12/06/2018

8.994.(11jun2018.17.17.17") Alexandre o Grande

***
  "nasceu no sexto dia do mês hecatombeão do antigo calendário grego, o que provavelmente corresponde a 20 de julho de 356 a.C., apesar da data exata ainda não ser sabida com certeza, [1] na cidade de Pela, a capital do Reino da Macedônia."
e  a 1 1* de Junho de 323 a. C. é a data provável da morte
***

Alexandre III da Macedônia (português brasileiro) ou Macedónia (português europeu) (20/21 de julho de 356 a.C.10 de junho de 323 a.C.), comumente conhecido como Alexandre, o Grande ou Alexandre Magno (em grego clássico: Ἀλέξανδρος ὁ Μέγας; transl.: Aléxandros ho Mégas), foi rei (basileu) do reino grego antigo da Macedônia e um membro da dinastia argéada. Nascido em Pela em 356 a.C., o jovem príncipe sucedeu a seu pai, o rei Filipe II, no trono com vinte anos de idade. Ele passou a maior parte de seus anos no poder em uma série de campanhas militares sem precedentes através da Ásia e nordeste da África. Até os trinta anos ele havia criado um dos maiores impérios do mundo antigo, que se estendia da Grécia para o Egito e ao noroeste da Índia. Morreu invicto em batalhas e é considerado um dos comandantes militares mais bem sucedidos da história.
Durante sua juventude, Alexandre foi orientado pelo filósofo Aristóteles até aos 16 anos. Depois que Filipe foi assassinado em 336 a.C., Alexandre sucedeu a seu pai no trono e herdou um reino forte e um exército experiente. Ele havia sido premiado com o generalato da Grécia e usou essa autoridade para lançar o projeto pan-helênico de seu pai liderando os gregos na conquista da Pérsia. Em 334 a.C., invadiu o Império Aquemênida, governando a Ásia Menor, e começou uma série de campanhas que durou dez anos. Quebrou o poder da Pérsia em uma série de batalhas decisivas, mais notavelmente as batalhas de Isso e Gaugamela. Em seguida, derrubou o rei persa Dario III e conquistou a Pérsia em sua totalidade. Nesse ponto, seu império se estendia do mar Adriático ao rio Indo.
Buscando alcançar os "confins do mundo e do Grande Mar Exterior", invadiu a Índia em 326 a.C., mas foi forçado a voltar pela demanda de suas tropas. Alexandre morreu na Babilônia em 323 a.C., a cidade que planejava estabelecer como sua capital, sem executar uma série de campanhas planejadas que teria começado com uma invasão da Arábia. Nos anos seguintes à sua morte, uma série de guerras civis rasgou seu império em pedaços, resultando em vários estados governados pelos diádocos, sobreviventes e herdeiros generais de Alexandre.
Seu legado inclui a difusão cultural que suas conquistas geraram, como o greco-budismo. Fundou cerca de vinte cidades que levavam o seu nome, principalmente Alexandria, no Egito. Seus assentamentos de colonos gregos e a propagação resultante da cultura grega no leste resultou em uma nova civilização helenística, aspectos que ainda eram evidentes nas tradições do Império Bizantino em meados do século XV e a presença de oradores gregos na região central e noroeste da Anatólia até a década de 1920. Alexandre se tornou lendário como um herói clássico no molde de Aquiles, e ele aparece com destaque na história e mito grego e culturas não-gregas. Tornou-se a medida contra a qual os líderes militares se compararam, e academias militares em todo o mundo ainda ensinam suas táticas. É muitas vezes classificado entre as pessoas mais influentes do mundo em todos os tempos, junto com seu professor Aristóteles.
 https://pt.wikipedia.org/wiki/Alexandre,_o_Grande
***
 Alexandre, O Grande -assistir filme completo dobrado em português
 https://www.youtube.com/watch?v=s7ca72qyW18
***
1 1* de Junho de 323 a. C. : Data provável da morte de Alexandre o Grande
No dia 11 de Junho de 323 a. C., morre na Babilonia aos 32 anos, Alexandre o Grande, jovem génio militar macedónio que erigiu um império que se estendia do Mediterrâneo oriental à Índia.


Nascido na Macedónia, filho do rei Filipe II e da rainha Olimpia, Alexandre recebeu  uma educação clássica do célebre filósofo Aristóteles e uma educação militar do seu pai.


Aos 16 anos, Alexandre comandou as  suas primeiras tropas e dois anos depois liderou uma grande parte do exército do seu pai. Nesse momento, ganharia uma batalha decisiva em Queroneia, na Beócia, em Agosto de 338 a. C.


As tropas da Beócia e de Atenas, Megara, Corinto e Acaia eram um pouco superiores às da Macedónia, mas a vitória de Alexandre foi absoluta. Filipe usaria da sua habitual diplomacia para conseguir consolidar o seu domínio sobre o mundo helénico: Tebas foi tratada com severidade por ter violado juramentos. Apenas Atenas foi tratada com generosidade, pois o príncipe Alexandre exigiu uma guarda de honra que levou as cinzas de soldados mortos até  à sua terra natal. Um tributo único que incluiu a libertação de dois mil prisioneiros de guerra atenienses.


Em 336 a. C., Filipe II foi assassinado e Alexandre ascendeu ao trono. Dois anos depois, o jovem rei comandou um grande exército na invasão da Ásia Menor para concretizar o grande sonho do seu pai: conquistar a Pérsia. Com maior efectivo do que as forças inimigas, Alexandre exibiu um planeamento militar estratégico e manobras tácticas sem precedentes. Jamais perdeu uma única batalha e, por volta de 330 a. C., toda a Pérsia e a Ásia Menor estavam sob o  seu domínio.


No seu império, construiu grandes e duradouras cidades, como Alexandria, no Egipto, e promoveu  mudanças políticas e económicas radicais baseadas nos avançados modelos gregos. Embora já controlasse o mais extenso império da história da humanidade, lançou uma nova campanha rumo ao Oriente logo após o  seu retorno da Pérsia.


Em 327 a. C. conquistou o Afeganistão, a Ásia Central e o norte da Índia. No ano seguinte, o seu exército, exaurido após oito anos seguidos de batalhas, recusou-se a seguir adiante. Sem alternativa, Alexandre levou-o de volta para casa, no meio de uma difícil jornada através do inóspito deserto de Makran.


Finalmente alcançam a Babilónia. Alexandre começa a construir uma grande frota para transportar o exército para o Egipto. Contudo, em Junho de 323 a. C., exactamente quando os trabalhos de construção dos navios chegaram ao fim, sentiu-se mal após um prolongado banquete. Morreria logo em seguida.


Talvez realmente pensando ser um deus, não havia escolhido um sucessor. Menos de um ano após sua morte, o exército e o império fracturaram-se em múltiplas facções que começaram a guerrear entre si. O Seu corpo foi trasladado mais tarde para Alexandria, onde, num túmulo dourado, repousam os seus restos mortais.
* Não existe certeza quanto ao dia do falecimento de Alexandre
Fontes: Opera Mundi
wikipedia (imagens)
Alexandre (à direita) ouve os conselhos e orientações de seu tutor, Aristóteles
Alexandre, o Grande e o seu cavalo Bucéfalo
 
Gravura do século XIX representando o funeral de Alexandre, o Grande
https://estoriasdahistoria12.blogspot.com/2018/06/11-de-junho-de-323-c-data-provavel-da.html