02/11/2017

4.467.(2noVEMbro2017.8.8') jornalista sofre...Dia Internacional pelo Fim da Impunidade dos Crimes contra Jornalistas

***
Os jornalistas tornaram-se das profissões mais exploradas em Portugal!!!
***
2noVEMbro2017
02 Novembro 2017 -

Alerta ONU: 930 jornalistas assassinados nos últimos 11 anos


Journalists
Hoje assinala-se o Dia Internacional para acabar com a impunidade por crimes contra jornalistas e que pretende despertar as consciências sobre a impunidade aos ataques e crimes contra Jornalistas em todo o mundo.
Segundo a UNESCO, em 2017, 90% dos casos relativos ao assassinato de jornalistas permanecem impunes. O número representa uma ligeira melhoria em relação ao ano passado, quando as respostas dos países aos inquéritos escritos da UNESCO indicavam que apenas 8% desses casos acabaram com uma condenação. "A justiça é a pedra angular de uma sociedade livre, dissuade os que ameaçam a liberdade de expressão e encoraja aqueles que a defendem ", afirma a Diretora-Geral da UNESCO, Irina Bokova. "É por isso que a injustiça contra jornalistas é tão onerosa para todas as sociedades". Entre 2006 e 2016, a UNESCO condenou o assassinato de 930 jornalistas. Destes, 102 jornalistas foram mortos apenas em 2016, de acordo com os últimos números da UNESCO. A maioria dos jornalistas que morreram em 2016 (94%) eram jornalistas locais. Metade dos assassinatos (50%) ocorreu em países onde não houve conflito armado, contra 47% em 2015. A proporção de mulheres jornalistas mortas aumentou de 5%, em 2006, para 10% em 2016. As mulheres também continuam a enfrentar ameaças específicas, incluindo o assédio on-line. Em 2017, como parte dos seus esforços para monitorizar a segurança dos jornalistas e a questão da impunidade, a UNESCO convidou os 62 Estados-Membros onde os casos não foram resolvidos para fornecer informações sobre o estado das investigações judiciais. Destes, 46 responderam (74%), com 41 a fornecerem informações específicas sobre o estado das investigações judiciais sobre o assassinato de trabalhadores dos meios de comunicação social.
Por ocasião do Dia, em 2 de novembro, a UNESCO e os seus parceiros lançarão uma campanha global em associação com órgãos de comunicação social de todo o mundo e uma campanha digitall #MyFightAgainstImpunity. Saiba mais aqui.
Violência jornalistas
*
https://en.unesco.org/endimpunity-2017
***
2016
Brasil foi o 6.º pior para os jornalistas
Hoje, 2 de novembro, é marcado o Dia Internacional pelo Fim da Impunidade dos Crimes contra Jornalistas. Em 2016, o Brasil foi considerado o sexto país mais perigoso do mundo para jornalistas.
“As Nações Unidas pedem à sociedade civil e aos governos que favoreçam um ambiente onde os jornalistas possam trabalhar de forma independente, sem interferências”, disse o diretor do Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio), Maurizio Giuliano. A mensagem foi enviada para um evento do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Rio de Janeiro e da OAB que discutiu o tema, no final de setembro.
Saiba mais sobre o Fórum “Violência Contra os Jornalistas – da época da repressão aos dias de hoje” em http://bit.ly/sjperj. Saiba mais sobre o tema em nacoesunidas.org/segurancadejornalistas.
https://vimeo.com/240888575
***
2015

Mensagem do Secretário-Geral para o Dia do Fim da Impunidade de Crimes Contra Jornalistas, 02 de novembro de 2015

Hoje lembramos os jornalistas e funcionários dos meios de comunicação que foram mortos no cumprimento do dever.
Mais de 700 jornalistas foram mortos na última década - um a cada cinco dias - simplesmente por trazer notícias e informação ao público.
Muitos morreram nos conflitos que cobriram de forma destemida. Ao mesmo tempo, muitos jornalistas foram deliberadamente silenciados por tentar relatar a verdade. Apenas 7 por cento dos casos são resolvidos e menos de um em cada dez crimes são investigados na sua totalidade.
Essa impunidade aprofunda o medo entre os jornalistas e permite que governos continuem a perpetuar a censura.
Temos de fazer mais para combater esta tendência e certificar-nos que os jornalistas possam informar livremente. Os jornalistas não deveriam ter que se autocensurar por temerem pelas suas vidas.
O Dia Internacional pelo Fim da impunidade de Crimes contra Jornalistas foi proclamado pela Assembleia-Geral das Nações Unidas para destacar a necessidade urgente para proteger os jornalistas e para relembrar o assassinato de dois jornalistas franceses no Mali a 2 de novembro de 2013.
Aplaudo a UNESCO por liderar o Plano de Ação da ONU sobre a Segurança de jornalistas e da questão da impunidade - um poderoso mecanismo de junção dos esforços de agências das Nações Unidas, governos, sociedade civil, universidades e meios de comunicação.
Juntos, temos de acabar com o ciclo de impunidade e proteger o direito dos jornalistas
De falar a verdade ao poder.
http://www.unric.org/pt/mensagens-do-secretario-geral/32048-mensagem-do-secretario-geral-para-o-dia-do-fim-da-impunidade-de-crimes-contra-jornalistas-02-de-novembro-de-2015
***
jornalismo negro
pagos para mentir
https://www.facebook.com/acordarpt/videos/663714487122234/?hc_ref=NEWSFEED
"Mentimos para convencer da necessidade de guerra contra a Rússia"
O jornalista e ex-assessor do Governo Federal da Alemanha, Udo Ulfkotte revelou seu envolvimento no chamado "jornalismo negro", confessando que teve que mentir repetidamente a mando da CIA.

O destacado jornalista expõe a campanha anti-russa na imprensa ocidental, revelando também que muitos jornalistas funcionam no estrangeiro como agentes secretos financiados por multi-milionários e pela CIA para fazer espionagem e para difundir propaganda anti-russa, levando assim a opinião pública a apoiar uma eventual agressão militar contra a Rússia.
***