07/10/2014

8.854.(7ou2014.12.22') Sérgio Carolino.

Nasceu a 26out1973
recordemos o "nosso" grande tubista
http://www.youtube.com/watch?v=uychXMNLLnA
***
Um dos grandes embaixadores de Alcobaça...
4noVEMbro2017
em MoscOVO
 Foto de Sergio Carolino.
 https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10214556556408555&set=a.2863761834071.2151113.1260506346&type=3&theater
*
 Foto de Sergio Carolino.
 https://www.facebook.com/Sergio.Carolino.Musician/posts/10214561243725735?pnref=story
*
 https://www.facebook.com/shagkarina/posts/10214423406010004?pnref=story.unseen-section
*
 Foto de Sergio Carolino.
 https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10214567259996138&set=pcb.10214567261756182&type=3&theater
*
 Foto de Sergio Carolino.
 https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10214567260076140&set=pcb.10214567261756182&type=3&theater
***
Em pouco tempo dá uma volta ao mundo
***
***
15jan2017
1 extraordinária interpretAÇÃO
1 EXTRAORDINÁRIA homenagem da Academia de Música
E DA Banda Sinfónica de Alcobaça

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10206531365957491&set=pcb.10206531373877689&type=3&theater
FOTO do JOSÉ EDUARDO OLIVEIRA
***
26mar2016
(gRRacias António Cruz pela fotoreportAGEm)
Sérgio Carolino
fanTUBA'stico
maestro

https://www.facebook.com/cineteatroalcobaca/photos/a.1036821323048315.1073741847.134156453314811/1036822483048199/?type=3&theater
diferente
comunicativo
a vibrar com a música que dirigia

https://www.facebook.com/cineteatroalcobaca/photos/a.1036821323048315.1073741847.134156453314811/1036822386381542/?type=3&theater
em várias
e em 3 temas esteve com a sua mestria
como intérprete

https://www.facebook.com/cineteatroalcobaca/photos/a.1036821323048315.1073741847.134156453314811/1036822569714857/?type=3&theater
*
ex-alunos
*
1 aluno dele que veio de Tóquio
*
1 peça dedicada à sua avó
*
o pai e a mãe dele a vibrarem
ao meu lado
*
cineteatro João d' Oliva Monteiro
21.30'
HOW LONG CAN YOU GO?

https://www.facebook.com/cineteatroalcobaca/photos/a.1036821323048315.1073741847.134156453314811/1036825029714611/?type=3&theater

https://www.facebook.com/cineteatroalcobaca/photos/a.1036821323048315.1073741847.134156453314811/1036821359714978/?type=3&theater

https://www.facebook.com/cineteatroalcobaca/photos/a.1036821323048315.1073741847.134156453314811/1036821589714955/?type=3&theater
Sérgio Carolino escreveu no seu face:
"com obras originais dos nossos amigos grandes tubistas e compositores Jim SelfMike Forbes, Oren Marshall,Xavier Denis, John Stevens e Anthony Caillet.. Um concerto para recordar e a repetir muito em breve!... Obrigado a todos pela noite magnífica e pelos dias passados a gravar o nosso disco, o segundo disco do EPT para a editora portuguesa @afinaudiorecords. (Belíssimas fotos do amigo ‪#‎TóCruz‬. Muito obrigado!) 😅
🎶👌🏽💥🙏!!" *
20 tubas
(eufónios e bombardinos)
*
Ricardo Antão solista em
"Des Ambuls à Cyon"

https://www.facebook.com/cineteatroalcobaca/photos/a.1036821323048315.1073741847.134156453314811/1036822229714891/?type=3&theater
*
Gil Gonçalves
1 ex-aluno
"Wounch"

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10208936322346216&set=pcb.10208936343106735&type=3&theater
*
1 baterista
Marcelo Soares

https://www.facebook.com/cineteatroalcobaca/photos/a.1036821323048315.1073741847.134156453314811/1036821673048280/?type=3&theater

***
7maio2015

https://www.facebook.com/gravissimofestival/photos/a.207180516117497.1073741831.197663050402577/478778125624400/?type=1&theater
Sérgio Carolino (Tuba Principal da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, Artista Internacional Yamaha, Professor na Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo do Instituto Politécnico do Porto) e Hugo Assunção (Primeiro Trombone da Orquestra Sinfónica Portuguesa, Professor de Trombone na Universidade de Évora e Música de Câmara na Escola Superior de Música de Lisboa) voltam a acolher este ano músicos das mais diversas origens e backgrounds.

Não percam, entre os próximos dias 26 e 29 de agosto: ficha de inscrição e mais novidades muito em breve!
***
26mar2015
Público rELEVA o nosso talentoso alcobacense
"Não deixem escapar esta tuba: Sérgio Carolino"
http://www.publico.pt/culturaipsilon/noticia/super-tubas-1690311

O trio TGB – que juntava tuba, guitarra, bateria - terá sido o projecto com o qual Sérgio Carolino começou a ganhar maior visibilidade. Integrado nesse grupo, começou por trazer protagonismo à tuba, instrumento de sopro raro, da família dos metais, com a sonoridade mais grave, que poucas vezes se vê na condição de solista.
No trio TGB, com Mário Delgado e Alexandre Frazão, Carolino mostrou desde logo as suas qualificações como virtuoso do instrumento, mostrando possibilidades que não lhe imaginávamos. Nas mãos de Carolino a tuba ganhava uma agilidade fora do comum, deixando de ficar na sombra para assumir a primeira linha, solando com toda a criatividade. Mas se esse trio nos últimos tempos tem estado parado, Carolino não para e, com três discos, volta a apontar os holofotes para a tuba












O disco Surrealistic Discussion é um duo improvável, onde se junta a tuba de Carolino a comunicar com outro instrumento atípico, o acordeão, aqui tocado por João Barradas. Se o tubista se tem afirmado como virtuoso, também o jovem Barradas se tem feito notar pela destreza no acordeão e pela facilidade com que tem atravessado géneros musicais. Neste disco assistimos a um verdadeiro diálogo entre os dois, tendo por base peças originais que uma série de compositores escreveram a convite de Carolino. Se cada música já convida à interacção e diálogo entre instrumentos, Barradas e Carolino aproveitam para demonstrar toda a sua elasticidade e dinamismo, num festival de técnica e musicalidade. Todas as peças são globalmente interessantes, trespassando universos musicais distintos (do jazz, ao tango, à folk, à clássica…), mas será justo destacar Home, de Filipe Melo, aqui interpretada com a grandiosidade de um hino dolente.
























A tuba de Carolino encetou uma outra parceria em duo, desta vez com o pianista Telmo Marques. XL é o resultado da colaboração, com a dupla a interpretar um novo conjunto de composições originais, onde se incluem temas de Bernardo Sassetti, Filipe Raposo, Carlos Azevedo (da Orquestra Jazz de Matosinhos) e do próprio pianista Telmo Marques. O piano tem um papel mais estático, cumpridor mas menos deslumbrante. Com a tuba mais contida, mas não esquecendo a inventividade habitual, a música soa geralmente mais plácida, surgindo pontualmente algumas faíscas da responsabilidade do tubista.
























Do material recente de Carolino, o seu registo mais acessível e popular será o disco de estreia do grupo Funky Bones Factory. Revelados num disco homónimo editado pela JACC Records, esta é quase uma marching band, com Carolino ao centro – não só na capa do disco, mas também na própria música. Desta vez não usa a tuba, mas umlusophone lucifer – um instrumento por si inventado, técnica e musicalmente muito próximo da tuba. Ao lado de Carolino estão os trombones de Paulo Perfeito, Ruben da Luz, Daniel Dias e Rui Bandeira, a guitarra de Miguel Moreira e a bateria de Acácio Salero. O grupo trabalha uma música com groove e energia, onde se destaca o trabalho dos trombones (três trombones tenor e um trombone baixo). Carolino está sempre presente, sobretudo a cumprir a função de baixo, mas também tem oportunidade de solar, com a energia típica. Não deixem escapar esta tuba.

















***
16dez2014
Novos CD
este com +1 alcobacense:  Rúben da Luz

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10205259429706198&set=a.3231337543234.2158627.1260506346&type=1&theater
NOVO CD no mercado com a fábrica de ossos Funky! na etiqueta portuguesa JAC! Sergio Carolino/Sergio Carolino página II/Sérgio Carolino (Lusófona "Lúcifer"), Rúben da Luz, Daniel Dias & Paulo Perfeito (trombones), Rui Bandeira (etrombones), Miguel Moreira (guitarra) & Acácio Santos (bateria). 
http://jaccrecords.WordPress.com/novo-site-novo-website/
*

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10205238087532657&set=a.2863761834071.2151113.1260506346&type=1&theater
NEW CD | Sergio Carolino / Sergio Carolino Page II / Sérgio CarolinoSteel aLive! Vol. II "World Premieres & Live Performances" _ to come out this Christmas!! Portuguese Music by composers Paulo Perfeito, António Victorino D'Almeida, Andreia Pinto Correia & Daniel Moreira! Two Concertos for Tuba& Orchestra with Porto Symphony Orchestra Casa da Música (Perfeito with Christian Lindberg as conductor and Victorino D'Almeida with Marc Tardue as musical director); Concerto for TwoTubas, Piano & Percussion with Anne Jelle Visser (tuba), Telmo Marques(piano) & Jean-françois Lézé & Bruno Costa (percussion) (Pinto Correia) & Flashback - Concertino for Tuba & Concert Band (by Moreira) with the Portuguese Symphonic Wind Band (conducted by Francisco Ferreira)! Interested, please feel free to send an email to: sergiocarolino@gmail.com | Peace, Love & Groove...
***
Via Yamaha
Pode afirmar-se despudoradamente que Sérgio Carolino é, o grande sonhador revolucionário, de forma positiva e inigualável, da tuba em Portugal podendo, inclusivamente, estabelecer-se em Portugal as Idades: A. C. (Antes de Carolino) e D.C (depois de Carolino)
https://www.youtube.com/watch?v=ChlRYObA-L8
Sérgio Carolino

Biografia

Tubista Português e Artista Yamaha, Sérgio Carolino é um dos tubistas mais aclamados no panorama internacional, estando em constante actividade tanto como solista e professor nos mais diversos festivais de música, conservatórios e universidades um pouco por todo o Mundo - (Espanha, França, Suíça, Finlândia, Bélgica, Holanda, Eslováquia, Alemanha, República Checa, Hungria, Inglaterra, Áustria, Austrália, EUA, Noruega) e brevemente a Tailândia, Brasil, Japão e o Peru.

O seu primeiro disco a solo em nome próprio de nome "Steel aLive!", recebeu em 2008 o 'Roger Bobo Award Prize for Excellence in Recording', organizado pela International Tuba-Euphonium Assotiation (ITEA) e entregue na Universidade de Cincinnati, nos EUA. Recebeu também o prémio de Músico Revelação de Jazz 2004 em Portugal, pelo crítico de jazz José Duarte para além de ter ganho o Prémio Carlos Paredes pelo 1º disco do trio TGB "TubaGuitarra&Bateria", editado pela editora portuguesa, Clean Feed.

O seu vasto leque de interesses e a sua curiosidade musical leva-o por diferentes caminhos de expressão musical, desde o típico repertório clássico ao mais puro jazz e música improvisada. Estabeleceu-se como um virtuoso no repertório standard e contemporâneo para tuba.

Desde 2002, está envolvido em novos e inovadores projectos musicais: os 'TGB' com Mário Delgado e Alex Frazão, '2tUBAS&friends' com Anne Jelle Visser (tuba), 'Trio XL' com Telmo Marques (piano) e Jeffery Davis (vibrafone/marimba), o ensemble português de tubas 'How Low Can You Go?', 'European Tuba Trio' com François Thuillier (tuba) e Anthony Caillet (eufónio), 'The Postcard Brass Band', 'TUBIC' com a companhia SA Marionetas, os 'The Low Frequency Tuba Band' com Marcus Rojas, Jay Rozen e Oren Marshall (tubas), ‘TUBAX’ com Mário Marques (saxofone), 'Tu B'Horn' com José Bernardo Silva (trompa), ‘Tuba 'n Saxe’s Company!’, ‘Mr SC & The Wild Bones Gang’ e mais recentemente, o grupo de Hip-hop, Funky e Drum&Bass - 'Funky Bones Factory'.

Actualmente, Carolino é professor de tuba e música de câmara na Escola Superior de Música e das Artes do Espectáculo (ESMAE) do Instituto Politécnico do Porto (IPP) e, desde 2002, tuba solo da Orquestra Nacional do Porto.
***
A próxima edição do Gravíssimo será de 26 a 29 de agosto de 2015
***
Vai lançar novo CD para o natal 2014
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10204741889608019&set=a.2863761834071.2151113.1260506346&type=1&theater
New CD to come out before Christmas! Music by Paulo Perfeito, Andreia Pinto Correia, Mico Nisim, Jim Self! Get ready for Mr. SC (Mr Santa Claus)! 
***
Sérgio Carolino
https://www.facebook.com/sergio.carolino.3?fref=nf
prepara atempadamente...
Some artists already confirmed for the next GRAVÍSSIMO! 5th edition in 2015: Bob Stewart, François ThuillierAnthony Caillet, Anne Jelle Visser! More news to come soon!....  gonna be explosive!!!!
*
"Announcing the presence of jazz tuba icon, Bob Stewart as guest artist at the next GRAVÍSSIMO! 5th edition, August 2015!"
https://www.facebook.com/pages/Bob-Stewart/103837469655315
***
Urge louvar quem merece!!!
**
https://www.facebook.com/sergio.carolino.3?fref=ts
**
Recente digressão pela China
Foto: After another performance on the Jorge Salgueiro's cONCERTO fOR tUBA, Op. 139 with the fabulous Portuguese Symphonic Wind Band in the China Tour! :) very funny reaction!!!
!After another performance on the Jorge Salgueiro's cONCERTO fOR tUBA, Op. 139 with the fabulous Portuguese Symphonic Wind Band in the China Tour!  very funny reaction!!! "
**
A última onde ele esteve:

"Ansioso pelo recital de hoje às 18h00, logo a seguir ao segundo dia de masterclass nas 1as Jornadas de Tuba e do Eufónio da EPME (org. do meu amigo João Aibéo e da EPME)! Recital com o Duo XL (Sergio Carolino &Telmo Marques) + Ricardo Antão e Jorge Queijo. Música de Johann S. Bach, Neal Corwell, Telmo Marques, Jon Hansen & Matthew Murchison! Venh muitos e tragam amigos!"
**
os participantes, partilhar a paixão pela música, pelo nosso instrumento, apreender uns com os outras, sorrir, trabalhar arduamente e em equippa, entreajuda... para terminar um recital no belíssimo grande auditório-academia de Espinho com os ilustres amigos e músicos fantásticos Telmo Marques e Jorge Queijo. Mesmo estando doente, foi um verdadeiro prazer e uma honra partilhar o palco com exímios artistas. MUITO OBRIGADO! Espero regressar muito em breve! Bem haja a todos! .... São estes momentos que reconfortam o coração e purificam a alma, coisa que nos últimos tempos procuro e preciso!! PAX"
 —
Próximas:
Next activities, if my health and mental sanity will be at least ok:
Masterclass: Trinity college of music, London (April 28);
Jury at the Guidhall School of Music & Drama, London (April 29);
May 5 to 6: masterclass & concert at the Mozerteoum Salzburg (Austria) - concert with dear friend Andreas Martin HofmeirRoland SzentpaliMazura János! (Yeah);
May 15: concert with MASSIVE BRASS ATTACK! (Conservatorio Musica Do Porto) with special guest soloists James Thompson & Tom McCaslin.
May 19 to 24: guest artist, International Tuba Euphonium Conference, Indiana University - Jacobs School of Music, Bloomington, USA.
9 to 12 July: masterclass & recital with XL Duo (with Telmo Marques) at ESMUC, Barcelona - Spanish Tuba Euphonium Association.
28 July to August 1: recital at the Yamaha hall, ginza, Tokyo with Dear friend Ko-ichiro Yamamoto
3 to 8 Augusto: 20th Hamamatsu International Wind Instruments Academy & Festival, Japan.
28 to 31 August: Alcobaca International Low Brass Academy & Festival.
1 to 4 October: masterclass at The Hague Royal Conservatory of Music, Holland
 — com Tim Sullivan.
***
18maio2013
Mais um embaixador de Alcobaça...


O nosso tubista SÉRGIO CAROLINO vai para Sydney...É um dos nossos embaixadores...a força dos nossos talentos...d' Alcobaça que vos abRRaça
***
em 2013 vence Prémio SPA2013
http://www.dacapo.pt/seccao-A-Solo&-Sergio-Carolino-vence-Premio-SPA-2013

A SOLO

A SOLO

SÉRGIO CAROLINO VENCE PRÉMIO SPA 2013

Sérgio Carolino venceu, em Fevereiro, o Prémio Sociedade Portuguesa de Autores 2013 na Categoria de Música Erudita, pelas obras editadas em 2012 e acção divulgadora da música Portuguesa, entregue na Gala SPA/RTP no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém (CCB) em Lisboa, e a qual teve transmissão em directo na RTP1.
“Este prémio tem um significado especial para a minha pessoa, pois trata-se de uma distinção não só ao meu trabalho mas sim, do trabalho de muitas pessoas, as quais sempre aceitaram fazer parte das minhas ideias e odisseias musicais, por vezes um pouco loucas, dedicando-se de alma e coração aos projectos, dando sempre o seu máximo, trabalhando com total dedicação e paixão, com muita coragem e ousadia! Dessa grande equipa fazem parte instrumentistas, compositores, designers, fotógrafos, engenheiros de som, editoras discográficas, realizadores de vídeo, directores de festivais, centros culturais e cineteatros”, sublinha. Sendo um dos tubistas mais aclamados no panorama internacional, Sérgio Carolino dedica o prémio aos pais e à avó “por todo o apoio e amor dado ao longo dos anos”, e a toda a equipa com que tem trabalhado: “sem elas, nada do que foi realizado até então seria possível”.
Acredita que a divulgação da música portuguesa pode mudar, a começar pela forma como os portugueses olham para a sua própria música. “Começamos finalmente a dar mais valor ao talento e potencial artístico que temos no nosso país! Temos motivos de sobra para estar orgulhosos da qualidade dos nossos artistas em todas as áreas, artistas esses que no geral, trabalham com muito poucos apoios ou nenhuns mesmo, e que devido ao seu talento, paixão, perseverança, e total dedicação conseguindo mesmo assim o tão merecido sucesso e reconhecimento um pouco por todo globo”, reconhece.
E actividade internacional não lhe falta. Sérgio Carolino participou como solista e professor nos mais diversos festivais de música, conservatórios e universidades um pouco por todo o mundo: Espanha, França, Suíça, Finlândia, Bélgica, Holanda, Eslováquia, Alemanha, República Checa, Hungria, Inglaterra, Áustria, Austrália, EUA, Noruega, Tailândia, Peru, Brasil, Japão, Luxemburgo, Singapura, Turquia e brevemente a Islândia, Itália, Canadá e a Croácia. É “dono e senhor” de uma discografia considerável com os seus mais diversos e eclécticos projectos, alguns dos quais premiados internacionalmente.
A exigência é cada vez maior, mas os portugueses têm potencial para competir ao mais alto nível: “o produto artísticonacional é de muita boa qualidade, por vezes do melhor que se faz a nível Internacional”. Cabe agora aos agentes culturais e responsáveis pela informação cultural apostar nos artistas portugueses e “arriscar nos mais jovens e dar-lhes oportunidades de mostrarem o seu valor”.

Projectos a sair este ano
Carolino tem um vasto leque de interesses e uma curiosidade musical que o leva por diferentes caminhos de expressão musical, desde o típico repertório clássico ao mais puro jazz e música improvisada. E este ano promete mais novidades: “destaco a gravação de três discos com os projectos ensemble TUBAX nas suas versões de Septeto (tuba, saxofone soprano, piano e quarteto de cordas); o Duo XL com Telmo Marques (piano) e mais um disco com o projecto Mr SC & The Wild Bones Gang. Todos estes discos com música original, escrita para esses projectos”.
Mais ainda há mais! “Tenho alguns discos a sair durante as próximas semanas/meses: Surrealistic Discussion (duo de tuba e acordeão) com João Barradas; T’nT tubas&trombones com Steve Rossé (tuba solo da Sydney Symphony Orchestra e os The Wild Bones Gang; um disco gravado ao vivo na Sala Suggia da Casa da Casa da Música com a Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, sob a direcção musical de Christian Lindberg, com a estreia mundial do Concerto para Tuba e Orquestra – Impermanentia do compositor e grande amigo Paulo Perfeito e do Concerto para 2 Tubas, Piano e Percussão de nome ADAMASTOR da compositora Andreia Pinto Correia. Ainda um disco co-produzido em parceria entre a minha pessoa e pelo CCC – Centro Cultural e de Congressos de Caldas da Rainha, com gravações ao vivo de estreias mundiais realizadas no Grande Auditório durante a minha residência artística de 2012 com obras originais dos compositores Dimitris Andrikopoulos, Ângela da Ponte, Daniel Bernardes, Igor Silva e Telmo Marques”.
E também… “Tenho também planeado a estreia dos projectos Hangin’ from the Strings (tuba e quinteto de cordas), do trio ESQUISSOFINIA, com Mário Marques (saxofone), Telmo Marques (piano) e com Rodrigo Matos na pintura ao vivo. Ainda a estreia do duo com guitarra portuguesa com o amigo e exímio músico virtuoso, Miguel Amaral, o qual iremos tentar gravar em CD ainda este ano. Alguns concertos com os projectos TGB, TUBAB, bem como com outro novo ensemble, com o qual estou muito entusiasmado de nome MASSIVE BRASS ATTACK! Jovem ensemble sinfónico português de metais e percussão”.
E, claro, fora de Portugal… “A nível internacional visitarei alguns países, como solista e professor convidado, em Festivais e Universidades: a Islândia (Reiquejavique), Japão (Hamamatsu e Tóquio), Austrália (Sydney), Itália (Cesena), Tailândia (Banguecoque), Singapura (Singapura), Suíça (Zurique), Amesterdão (Holanda). Tocarei também com as orquestras: Iceland Symphony Orchestra; Zurich Opera Haus Orchestra, Netherlands Philharmonic Orchestra & Singapura Symphony Orchestra”.

Um caso raro e sério a nível de tuba
Sérgio Fernando Bernardo Carolino nasceu a 26 de Outubro de 1973, em Alcobaça. Aos 11 anos inscreveu-se na Escola de Música da Banda de Alcobaça e quando encontrou a tuba: “foi amor ao primeiro som”. Mais tarde, frequentou o Conservatório Superior de Genebra (Suíça) com Pierre Pilloud (tuba principal da Orquestra da Suisse Romande) e Masterclasses com os mais prestigiados tubistas: Roger Bobo, Melvin Culbertson, Gene Pokorny e Harvey Phillips.
Na Austrália chamam-lhe “Tuba Guru”, na Suíça é conhecido por “Tuba Meister” e no Reino Unido é o “Tuba Phenomen”. Não admira que haja centenas de compositores, nacionais e internacionais, que dedicam as suas obras a Carolino.
Actualmente, Carolino lecciona tuba e é o director artístico do ensemble sinfónico de metais e percussão MASSIVE BRASS ATTACK!, na ESMAE e é, desde 2002, tuba solo da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, sendo também Artista Internacional Yamaha. O currículo podia continuar por várias páginas…
Segundo Ricardo Braga, “sem dúvida alguma, pode afirmar-se despudoradamente que Sérgio Carolino é, desde logo, o grande sonhador revolucionário, de forma positiva e inigualável, da tuba em Portugal podendo, inclusivamente, estabelecer-se em Portugal as Idades: A. C. (Antes de Carolino) e D.C (depois de Carolino)”. 
***
23ag2010
cheguei lá via aniversariante Mário Bernardes na sua Terra de Paixão"
Músico Sérgio Carolino Convidado a Integrar a Filarmónica de Israel


É um convite prestigiante para o músico português Sérgio Carolino. o tubista foi desafiado a integrar a filarmónica de Israel. Uma orquestra de referência internacional dirigida por Zubin Metha. Em declarações à agência Lusa, Sérgio Carolino manifestou a satisfação por este convite, como nos conta a jornalista Susana Barros. http://www.rtp.pt/noticias/?t=Musico-Sergio-Carolino-convidado-a-integrar-a-filarmonica-de-Israel.rtp&headline=46&visual=9&article=369416&tm=4

..........
sapo e lusa:
Música: Tubista Sérgio Carolino convidado para tocar na Filarmónica de Israel sob a direção de Zubin Metha

22 de Agosto de 2010, 10:03
Lisboa, 22 ago (Lusa) -- O músico Sérgio Carolino, que toca tuba, foi convidado para integrar a Orquestra Filarmónica de Israel, sob a direção de Zubin Metha, na digressão que realiza a partir de outubro a quatro países asiáticos.
"O convite surgiu porque o tubista da orquestra, Shemuel Hershko, é meu fã e eles precisavam de um segundo tocador de tuba, pois no programa que apresentam incluiu-se a 'Sagração da Primavera' de Stravinsky", explicou o músico que integra a Orquestra Sinfónica do Porto.

Sérgio Carolino afirmou que "habitualmente" é convidado para tocar noutras orquestras, "ainda recentemente na de Cleveland, mas são todas iguais, o trabalho de músico de orquestra não difere muito de uma para outra".
***
Via público
http://www.publico.pt/tema/jornal/para-sergio-carolino-esta-geringonca-e-uma-paixao-22540914
É um dos grande instrumentistas portugueses, com carreira também firmada no estrangeiro. Sérgio Carolino, tubista residente da Orquestra Sinfónica do Porto, está na origem do desenvolvimento em Portugal do interesse por um instrumento que, apesar da sua dimensão, ocupa um lugar discreto nas orquestras e bandas. Mas nas mãos deste músico a tuba ganha protagonismo de solista. Na Casa da Música, estreou-se uma peça expressamente escrita para si. Esta semana está a tocar em Tóquio.

Não podia haver maior contraste com aquilo que é a imagem convencional de um concerto de uma orquestra sinfónica: o maestro envergava uma camisa azul florida em estilo art nouveau; a seu lado, um músico vestido com uma camisa bordeaux, daquelas normalmente usadas pelos elementos do Remix Ensemble, tocava a solo um instrumento que costuma ficar arrumado no 
canto mais discreto da formação orquestral. A tuba.
Aconteceu na noite de 6 de Maio, no Porto, na Sala Suggia da Casa da Música, e era a estreia mundial de um concerto composto por Paulo Perfeito para aquele instrumento, Impermanentia. O solista em causa é Sérgio Carolino (n. Alcobaça, 1973), tido como o mais virtuoso tubista português da actualidade e um músico de elite a nível internacional. "O Sérgio é indiscutivelmente um dos cinco maiores tocadores de tuba no mundo", assegurava Markus Lindberg, o famoso trombonista sueco que a Casa da Música tinha convidado para dirigir a Orquestra Sinfónica do Porto (OSPCM) nesse primeiro concerto de Maio.
Paulo Perfeito tinha explicado à Pública, no final do ensaio na manhã da estreia, que tinha composto Impermanentia expressamente para Sérgio Carolino, músico que admira e com quem trabalha desde 2005. "Tenho dúvidas de que houvesse muitos tubistas no planeta que fossem capazes de interpretar esta peça como o Sérgio o faz; ele é como um atleta de alta competição", acrescentou o compositor, já no final do concerto, não escondendo a sua felicidade pelo sucesso da estreia. Era a primeira vez que Paulo Perfeito compunha uma obra para esse "bicho" que é uma orquestra sinfónica. As outras peças que tinha já escrito para Carolino eram destinadas às várias pequenas formações com que ele tem construído a sua carreira ecléctica. "Normalmente, eu só componho para a tuba nas mãos do Sérgio - e faço questão de dizer isto -, porque nelas, este é um instrumento surpreendente", reforça Paulo Perfeito.
A mesma opinião tem António Victorino d"Almeida, autor duma composição escrita para Sérgio Carolino, igualmente estreada pela OSPCM na Sala Suggia, em 2006 (e entretanto editada em disco). "Escrevi a peça para um grande tubista, e ele correspondeu totalmente àquilo que eu tinha sonhado quando a compus", diz o maestro e compositor. Também ele vê em Carolino "um músico de elite mundial, não só em termos técnicos mas também interpretativos".
José Duarte conhece a performance do tubista em formações jazzísticas e, em 2004, considerou-o mesmo o Músico Revelação do Ano, pelo disco do trio TGB [Tuba, Guitarra & Bateria], editado pela Clean Feed. "Ele cumpre as exigências de um grande músico: sabe improvisar, tem balanço e pratica um instrumento que é raríssimo ouvir no jazz, apesar de ele ter sido muito típico nas origens em New Orleans", diz o crítico e autor do programa Cinco Minutos de Jazz.
Sérgio Carolino convive bem com estes elogios e com a imagem de músico virtuoso reconhecido tanto em Portugal como lá fora - esta semana, por exemplo, encontra-se em Tóquio, como professor convidado do 17.º Festival da Academia Internacional Yamaha; no próximo dia 5 de Agosto vai fazer um recital a solo na capital japonesa com a pianista Mari Nakamura, com um programa exclusivamente preenchido com música portuguesa para tuba e piano, que encomendou aos compositores Jorge Salgueiro, Telmo Marques, Francisco Loreto e Filipe Melo.
O tubista diz, contudo, que não tem de assumir a responsabilidade do virtuoso. "Tenho é que dar o meu melhor e continuar a fazer aquilo de que gosto, que é tocar tuba e tentar passar uma boa imagem do instrumento às pessoas e aos jovens", acrescenta Carolino, que em 2002 ingressou no elenco do Orquestra do Porto. Uma decisão que considerou marcante para a sua carreira, depois de antes ter passado pela Metropolitana de Lisboa.
"Vir para a Orquestra do Porto foi importante para mim. E a Casa da Música é um projecto especial e único no panorama internacional. É já a segunda vez que toco aqui a solo um concerto para tuba - é algo que é muito difícil ver-se noutras instituições. Aqui recebem estas propostas sempre de braços abertos", diz Carolino sobre o seu trabalho na OSPCM. E destaca também a importância que para o seu amigo Paulo Perfeito teve o ter podido finalmente ver estreada uma obra composta para tuba e orquestra sinfónica, e assim conquistar "um lugar de destaque na cena da composição em Portugal, algo que ele já merecia".
Sobre Impermanentia, o tubista diz que se trata de uma das obras "mais difíceis" que tocou até agora. "É uma peça muito física, que explora todos os registos da tuba, do mais grave ao mais agudo. É preciso conhecer outros estilos de música e outras linguagens para se conseguir interpretá-la de acordo com aquilo que o compositor quer", acrescenta Carolino, referindo a influência que a composição denota da música de Olivier Messiaen, de quem, aliás, Paulo Perfeito se afirma um devedor.
Uma tuba chamada Lúcifer
No concerto na Casa da Música, Carolino tocou numa tuba Yamaha - ele que é o único tubista europeu com contrato assinado com este famoso construtor japonês de instrumentos musicais (mais conhecido pelas motas). "Trabalho muito com a Yamaha no desenvolvimento destes instrumentos", diz o músico, para quem a marca japonesa construiu mesmo um protótipo. "Só existem duas tubas do género no mundo, eu estou a experimentá-la e vou-lhes dizendo o que acho que é preciso melhorar", acrescenta Carolino, explicando que são sempre instrumentos feitos à mão e que não permitem grande comercialização nem negócio; a marca japonesa aposta neles apenas para manter a tradição neste domínio da música.
Ser um Artista Internacional Yamaha, para além do prestígio e do acesso a instrumentos personalizados, tem como vantagens materiais apenas o apoio que a marca dá à realização de viagens para a participação em festivais e a direcção de master-classes por todo o mundo, algo que faz parte do quotidiano do músico português.
Mas o instrumento de que Carolino mais gosta de falar é do seu Lusofone Lúcifer - o nome é patente sua -, uma tuba de grandes dimensões que foi construída expressamente para si por dois luthiers [criadores de instrumentos de cordas] norte-americanos. Depois de ter visto a tuba de um músico inglês amigo reconvertida a partir de um velho jazzofone, Carolino quis também apostar num instrumento do género. Conheceu um fabricante de Filadélfia, Tim Sullivan, que, com Harold Hartman, reinventou uma tuba baixo totalmente feita à mão, e que é exemplar único. "Mandaram-me esta peça incrível!" E Carolino mostra orgulhosamente uma tuba do seu tamanho, e bem diferente da Yamaha que normalmente usa nos concertos da Orquestra do Porto. "É um instrumento único, que foi construído com peças e partes de metal de tubas antigas, dos anos 1950 e 60, das marcas King e Conn, que continuam a ser muito procuradas pelos músicos." Decidiu chamar-lhe "Lúcifer" por achar que esta tuba "tem um som terrífico, algo diabólico, e que vibra de uma forma incrível" por causa da liga metálica antiga de que é feito. E acrescenta que "a tuba é uma paixão. Quem a toca sente isso. É tanta a vibração, o som pode ser tão bonito e tão caloroso que as pessoas não precisam de fazer muitos sons. Conseguir um já deixa uma pessoa satisfeita, num instrumento destes".
Uma aventura em Genebra
Como é que Sérgio Carolino, que se afirma "um músico autodidacta", escolheu ser tocador de tuba? O músico revela que o seu primeiro sonho de infância, em Alcobaça, foi o ténis. Mas, porque o jeito não abundava, acabou por seguir as pisadas do avô Fernando e ingressar na banda da terra. Tinha 11 anos, deram-lhe um fagote para as mãos, e depois uma trompete, mas daí não saíram grandes sons. Acabou por sair-se melhor no manejo de um contrabaixo que estava encostado a um canto na sala de ensaios. "Como eu já sabia as posições, dominei logo o som e gostei muito da sonoridade." Estava encontrada a sua vocação. Apostou em ir aprender no Conservatório de Lisboa, para onde viajava muitas vezes à boleia. Como, nessa altura, não havia professor de tuba na escola da capital, foi parar às classes de trombone e trompete. Até que acabou a estudar tuba, como os seus colegas Ilídio Massacote e Pedro Florindo, com o professor António Lage, da Ópera do Teatro São Carlos.
Mas o grande salto na sua formação viria, depois de cumprido o serviço militar, com a decisão de "ir à aventura" para Genebra, aproveitando a circunstância de o pai ser emigrante em França e estar a trabalhar perto da fronteira suíça. "Fui conhecer o professor Pierre Pilloud, da Orquestra Suisse Romande, e como sabia que a poucos quilómetros dali, em Lausanne, estava o professor Roger Bobo" - o virtuoso americano da tuba e patrono de um prémio internacional, que Sérgio Carolino viria depois a conquistar por duas vezes, em 2008 e 2010 -, "pensei que com uma cajadada matava dois coelhos, aprendia com duas pessoas fantásticas", recorda.
Assim foi. Diplomou-se no Conservatório de Genebra, e quando se preparava para ficar por lá a fazer o mestrado em performance de tuba, surgiu a notícia de audições para a Metropolitana de Lisboa. Regressou e conquistou o lugar, onde ficaria entre 1997-2001. "Eu sentia que tinha de fazer alguma coisa para ajudar o país, nesta área", diz, a justificar a decisão de regressar a Portugal, quando muitos músicos portugueses da sua geração procuravam no estrangeiro as oportunidades que não encontravam no país.
Não se arrependeu de ter regressado. "Acho que foi uma boa opção", diz. E, "modéstia à parte", reivindica a sua quota de responsabilidade na afirmação de uma nova geração de tubistas portugueses, que vão dando cartas tanto aquém como além-fronteiras, onde têm ganho prémios e conquistado lugares em formações prestigiadas. "Sim, fui o principal impulsionador disto tudo, em vários aspectos. Se calhar, porque sou totalmente apaixonado e meio lunático", realça Carolino, que continua a casar a profissão de música com a de professor de tuba e de música de câmara na Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo (ESMAE), no Porto, além de dirigir frequentes master-classes em Portugal e por todo o mundo - na agenda do mês de Maio, tinha marcados vários concertos (e cursos) com o European Tuba Trio, de que foi fundador, em várias cidades de França, e mais para a frente tem previstas deslocações à Finlândia, Japão, Colômbia e Estados Unidos.
"Preciso de tocar Mahler"
"A tuba é uma paixão", repete Carolino, mas que precisa de muito trabalho, esforço, técnica, repetição... "Temos de saber como produzir o mesmo som todos os dias. Eu não acredito no talento, acredito é em muito trabalho físico e mental. Isso é 99 por cento. E o um por cento do talento, esse, só aparece com a adrenalina do concerto", reclama o tubista, para quem nada substitui a experiência do palco. Daí a decisão de, sempre que possível, gravar as actuações ao vivo para a edição dos muitos discos que já conta no seu currículo - assim aconteceu também com a execução da peça Impermanentia, que foi gravada tanto no ensaio final como no concerto da estreia, a pensar na futura edição em disco.
A carreira de Sérgio Carolino conta já mais de duas centenas de peças compostas expressamente para si por compositores portugueses e estrangeiros, contando-se, entre aqueles, e para além dos já citados Paulo Perfeito e António Victorino d"Almeida, os nomes de Eurico Carrapatoso, António Pinho Vargas, Bernardo Sassetti ou Carlos Azevedo.
A discografia também já vai próxima das duas dezenas de títulos, desde que no ano 2000 editou o primeiro dos seus inúmeros projectos musicais - TGB (com Mário Delgado e Alexandre Frazão). Em nome próprio, lançou o primeiro disco, Steel aLive, em 2008, e trabalha agora numa nova gravação com o mesmo projecto. Pelo meio, têm-se sucedido as bandas, com designações tão inesperadas como 2tUBAS & friends, How Low Can You Go?, TUBIC, Tu B"Horn, TUBAB, ou Estardalhaço da Geringonça e The Postcard Brass Band, onde dá livre expressão à sonoridade jazzística do seu Lusofone Lúcifer. Mesmo se não se vê como um músico de jazz - "Considero-me sobretudo um improvisador, alguém que consegue inserir-se num projecto, perceber a linguagem, o fraseado... Uma vez classificaram-me como "um músico camaleónico", e eu gostei da expressão. Tenho essa capacidade de me adaptar a diferentes projectos."
Mas Carolino continua a privilegiar também o seu trabalho na Orquestra Sinfónica do Porto. "Permite-me tocar a música de grandes compositores; eu preciso de tocar Shostakovich e Mahler, e na Casa da Música temos tido a sorte de fazer grandes programas, de poder arriscar."
Sempre com a tuba, não propriamente a tiracolo, já que a dimensão do instrumento não permite essa agilidade, mas numa relação de grande fisicalidade com ela.
Qual é o sexo da tuba, a propósito? "É um instrumento um bocado híbrido; à partida, pensa-se que é masculino, por causa da sua sonoridade física e robusta. Mas também tem algo de feminino, delicado, macio, muito sensível e com muitos harmónicos." Carolino acrescenta que já lhe disseram uma vez, que, quando está a tocar, parece que agarra a tuba como quem envolve e acaricia o corpo de uma mulher. "É um bocado surreal, mas não deixa de fazer sentido."

sergio.andrade@publico.pt