesma maneira que um gato esconde as fezes
debaixo das pedras e aparece durante o dia,
arrogante, limpo, rápido, disposto
a caçar ou dormir ou a perecer de fome.

A cidade recebe-o com lixo
que ele interpreta como um elogio
a sua musculatura. Cascas de laranja,
latas, tripas chovendo como papel de teletipo.
Durante algum tempo ele destruiu as suas noites
com a sua sombra refletida na janela da lua cheia
enquanto espiava a paz da gente vulgar.

Uma vez invejou-os. Agora com um feliz
uivo saltava de monumento em monumento,
penetrava nos seus lugares mais sagrados, ébrio
de saber quão perto vivia dos mortos
debaixo da terra, ébrio de sentir o muito que queria
aos seus irmãos que ressonavam, os velhos e as crianças da cidade.

Até que por fim, cansado comoTímon
do odor humano, ressentindo-se mesmo das suas próprias
pegadas no deserto, dedicou-se a caçar animais, e adornou-se
com braceletes de serpentes vivas e cizânias.
Enquanto a maré decia como uma manta,
ele dormia em cavidades das rochas um sono pesado
sem sonhos, a aragem brilhante do sol
como se fosse um laboratório automático
formando cristais no seu cabelo.
*
MISSÃO

Trabalhei no meu trabalho
Dormi no meu sono
Morri na minha morte
E agora posso abandonar

Abandonar aquilo que faz falta
E abandonar aquilo que está cheio
Necessidade de espírito
E necessidade no Buraco

Amada, sou teu
Como sempre fui
Da medula aos poros
Do anseio à pele

Agora que a minha missão
Chegou ao fim:
Reza para que me seja perdoada
A vida que levei

O Corpo que persegui
Perseguiu-me igualmente
O meu anseio é um lugar
O meu morrer, uma vela.
Leonard Cohen - Livro do Desejo (edições quasi)
tradução de Vasco Gato
* **
 The song was inspired by Marianne Jensen (later Marianne Ihlen),
whom Cohen met on the Greek island of Hydra in 1960.

So Long Marianne

 https://www.youtube.com/watch?v=cZI6EdnvH-8&list=RDcZI6EdnvH-8
*
 
 https://www.facebook.com/168240016600867/photos/a.168244729933729.39228.168240016600867/1143870239037835/?type=3&theater
“Bem, Marianne, chegámos a este ponto em que somos tão velhos que os nossos corpos se desfazem; penso que te seguirei muito em breve. Quero que saibas que estou tão próximo de ti que, se estenderes a tua mão, creio que conseguirás tocar a minha. Sabes que sempre te amei pela tua beleza e sabedoria, mas não preciso de alongar-me, porque já sabes tudo isso. Quero apenas desejar-te boa viagem. Adeus, velha amiga. Com todo o amor, encontrar-te-ei pelo caminho”
***
biografia
 Leonard Cohen
 http://www.muzplay.net/musica/leonard-cohen

O cantor, compositor, poeta e escritor canadense Leonard Norman Cohen nasceu em 21 de setembro de 1934, em Montreal.  Apesar de ser cultuado no cenário musical, principalmente no rock alternativo, tendo fãs ilustres como Bono (), , Michael Stipe () e (),  Leonard Cohen passou a se dedicar à música depois dos 30 anos, quando já era conhecido como escritor de livros de poesia e romances, tendo como principal influência o poeta e dramaturgo espanhol García Lorca.
Na música, carreira levada paralelamente à de escritor, Leonard Cohen ganhou notoriedade pelo seu folk sombrio, por sua voz de estilo bem peculiar (grave e quase falada), com letras abordando temas como profecias, espiritualidade, sexo, desolação e paixões.
Já morando nos EUA, Cohen lançou o seu primeiro álbum - '' – em 1967.   Esse disco de estreia foi bem recebido pelo público, principalmente no Reino Unido, onde ficou mais de um ano nas listas de álbuns mais vendidos. Mais tarde, em 1971, o diretor de cinema  Robert Altman utilizou as faixas "Sisters of Mercy", "Winter Lady" e "The Stranger Song" na trilha sonora do filme "McCabe & Mrs. Miller".
Os dois álbuns seguintes - '' (1969) e '' (1971) – foram produzidos pelo produtor Bob Johnston, conhecido pelos seus trabalhos com , Simon and Garfunkel, Johnny Cash, entre outros.
Em 1974, o cantor lançou o álbum ''. O disco seguinte - '' – foi marcado por divergências entre Cohen e Phil Spector, o produtor do mesmo. Cohen nunca escondeu a sua insatisfação como resultado final do disco.
Após o álbum '' (1979), Leonard Cohen entrou num período de reclusão, no qual se  dedicou à escrita e ao budismo. Ele retornou com um novo disco em 1984, quando lançou '', álbum que traz "Hallelujah", música frequentemente regravada por outros artistas, como , que a incluiu no seu álbum de estreia, '' (1994).
O álbum '', de 1988, foi um dos mais aclamados do artista, levando-o a uma extensa turnê pela Europa, EUA e Canadá. '' se destacou principallmente por apresentar elementos da música pop moderna, como o uso de sintetizadores.
Após o sucesso de ', Cohen passou a lançar seus álbuns de estúdio com longos intervalos de tempo. Muito por causa da sua dedicação ao budismo. Em 1992 saiu o disco ''. '', o álbum co-escrito e produzido por pela cantora/compositora/produtora  Sharon Robinson, saiu em 2001. Ainda na primeira década dos anos 2000, ele lançou '', em 2004.
Recebido com críticas positivas por publicações como Rolling Stone e The Guardian , '' - o décimo segundo álbum de estúdio de Leonard Cohen - saiu em janeiro de 2012. Um novo álbum, '', saiu em 2014. Em 2016, Cohen lançou ''.
***
frases.poesias:
Via Pensador:
 o amor não tem cura mas é o único remédio para todas as doenças
*
Ouvi falar de um homem que dizia palavras tão formosas que só com pronunciar o seu nome se lhe entregavam todas as mulheres. Se fico mudo junto ao teu corpo enquanto o silêncio floresce como tumores nos teus lábios,é porque ouço um homem subindo a escada e clarear a voz fora da porta.
*
 *Canção*
Quase me deitei sem me recordar das quatro violetas brancas que coloquei numa casado teu Jersey verde. E o modo como te beijei e me beijaste então tímida como se eu não fora teu amante.
*
 *ANNE*
Agora que Anne se foi embora que olhos compararão sol da manhã? Não que eu os comparasse outrora mas comparo-os agora que ela se foi embora.
*
 Conheci-te logo que a morte
se converteu em verdadeira doçura.
Tinhas 24 anos
Joana d’Arc.
Persegui-te com toda a minha arte
com tudo o que possuo.
Sabes, eu sou um deus
que precisa de usar o teu corpo
que precisa de usar o teu corpo
para cantar a beleza de uma maneira
que ninguém cantou ainda.
Tu és minha és uma das minhas últimas mulheres.
*
 Aleluia
https://www.youtube.com/watch?v=YrLk4vdY28Q&index=9&list=RDye6JssTdnvw
Eu ouvi que havia um acorde secreto
Que Davi tocou e louvou ao Senhor
Mas você não se interessa mesmo por música, não é?
É assim - a quarta, a quinta
A menor cai, a maior ascende
O rei perplexo compondo aleluia

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia.

Sua fé era forte, mas você precisou de provas
Você a viu se banhando do telhado
A beleza dela sob a luz do luar te arruinou
Ela te amarrou numa cadeira da cozinha
Ela destruiu seu trono, cortou teu cabelo
E dos seus lábios ela extraiu a aleluia

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia.

Talvez eu já tenha estado aqui antes
Eu conheço este quarto, eu andei neste chão,
Eu costumava viver sozinho antes de conhecer você.
Eu vi sua bandeira no arco de mármore
O amor não é uma marcha vitoriosa
É um frio e triste aleluia

Aleluia, aleluia, o aleluia, aleluia.

Houve uma época em que você me deixou saber
O que realmente contecia lá embaixo
Mas agora você nunca me mostra isso, não é?
E lembra de quando eu me aproximei de você
A escuridão sagrada foi junto também
E cada suspiro que déssemos era aleluia

Aleluia, aleluia, aleluia, o aleluia.

Talvez lá haja um Deus acima
E tudo que eu sempre aprendi sobre o amor
Foi como atirar em alguém que te desarmou
E isso não é um choro que você pode ouvir à noite
Não é alguém que vê a luz
É um frio e triste aleluia

Aleluia, aleluia, aleluia, aleluia, aleluia, aleluia, aleluia,
Aleluia
*
 Velho demais

Estou velho demais
Para decorar os nomes
Dos novos assassinos
Este aqui
Parece cansado e ataente
Devotado, profissional
Ele se parece muito comigo
No tempo em que ensinava
Uma forma radical de Budismo
Para os insanos sem salvação
Em nome da velha
Mágica sagrada
Ele ordena
Que famílias sejam queimadas vivas
E crianças mutiladas
Ele provavelmente conhece
Uma ou duas de minhas canções
Todas elas
Todos que banharam suas mãos em sangue

E os mastigadores de vísceras
E escalpeladores
Todos eles dançaram
Ao som dos Beatles
Todos adoraram a Bob Dylan

Prezados amigos
Poucos de nós restaram

Silenciados

Tremendo sem parar

Escondidos em meio ao sangue –
Fanáticos chocados
Enquanto testemunhamos uns aos outros
A velha atrocidade
A velha e obsoleta atrocidade
Que levou para longe
O apetite ardoroso do coração
E acanhou a evolução
E vomitou preces 
***
morreu...
Via TVI

A sua morte surge apenas três semanas depois de ter lançado o último trabalho, intitulado

 "You Want it Darker". Na canção que dá nome ao disco, ouve-se "I'm ready my Lord" 

 (Estou preparado Senhor). Aos 82 anos, Leonard Cohen estava preparado para morrer

 Leonard Cohen na digressão Old Ideas em Lisboa (Rui M. Leal)
 http://www.tvi24.iol.pt/musica/morte/morreu-leonard-cohen
*
 público
https://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/leonard-cohen-morreu-aos-82-anos-1750769
*
Via JN
***
Carregado a 15/04/2009
http://www.cbc.ca/Q
To celebrate Q's 2nd anniversary — poet, novelist, songwriter, legend...a special exclusive feature interview with Leonard Cohen... recorded at his home in Montreal.
 https://www.youtube.com/watch?v=ugh8Xe6hX7U
***
https://www.youtube.com/watch?v=IEVow6kr5nI&list=RDIEVow6kr5nI