08/03/2015

9.699.(8mar2015.23.55') Neste dia...9março...vou rELEVAR: 358.avÔ, constituição vintista,Brittany Murphy, Maite Perroni, Juliette Binoche, Ornella Muti, Joaquim Gomes e a poesia de Joaquim Pessoa

***
2017
358.avÔ
pensar e falar em harmonia
                             coerência
                             com a palavra certa e segura
                             a improvisar
sem haver preparAÇÃO
é 1 bELO corAGIR
*
pintura
de terNUra
com 1 bELO pincel
feito botão-de-rosa
***
2016...FACE TRAZ-ME MEMÓRIAS DESTE DIA:
 8mar2016...as minhas queridas filhas encontram-se em lisBOA...a + velha está quase quase a fazer-me avô do Sebastião!!!
qu' esTUpendoooooooooooooo par de soRRisos das minhas queridas filhas
 Foto de Rogério Manuel Madeira Raimundo.
 https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10207792161713446&set=a.1081356805590.12781.1576428905&type=3&theater
*
 ..a serra dos candeeiros completamente tapada com 1 bELO manto de neblina..poucos olham para estes fenómenos da nossa serra, d' ALCOBAÇA que vos abRRaça
serra dos candeeiros by Graça Silva

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1054515491258593&set=a.211013438942140.52240.100001004569506&type=3&theater
***
2015...FACE TRAZ-ME MEMÓRIAS DESTE DIA:
1 pormenor da reunião de câmara de hj que já está a dar confusão aqui no face...daí a minha versão...Presidente, vereadora do PS e vereador do CDS perderam 1 tempão sobre a carta anónima...Procurei salientar o que urge fazer em relação ao mosteiro e em relação a cartas anónimas...
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2015/03/97009mar201511-11-ana-pagara-nova.html
*
a ARTE é que nos faz mbem à saúde e ..."A arte e nada mais que a arte! Ela é a grande possibilitadora da vida, a grande aliciadora da vida, o grande estimulante da vida." (Friedrich Nietzsche)... gRRacias profª e cAMARada Cláudia Cláudio
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2015/03/97039mar201520-02-30-filmes-para.html
*
atenção à luta que se tem de fazer d'imediato sobre o SUPER ROUBO dos ladrões do PSD.CDS...depois de porem milhares de famílias na insolvência, com o fim da cláusula de salvaguarda para milhões..
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2015/03/97049mar20152020-atencao-ao-super-roubo.html
*
the gift...ECOA...embaixadores d'ALCOBAÇA que vos abRRaça
*
será possível que tenhamos d'aturar AINDA 250 dias estes 2 e o portas???
Com políticas que servem os agiotas???
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10200113102028131&set=p.10200113102028131&type=3&theater
*
20h44' 02"...gRRacias MARco VIla...entrar e sair da BB...do lado das Caldas...qu'estupenda fotogravAÇÃO
foto de 5nov2014
Foto de Marco Vila.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=861936133840555&set=a.182102105157298.42246.100000725293569&type=3&theater
*
10h22'10" quis ouVIR e inTERvalarr...
Sam Smith
https://www.youtube.com/watch?v=6cYjS5K3n98
*
9d9h9'9"...hj tb é dia da MULHER...que luta....ontem, estava asSIM....dia SIM...1 MARavILHA...10h10'10"...a BB...bELA baÍA de SÃO MARtinho do Porto d' ALCOBAÇA que vos abRRaça
by Cipriano Simão
Foto de Cipriano F. Simão.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10204000771435257&set=oa.801532719940951&type=3&theater
***
2014...FACE TRAZ-ME MEMÓRIAS DESTE DIA:
12.12.12" é 1 bELO instante para partILHArr neruda
O Teu Riso
Tira-me o pão, se quiseres,
tira-me o ar, mas
não me tires o teu riso.

Não me tires a rosa,
a flor de espiga que desfias,
a água que de súbito
jorra na tua alegria,
a repentina onda
de prata que em ti nasce.

A minha luta é dura e regresso
por vezes com os olhos
cansados de terem visto
a terra que não muda,
mas quando o teu riso entra
sobe ao céu à minha procura
e abre-me todas
as portas da vida.

Meu amor, na hora
mais obscura desfia
o teu riso, e se de súbito
vires que o meu sangue mancha
as pedras da rua,
ri, porque o teu riso será para as minhas mãos
como uma espada fresca.

Perto do mar no outono,
o teu riso deve erguer
a sua cascata de espuma,
e na primavera, amor,
quero o teu riso como
a flor que eu esperava,
a flor azul, a rosa
da minha pátria sonora.

Ri-te da noite,
do dia, da lua,
ri-te das ruas
curvas da ilha,
ri-te deste rapaz
desajeitado que te ama,
mas quando abro
os olhos e os fecho,
quando os meus passos se forem,
quando os meus passos voltarem,
nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas o teu riso nunca
porque sem ele morreria.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=598314926890134&set=a.509081055813522.1073741850.100001348957610&type=3&theater
Tu És em Mim Profunda Primavera

O sabor da tua boca e a cor da tua pele, 
pele, boca, fruta minha destes dias velozes, 
diz-me, sempre estiveram contigo
por anos e viagens e por luas e sóis
e terra e pranto e chuva e alegria,
ou só agora, só agora
brotam das tuas raízes
como a água que à terra seca traz
germinações de mim desconhecidas
ou aos lábios do cântaro esquecido
na água chega o sabor da terra?

Não sei, não mo digas, tu não sabes.
Ninguém sabe estas coisas.
Mas, aproximando os meus sentidos todos
da luz da tua pele, desapareces,
fundes-te como o ácido
aroma dum fruto
e o calor dum caminho,
o cheiro do milho debulhado,
a madressilva da tarde pura,
os nomes da terra poeirenta,
o infinito perfume da pátria:
magnólia e matagal, sangue e farinha,
galope de cavalos,
a lua poeirenta das aldeias,
o pão recém-nascido:
ai, tudo o que há na tua pele volta à minha boca,
volta ao meu coração, volta ao meu corpo,
e volto a ser contigo a terra que tu és:
tu és em mim profunda primavera:
volto a saber em ti como germino.

in "Os Versos do Capitão"

imagem:
Kiss (1963) - filme experimental realizado por Andy Warhol...

*
Há que saudar: Bravíssimaaaaaaaaaa equipa de Remo indoor do CEERIA, d'Alcobaça que vos abRRaça...2ºlugar em Montemor o Velho!!!
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2014/03/76229mar20141746-remo-indoorha-que.html
***
2012...FACE TRAZ-ME MEMÓRIAS DESTE DIA:
PCP na luta pela saúde hospitalar na A.república!!!
Há que recolher os abaixo-assinados até 13março!!!...+ notícias sobre o nosso Hospital...
*
Há que preparar +1 GGG:
*
hj x AQUI estive com "I just wanna make love to you"...e a Etta James venceu...aqui com imagens d'Elvis em espectáculos...
https://www.youtube.com/watch?v=KmtL4OH8ssA
***
2011...FACE TRAZ-ME MEMÓRIAS DESTE DIA:

Em Alcobaça festejamos os 90 anos do PCP, nomeadamente, com almoço 13.3.,domingo, na sede na Av:Joaquim Vieira Natividade

http://uniralcobaca.blogspot.pt/2011/03/42999marco9h9-em-alcobaca-festejamos-os.html
*
50 medidas de blá blá...
CGTP não assina acordo
*
Deste-me a fraternidade com os desconhecidos.
Juntaste a mim a força de todos os que vivem.
Voltaste a dar-me a pátria como num nascimento.
...Deste-se a liberdade que não tem quem está só.

...Ensinaste-me a acender a bondade, como o lume.
Deste-me a rectidão de que precisa a árvore.
Ensinaste-me a ver a unidade e a diferença dos irmãos.
Mostraste-me como a dor de um ser morreu na vitória de todos.
Ensinaste-me a dormir na cama dura dos que são meus irmãos.
Fizeste-me construir sobre a realidade como sobre a rocha.
Fizeste-me inimigo do malvado e muro do colérico.
Fizeste-me ver a claridade do mundo e como é possível a alegria.
Fizeste-me indestrutível pois contigo não termino em mim próprio.
*
9ª qu' "explode" com ... e sunrise
The Gift
https://www.youtube.com/watch?v=APfiKfAf8Lo
***
DM do RIM
https://www.portaldadialise.com/articles/dia-mundial-do-rim-2017#.WH-11lljbbw.facebook
***
1986
Brittany Murphy
https://www.youtube.com/watch?v=tHI1vYg3hZs&list=RDtHI1vYg3hZs#t=9
***
1983
Maite Perroni
https://www.youtube.com/watch?v=O2fU28Pehdc&list=RDO2fU28Pehdc#t=14
***
1964
Juliette Binoche
https://www.youtube.com/watch?v=F8HRGuPp47U
***
1955
Ornella Muti
https://www.youtube.com/watch?v=_jJFF_FhHnI
***
1917
Joaquim Gomes
foi 1 cAMARada com quem reuni muitas vezes em Alcobaça
e ele pernoitou em minha casa várias noites para evitar a deslocação para Lisboa durante a noite
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2017/03/933917mar2017888-joaquim-gomes.html
***
1821
aprovada a constituição "vintista"
http://uniralcobaca.blogspot.pt/2015/03/97019mar201577-9mar1821-aprovadas-as.html
***
e a poesia de Joaquim Pessoa:
2012
HJ x AQUI + 1 pitadinha do mestre JPessoa
O AMOR É... 
O amor é o início. O amor é o meio. O amor é o fim. O amor faz-te pensar, faz-te sofrer, faz-te agarrar o tempo, faz-te esquecer o tempo. O amor obriga-te a escolher, a separar, a rejeitar. O amor castiga-te. O amor compensa-te. O amor é um prémio e um castigo. O amor fere-te, o amor salva-te, o amor é um farol e um naufrágio. O amor é alegria. O amor é tristeza. É ciúme, orgasmo, êxtase. O nós, o outro, a ciência da vida.
O amor é um pássaro. Uma armadilha. Uma fraqueza e uma força.
O amor é uma inquietação, uma esperança, uma certeza, uma dúvida. O amor dá-te asas, o amor derruba-te, o amor assusta-te, o amor promete-te, o amor vinga-te, o amor faz-te feliz.
O amor é um caos, o amor é uma ordem. O amor é um mágico. E um palhaço. E uma criança. O amor é um prisioneiro. E um guarda.
Uma sentença. O amor é um guerrilheiro. O amor comanda-te. O amor ordena-te. O amor rouba-te. O amor mata-te.
O amor lembra-te. O amor esquece-te. O amor respira-te. O amor sufoca-te. O amor é um sucesso. E um fracasso. Uma obsessão. Uma doença. O rasto de um cometa. Um buraco negro. Uma estrela. Um dia azul. Um dia de paz.
O amor é um pobre. Um pedinte. O amor é um rico. Um hipócrita, um santo. Um herói e um débil. O amor é um nome. É um corpo. Uma luz. Uma cruz. Uma dor. Uma cor. É a pele de um sorriso.

Foto de Sonia Peres Naranjo.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=2910741769651&set=a.1656789861637.2081981.1293834055&type=3&theater
*
2014
 in OS OLHOS DE ISA, (ed Esp. Litexa, 1982)

[NENHUMA MORTE APAGARÁ OS BEIJOS]

"Eu estava tão perto de ti
que tenho frio ao pé dos outros".
Paul ÉLUARD

Nenhuma morte apagará os beijos
e por dentro das casas onde nos amámos ou pelas ruas
[clandestinas da grande cidade livre
estarão para sempre vivos os sinais de um grande amor,
esses densos sinais do amor e da morte
com que se vive a vida.

Aí estarão de novo as nossas mãos.
E nenhuma dor será possível onde nos beijámos.
Eternamente apaixonados, meu amor. Eternamente livres.
Prolongaremos em todos os dedos os nossos gestos e,
profundamente, no peito dos amantes, a nossa alma líquida
[e atormentada

desvenderá em cada minuto o seu segredo
para que este amor se prolongue e noutras bocas
ardam violentos de paixão os nossos beijos
e os corpos se abracem mais e se confundam
mutuamente violando-se, violentando a noite
para que outro dia, afinal, seja possível.
*Artwork: Last kiss, por © Adam Martinakis
*(LT)

 Foto de Quem lê Sophia de Mello Breyner Andresen.
 https://www.facebook.com/quem.le.sophia.de.mello.breyner.andresen/photos/a.114014221967684.7650.112890882080018/650438254991942/?type=3&theater
*
Foto de sonhar a realidade.
https://www.facebook.com/349094905211303/photos/a.349115855209208.1073741828.349094905211303/746538335466956/?type=1
Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março.
"Que nome tens? Que nome te hei de dar? Deusa? Mulher?
Mulher-Deusa? Ou Deusa-Mãe? És o princípio de tudo e de
ti mesma? Como saber se somos os teus filhos, ou mesmo
se serás, afinal a tua própria Mãe?
Talvez o Desconhecido ou, simplesmente um desconhecido
te tenha um dia criado para que pudesses reinar sobre ele e
sobre todos os outros.
Depois, geraste em cada forma a própria vida. E hoje, somos
sim, os teus filhos, os filhos de uma Deusa que um homem
emprenhou. Irmãos de serpentes e auroques. Irmãos do ven-
to que te destapou as vestes, para que pudéssemos ver-te
nua, ó mãe, irmã, amiga, companheira das minhas noites.
Mostra-te, para que me espantes mais e me seduzas. Já é
dia. É o dia da Deusa. Esse dia fantástico em que tudo está
ainda por contar."
em "Ano Comum"
*
Foto de Quem lê Sophia de Mello Breyner Andresen.
https://www.facebook.com/112890882080018/photos/a.114014221967684.7650.112890882080018/811322285570204/?type=1&theater
in OS OLHOS DE ISA (Moraes, Ed., 1979), in OBRA POÉTICA 02 (Litexa 2001)
I

Festejo o teu corpo com uma chuva de lâmpadas
e rosas clandestinas.
E amo-te.
Incendiando nas praias do meu sangue
esses pássaros que nascem no teu peito
e fazem ninho nas minhas mãos abertas.

Assim me desesperas e fascinas.

E tudo em mim estremece. Tudo se desenraíza
como as grandes árvores que a tempestade sacode
e arranca no inverno, investindo sobre elas
com os seus cabelos de água, os seus cornos vermelhos.

Ó meu amor, meu amor, meu amor,
morro nos teus braços e renasço em ti
para de novo procurar-te em todos os minutos
percorrendo todos os rios, todas as aldeias do teu corpo
até chegar à tua boca, cheio de sede, ávido de ti,
depois de me perder no deserto branco da tua pele.

Amanheço sem rosto e sem braços, completamente nu,
deixando que doas em mim como um mistério
como se o teu ventre pudesse ser a minha boca
como se eu nascesse em ti para te amar e me esquecer.
E levanto-me
e bato a todas as tuas portas (afinal as minhas)
e tu não me respondes. Percorro todos os corredores
do teu silêncio e não te encontro em nenhuma parte.
Grito por ti até sentir o sabor do sangue nos meus lábios.
Atiro-me contra as barreiras que me separam de ti
e aí adormeço, cansado, como um náufrago
e então és tu, são os teus braços a minha praia
a minha longínqua, doce e estranha praia
onde me aqueço e deito
onde enlouqueço à tua espera.

Ó meu amor, meu amor, meu amor, 
foste sempre o meu poema, a minha canção de gesta,
a minha certeza e a minha dúvida,
o meu vinho e o meu cálice.

Tu és no meu país deserto a última rosa.

Inventei-te em delírio. E trago-te em mim
por entre os mortos exilados que caminham comigo pelas ruas.
Trago-te levantada nas minhas mãos como a única espada
para vencer o mundo.
A minha pedra absoluta.
A minha eterna sede.
A minha ilha.

Ó meu amor, meu amor, meu amor.

Óleo sobre tela: Danae, de Léon Commerre
(CC)

*
Foto de Sonie Marie Pompi.
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=942296755782766&set=a.152159341463182.28585.100000073522004&type=1&theater
Dia 44. (excerto)

Tantos bocados de mim, tantos pedaços teus, tanta coisa que a vi-
da me pediu e ensinou.
Por isso, mulher, te elejo e canto. Tu, que em ti és tudo, princípio 
e fim, solidão e fogo, distância e abraço. E vida, e vida, e vida.
Das portas da noite à varanda dos astros permanece o sentimento
ingrato de que a tua luz humilha tudo o que a terra sussurra, o que
cantam os pássaros, o que Deus torna possível.
Como ser igual a ti, se em ti não há lugar para a minha memória in-
fiel, se te traí para além do que ainda não existe e se roubei o mais
inocente da tua existência, o mais primordial da tua carne e da tua
beleza?
Deste-me sede e deste-me água. E deste-me o significado do amor.
E o amor que sempre quis repartir por todos os homens através de
um destino ao qual defini os limites, como margens para águas es-
curas, frias e tristíssimas.
Falhei como teu companheiro, como teu amante, e como cúmplice
da tua suave e inesperada matéria. 
E fui sombra. E fui deserto. E desamor.
E hoje sou aquele que procura, entre as cinzas, o brilho agonizante 
de um Deus que já não se compadece com nenhum de nós.

(*) in ANO COMUM, 2.ª ed.
Editora Edições Esgotadas.